Pesquisar este portal

12 julho, 2024

Novos portais da Taurus na Internet refletem o atual momento da empresa, focado em Tecnologia e Inovação


*LRCA Defense Consulting - 12/07/2024

Já estão no ar os novos portais da Taurus, Empresa Estratégica de Defesa brasileira e maior fabricante de armas leves do mundo, com visual totalmente renovado.

Os portais Institucional, de Relação com Investidores e de Vendas estão mais dinâmicos, interativos e de fácil navegação, com uma interface prática e intuitiva. O design moderno segue a identidade visual da marca, que representa força e vigor, e reflete o atual momento da empresa, focado em Tecnologia e Inovação. 

As plataformas online são totalmente responsivas, ou seja, adaptam-se automaticamente a diferentes tamanhos e formatos de tela, em computadores, celulares e tablets. 

Os aperfeiçoamentos realizados refletem o compromisso da Taurus em proporcionar a melhor experiência digital aos usuários no acesso às informações relevantes da Companhia e de seus produtos. 

“Os novos sites da Taurus, mais modernos e completos, vêm ao encontro das nossas políticas de transparência e investimento em inovação e tecnologia, assim como de uma gestão mais próxima dos nossos consumidores e parceiros. O relacionamento por meio das plataformas digitais é uma ferramenta estratégica de gestão de suma importância. Com isso, buscamos desenvolver ambientes que proporcionem aos usuários mais praticidade no acesso às informações. Agora temos websites modernos, responsