Pesquisar este portal

sexta-feira, setembro 27, 2019

Louise Barsi explica sua opção pela Taurus

 Em live realizada no dia 01 de julho com os criadores do "Ações Garantem o Futuro" - único programa de formação de investidores autorizado por Luiz Barsi, Louise Barsi explica sua opção pelo investimento na Taurus Armas.


Com “Rouanet da segurança” empresários definem aplicação de recursos no RS




Legislação inédita autoriza empresários a abater impostos em troca de armas e viaturas; recursos vão para áreas escolhidas por doadores

Exame - 15/09/2019

Desde agosto de 2019, os empresários do Rio Grande do Sul podem trocar o pagamento de uma parte do imposto devido ao estado pela aquisição de armas, viaturas e outros equipamentos para as forças de segurança estaduais.

A nova norma, apelidada de “lei Rouanet da segurança pública”, possibilita que os próprios empreendedores determinem a destinação dos bens adquiridos: podem indicar um uso específico do artigo comprado e até o local – município ou bairro – onde preferem que seja aplicado.

Essa foi a principal mudança feita no texto aprovado pela Assembleia Legislativa a toque de caixa e sancionado pelo governador José Ivo Sartori (MDB) no final do ano passado.

Ao ser regulamentado em dezembro de 2018, no apagar das luzes do mandato, o decreto trouxe como novidade a possibilidade de o empresário escolher onde e como seriam aplicados os recursos destinados por ele ao fundo vinculado ao programa, com um adendo: se ele mesmo não definir, “irá, preferencialmente, para o município do doador”.

Veja a íntegra aqui.

quarta-feira, setembro 25, 2019

Moro prepara selo de qualidade para armas de polícias e guardas

http://bit.ly/2l85UDO


Certificado faz parte do programa Pró-Segurança, que tem entre as metas evitar acidentes decorrentes de falhas


Em uma ofensiva para reduzir o desperdício de dinheiro na compra de armas, coletes e viaturas com defeitos, o Ministério da Justiça e Segurança Pública prepara o lançamento de um selo de qualidade de equipamentos utilizados pelas polícias e guardas municipais. O certificado faz parte do programa Pró-Segurança, que tem entre as metas evitar acidentes decorrentes de falhas e, em tempo de corte de orçamento, economizar recursos com aquisições de preços mais baixos.
As normas técnicas que vão definir cada selo serão elaboradas por uma equipe formada por técnicos da pasta do ministro Sérgio Moro e do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). No momento, o ministério revisa a minuta do decreto presidencial instituindo a criação do programa. O documento deve ser enviado nas próximas semanas ao Planalto.
Técnicos que participaram da elaboração do selo observam que não faltam casos de falhas em equipamentos usados pelos agentes de segurança.
No fim do ano passado, o sushiman Leandro Santana dos Santos, de 26 anos, foi morto por policiais após ter ameaçado clientes e supostamente reagido a uma abordagem policial em um restaurante do Itaim Bibi, em São Paulo. A polícia havia acionado, primeiro, uma arma de choque, que não funcionou. Foi então utilizada arma de fogo.
Em 2009, um lote de 1,5 mil pistolas adquiridas pela Polícia Rodoviária Federal foi retirado de circulação. O mesmo ocorreu no ano passado com 59% do lote de armas elétricas incapacitantes adquiridas pela Guarda Municipal de Fortaleza.
Depois de criado o programa, o ministério marcará audiências públicas para discutir as normas de cada um dos equipamentos. Após as consultas, o governo publicará decretos específicos para cada um dos produtos. O primeiro certificado vai tratar das pistolas, um dos equipamentos que mais causam reclamações. Ainda serão certificados fuzis, carabinas, coletes balísticos, viaturas, equipamentos de radiocomunicação e videomonitoramento, bem como os Dispositivos Incapacitantes Elétricos (DEI) – armas elétricas para imobilizar o agressor.

Intervenção

O Pró-Segurança se insere no plano de Sérgio Moro de transformar a Secretaria Nacional de Segurança Pública, comandada pelo general do Exército Guilherme Theophilo, num núcleo formador de novas políticas de atuação das polícias nos Estados.
Nas palavras de Moro, trata-se de uma “missão estruturante”, comparada ao trabalho desempenhado pelas Forças Armadas, em 2018, na intervenção federal do Rio de Janeiro. “Qual foi a lógica da intervenção no Rio de Janeiro? Achavam que os militares iam ficar subindo no morro, trocando tiro. Ao contrário, eles buscaram estruturar, com equipamento, as policiais estaduais, e isso tem gerado diferenças positivas”, disse Moro ao Estado.
A pasta avalia que o selo do programa sirva como um filtro de segurança adicional ao trabalho de controle de armas que já é realizado pelo Exército. Pela legislação atual, os militares são responsáveis pela fiscalização e regulamentação de produtos controlados. Moro afirma que o papel do Exército será preservadas, assim como a autonomia dos estados e municípios para fazer as aquisições dos equipamentos.
À reportagem, a assessoria de imprensa do Exército disse que, até o início da semana, a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados (DFPC) bem como o Comando Logístico (COLOG) não receberam consulta oficial sobre o assunto. A reportagem apurou, no entanto, que representantes da força e do Ministério da Justiça e da Segurança Pública já iniciaram uma discussão sobre o selo.
5 PERGUNTAS PARA MORO: ‘Objetivo é uniformizar equipamentos’

Qual é o objetivo do projeto?

Quando a gente montou o ministério, dois pilares estabelecidos foram assim: Secretaria de Operações Integradas (Seopi) para coordenar operações policiais no País inteiro. A Senasp ficou com um papel mais estruturante. A minha visão do papel do secretário da Senasp é que ele deveria fazer um papel semelhante ao que foi feito lá no Rio de Janeiro. Muitos acharam que os militares da intervenção federal iam ficar subindo o morro, trocando tiros. A intervenção buscou estruturar com equipamentos as policiais estaduais, e isso tem gerado diferenças positivas.

O selo pode provocar choques com as atribuições do Exército, que faz o controle de armas?

O Exército tem sua atribuição, isso não tem qualquer afetação. Agora há um desejo de uniformização dos equipamentos aprovados pelo Exército, uma uniformização dos equipamentos utilizados pelas polícias. Claro que as polícias têm as suas autonomias para escolher equipamentos. Mas, na medida em que for possível, de a Senasp poder sugerir uniformizações, isso facilita as compras, por conta da escala. Isso evita equívocos de compra de equipamentos que, embora sejam adequados, possam eventualmente não servir para aquela finalidade que estão sendo compradas.

As normas de segurança atuais não são suficientes para garantir a qualidade?

São suficientes, mas a questão da uniformização é uma questão completamente diferente.

Estados e municípios só poderão comprar produtos com o certificado?

É de essencial importância dizer que é um projeto ainda em andamento, não existe um martelo batido ainda de como vai funcionar isso. Os Estados têm a autonomia deles garantida pela Constituição, ninguém vai interferir. O ministério costuma estimular algumas políticas públicas e pode, eventualmente, fazer estímulos nessa área. Mas o Estado sempre vai ter liberdade de tomar ações que entender pertinentes. Quando a gente estabeleceu como portaria os critérios de distribuição do Fundo Nacional de Segurança Pública, ficou estabelecidas algumas propostas para estimular políticas públicas, como a criação de delegacias anticorrupção. O papel da união é estimular políticas públicas que são boas.

Como desburocratizar a compra de armas por agentes de segurança?

Isso está em planejamento, O principal ponto do programa é o ganho de escala, para poder fazer essas compras através de atas de registro de preço aqui dentro do ministério, para ter modelos sugeridos aos Estados. Tudo isso permite ganho de escala, e pulam-se etapas, porque os modelos já estão aprovados para finalidades específicas.

Taurus vence licitação internacional e fornecerá fuzis para a Polícia Civil de São Paulo

As profundas transformações na empresa, o novo cenário político, econômico e social brasileiro, a entrada em operação da nova fábrica nos Estados Unidos, a real possibilidade do estabelecimento de uma fábrica na Índia e a agressiva conquista de importantes mercados internacionais têm tudo para tornar a próxima década uma era de ouro na história da companhia. Nesse cenário, não seria exagero afirmar que, para a empresa, essa poderá ser uma verdadeira Era Taurus.
Tecnodefesa - 24/09/2019

A fabricante de armas Taurus, uma das principais fornecedoras de armamentos para instituições policiais no Brasil e no mundo, venceu mais uma licitação internacional e fornecerá fuzis modelo T4 no calibre 5.56mm NATO para a Polícia Civil de São Paulo.

O fuzil T4 da Taurus foi escolhido por atender a todos os requisitos técnicos do pregão, realizado na última quinta-feira (19), e por ser a melhor proposta econômica, com metade do preço da concorrência.




“Vencemos a licitação nas especificações técnicas e nossa proposta foi a metade do preço do concorrente internacional, isso mostra a nossa competitividade em qualidade e custos. A Taurus está preparada para atender as polícias no mundo e, em especial, aos nossos policiais brasileiros”, diz Salesio Nuhs, presidente da Taurus.

Ideal para o uso militar e policial, o fuzil T4 é baseado na consagrada plataforma M4/M16, amplamente empregada pelas Forças Militares em todo mundo e principalmente pelos países membros da OTAN, por ser considerada uma arma extremamente confiável, leve, de fácil emprego e manutenção.

O Fuzil de Assalto Taurus T4 é mais um projeto que utiliza a plataforma consagrada do M4 em calibre 5,56 mm.

ForTe testa o próximo veículo blindado do Exército

 
https://www.forte.jor.br/2019/09/25/forte-testa-o-proximo-veiculo-blindado-do-exercito/

Estivemos no campo de provas da IVECO nesta segunda-feira e testamos o LMV

“É a sua vez!” Foi assim que o engenheiro de vendas da IVECO Defense Vehicles / CNH Industrial, Giovanni Giordani, se dirigiu a mim. Mesmo com uma distância do chassi em relação ao solo de quase meio metro, pisei no estribo lateral e não tive a menor dificuldade para entrar no veículo e me sentar no banco do motorista. Giovanni deu a volta na viatura e sentou-se no banco do carona. Ele seria o meu guia e “consultor técnico” nos minutos seguintes, quando tive a oportunidade de testar a futura Viatura Blindada Multitarefa, Leve de Rodas (VBMT-LR) do Exército Brasileiro (EB), o IVECO LMV (Light Multirole Vehicle) no campo de provas da empresa em Sete Lagoas (MG).
Veja a íntegra da reportagem aqui.

terça-feira, setembro 17, 2019

Semana do Brasil traz resultados surpreendentes para a Taurus

http://bit.ly/2NkniSp

Tecnodefesa 17/09/2019

A Taurus, uma das maiores fabricantes de armas leves do mundo, participou da Semana do Brasil, período de promoções idealizado pelo governo de Jair Bolsonaro em parceria com empresários do varejo, e apresentou excelentes resultados.

A companhia registrou um acréscimo surpreendente nos seus pedidos. Durante a Semana do Brasil, realizada de 06 até 15 de setembro, o número atingiu mais de 2 mil pedidos por dia. Inclusive, no primeiro dia da campanha o fluxo de acesso foi tão intenso que o site da Taurus esteve fora do ar por algum tempo.

Entre as armas mais procuradas neste período estão a pistola G2C 9mm, a pistola TS9 e o revólver RT627.

Veja a íntegra aqui.

Bolsonaro sanciona projeto que amplia posse de arma em propriedades rurais

https://glo.bo/2NitPNz


G1 - 17/09/2019

 O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta terça-feira (17) o projeto de lei que amplia a posse de arma dentro de uma propriedade rural.

Pelas regras atuais do Estatuto do Desarmamento, o dono de uma fazenda, por exemplo, só pode carregar sua arma dentro da sede da propriedade. Com a nova norma, ele poderá andar armado em toda a extensão do imóvel rural.

O projeto foi aprovado pela Câmara dos Deputados em agosto (veja no vídeo no fim da reportagem) e tem teor semelhante ao de um decreto editado por Bolsonaro que trata do registro e da posse de armas de fogo.

O decreto já previa que a posse de arma valesse para "toda a extensão da área particular do imóvel, edificada ou não", mesmo quando se tratasse de imóvel rural.

O texto aprovado pela Câmara estabeleceu a chamada "posse rural estendida". Ou seja, permitiu que a posse de arma se estenda por toda a propriedade rural.

Veja a íntegra aqui.

segunda-feira, setembro 16, 2019

Saab atinge 40% de participação na Akaer

https://glo.bo/2NleqvC


Valor Econômico - 16/09/2019

O presidente da Akaer, Cesar Augusto e Silva, informou que a empresa sueca Saab já tem participação de 40% no capital dessa companhia, especializada no desenvolvimento de aeroestruturas e gestão de projetos para os setores aeroespacial e de defesa. Segundo o empresário, a fatia da Saab já atingiu o teto (de participação societária na companhia). “A Saab aumentou para 40% e esse é o limite para Akaer continuar sendo uma empresa brasileira estratégica de defesa”, afirmou.

Veja a íntegra aqui.


domingo, setembro 15, 2019

Taurus realiza novos negócios na África

http://bit.ly/2NgiQ7f


Jornal Dia Dia - 13/09/2019

Dando continuidade a estratégia de avançar no mercado internacional, a Taurus, uma das maiores fabricantes de armas leves do mundo, efetuou a venda de 1.500 pistolas G3 a um grande distribuidor da África do Sul.

A Taurus G3 adquirida pelo mercado africano foi recentemente lançada pela companhia nos Estados Unidos e representa a mais nova geração de pistolas de armação de polímero da Taurus série G.

A atuação da Taurus em expandir suas vendas externas, tem trazido os resultados esperados e a exportação de armas brasileiras segue em alta. O Brasil é um dos maiores exportadores de armas leves do mundo, de acordo com o Small Arms Survey, principal estudo sobre a indústria.

Os EUA, maior importador de armas leves do mundo, é o destino da maior parte dos armamentos brasileiros. Apesar disso, o mercado global, principalmente na África e Ásia, está crescendo devido a procura por abrir o mercado.

A Taurus é a principal responsável pela posição de destaque do Brasil no setor de armas leves. Mais de 80% do faturamento da empresa vem das exportações. Nos primeiros seis meses de 2019, obteve uma receita líquida de R$ 480,1 milhões, sendo R$ 408,9 milhões do mercado externo.

A empresa, inclusive, venceu o 47º Prêmio Exportação, da Associação dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil (ADVB/RS), na categoria Trajetória Exportadora Master. A premiação é a principal do Estado para incentivar o comércio exterior e a Taurus figurou em 2018 entre as empresas gaúchas que obtiveram os melhores resultados e desenvolveram estratégias para comercializar seus produtos no mercado internacional.

quarta-feira, setembro 11, 2019

ABIMDE está na DSEI com empresas brasileiras


http://bit.ly/2I3dszV

DefesaNet - 11/09/2019

A ABIMDE (Associação das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) está na DSEI 2019 (Defense and Security Equipment International), um dos mais importantes eventos de defesa e segurança do mundo, que acontece até 13 de setembro, em Londres.

O Pavilhão Brasil conta com a presença de 11 empresas associadas, situado na área N10-200 da exposição. São elas  - Atech – Grupo Embraer, Berkana, Cecil, Emgepron, Kryptus, Logsub, M&K, Omnisys, Polydefensor, Protecta, Simtech. Outras empresas associadas estarão no evento em estandes próprios - CBC, Condor, Embraer, Macjee e Taurus.

Veja a íntegra aqui.

Soluções brasileiras de segurança e defesa em feira de Londres

 
http://bit.ly/2UOzr2M

Apex-Brasil - 11/09/2019 http://bit.ly/2UOzr2M

Ao todo, 15 empresas brasileiras vão participar da DSEI 2019 (Defence & Security Equipment International), de 10 a 13 de setembro em Londres.

As empresas Atech, Berkana, Cecil, Emgepron, Kryptus, Logsub, M&K, Omnisys, PolyDefensor, Protecta e Simtech vão apresentar produtos como sistemas de inteligência, segurança cibernética, soluções em reconhecimento facial, tecnologias de gerenciamento de projetos estratégicos, serviços relacionados aos segmentos de negócio do mar, logística, controle de tráfego aéreo, hardware para aeronaves espaciais, soluções de defesa, segurança e entretenimento de bordo, consultoria especializada, entre outros. A participação é organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e pela Embaixada do Brasil em Londres. Além das onze empresas que integram o pavilhão organizado pela Agência, participam da feira, de forma individual, quatro grandes companhias nacionais: Mac Jee, Taurus, CBC e Condor.

Veja a íntegra aqui.

Avibras - Programa ASTROS 2020, Míssil Tático de Cruzeiro e Foguete Guiado SS-40G


http://bit.ly/2I2foZr

Escritório de Projetos do Exército Brasileiro

Com início no ano de 2012 e previsão de término em 2023, o Programa ASTROS 2020 contempla, em seu escopo, projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D), de aquisição e de modernização de viaturas do Sistema ASTROS e de construções de instalações de organizações militares.

Na área de P&D encontram-se os projetos de desenvolvimento do Míssil Tático de Cruzeiro (MTC) de 300 Km e do Foguete Guiado SS-40G, ambos contratados junto à empresa AVIBRAS e executados em parceria com o Exército Brasileiro (EB), bem como o Sistema Integrado de Simulação ASTROS (SIS-ASTROS), desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Veja a íntegra aqui.

Governo articula novo banco para indústria de defesa

Marcos Degaut: "Oferecer o portfólio de serviços financeiros que bancos privados poderiam oferecer, mas não oferecem".

Valor Econômico - 11/09/2019 

O governo articula a criação de um novo banco para atender à indústria de defesa com empréstimos, garantias e seguros de crédito à exportação. A instituição ainda não tem nome definido, mas é chamada extraoficialmente de Banco de Defesa Nacional.

Veja a íntegra aqui.

quinta-feira, setembro 05, 2019

Uma arma de fogo é registrada a cada 35 minutos em Santa Catarina em 2019


NSC Total - 05/09/2019

Com leis mais brandas, Estado já tem neste ano cerca de 9 mil novas armas autorizadas, mais do que a soma dos registros feitos em 2017 e 2018

Desde que as novas regras para a posse de armas de fogo no Brasil entraram em vigência, no começo do governo Jair Bolsonaro (PSL), o número de armas registradas em Santa Catarina aumentou e alcançou índices inéditos. No período em que há dados disponíveis da Polícia Federal (PF), de 1997 em diante, nunca tantos novos registros foram feitos em um ano no Estado. Em 2019, até o dia 31 de julho, em média 42 armas foram autorizadas pela PF em SC por dia — o equivalente a um novo registro a cada 35 minutos.

Ao todo, nos primeiros sete meses de 2019 a Polícia Federal registrou 8.968 novas armas de fogo no Estado. O número, mesmo a cinco meses do fim do ano, é o maior até hoje e é superior à soma de todos os registros concedidos em 2017 e 2018 (quando a PF autorizou cerca de 3,5 mil armas por ano).

Leia a íntegra neste link.

Matéria relacionada: Aumenta a procura no Clube de Tiro de Mogi das Cruzes | O Diário de Mogi

Taurus entrega armas para o Comando do Exército em Brasília



http://bit.ly/2HOJfVk

Tecnodefesa - 05/09/2019

A Taurus realizou nesta quarta-feira (04), em cerimônia no Espaço Duque de Caxias, do salão de Honra do Gabinete do Comandante do Exército, em Brasília, a entrega oficial de armamentos destinados à Seção de Segurança do Comandante do Exército.

Veja a íntegra no link.

quarta-feira, setembro 04, 2019

Em reunião na Apimec, Taurus apresenta a "nova" empresa e suas excelentes perspectivas


https://youtu.be/8KAJjg3yca0

Em reunião com analistas, consultores e investidores acontecida na Apimec-SP no dia 30 de agosto, a Taurus Armas S.A. realizou uma clara, objetiva, esclarecedora e agradável apresentação, detalhando a reengenharia radical está transformando a indústria gaúcha de armamentos em uma poderosa e conceituada multinacional do setor.

Em consequência, após seis anos de prejuízos, a companhia chegou à metade do ano de 2019 com muito a comemorar pelos bons resultados conquistados pelo sexto trimestre consecutivo, o que a levou a acumular lucro líquido de R$ 47,6 milhões nesse semestre. No período, a venda de novos produtos foi responsável por 57,1% da receita com a venda de armas ou 56,5% da receita líquida total da empresa.

Com crescimento da receita, manutenção dos custos sob rígido controle e redução das despesas operacionais, no 2º trimestre a Taurus registrou geração operacional de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para receita antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 56,4 milhões, levando o indicador a totalizar R$ 94,9 milhões no 1S19, o melhor resultado para o indicador desde 2011.

Os resultados desses primeiros seis meses do ano validam o trabalho que vem sendo empreendido para renovar e reinventar a Taurus, imprimindo novo padrão de desempenho. As mudanças realizadas se confirmam como sólidas e sustentáveis. Em termos de receita, lucro bruto, resultado operacional, Ebitda e resultado líquido, a empresa teve o melhor desempenho para um primeiro semestre dos últimos anos.

Perspectivas excelentes
Já no final da apresentação, o presidente Salesio Nuhs comentou sobre as excelentes perspectivas da empresa.

Com relação à possível joint venture com uma empresa indiana, o executivo afirmou que o negócio só depende agora de um processo licitatório que está sendo realizado por esse país, e que o grande trunfo da Taurus é ter como parceira uma grande empresa do ramo metalúrgico da Índia, com atuação internacional. Comentou também sobre os impressionantes números do mercado indiano: são mais de 1,3 milhão de homens e mulheres a serviço da nação e cerca de 7 milhões de agentes de segurança particulares.

Salesio também está muito otimista com o mercado nacional após a flexibilização referente às armas e munições permitidas, pois a população agora, caso queira, terá acesso a quase todo o moderno mix de armamentos da Taurus. Disse ainda que, para a Taurus, o importante é a "posse" e não o "porte", pois é aquela que permite a aquisição de novas armas.

No tocante à nova fábrica da empresa nos Estados Unidos, recentemente inaugurada, o presidente afirmou que o fato é muito significativo, pois ela dobrará a produção de armas no país que é maior consumidor mundial de armamento leve. Disse ainda que a empresa está sendo alvo também de uma reestruturação sob a égide da Galeazzi & Associados.

Comentou, por fim, que está em curso um grande negócio em Angola.

Agrale fornece novo lote de Marruá para a Argentina

http://bit.ly/2HLHCb2

Tecnodefesa - 04/09/2019 

A Agrale realizou recentemente a entrega de mais um lote de viaturas Agrale Marruá para Gendarmeria Nacional Argentina.

Os veículos serão usados para reforçar as patrulhas nas áreas de fronteira e em locais de difícil acesso, como em terrenos lamacentos, cobertos de neves, íngremes, entre outros que fazem parte do relevo daquele país.

Veja a íntegra no link.


Weg anuncia aquisição de 51% da PPI-Multitask



Revista Amanhã - 03/09/2019

A Weg comunicou nesta terça-feira (3) que assinou um acordo para a aquisição do controle do grupo PPI-Multitask, especializado em Integração de Sistemas de Automação Industrial, IIoT (Industrial Internet of Things) e softwares industriais.

A Weg é uma das empresas brasileiras classificada como Empresa Estratégica de Defesa.

Veja a íntegra na Revista Amanhã.

terça-feira, setembro 03, 2019

Taurus realiza novos negócios em Honduras



Jornal Dia a Dia - 26/08/2019

A Taurus, uma das maiores fabricantes de armas leves do mundo, segue firme com a estratégia de avançar no mercado internacional e este mês fechou novos negócios com um grande distribuidor de Honduras. O mercado hondurenho adquiriu 1.300 armas, entre pistolas da série Hammer, modelo TH9, e da série Striker modelo TS9, especialmente desenvolvida para o mercado policial e militar.

No primeiro semestre deste ano, a receita de exportações obtida pela Taurus totalizou R$ 408,9 milhões. Contatos e esforços comerciais estão sendo empreendidos no sentido de desenvolver novos mercados para os produtos da Companhia, buscando ampliar a diversificação geográfica das vendas.

domingo, setembro 01, 2019

Chinesa Dahua Technology compra 10% do capital da Intelbras

https://ipnews.com.br/chinesa-dahua-technology-compra-10-do-capital-da-intelbras/

IPNews - 27/08/2019

Iniciativa visa consolidar a Intelbras como um importante player de segurança eletrônica no Brasil, mercado que tem movimentado negócios anuais da ordem de R$ 6 bilhões.

Postagem em destaque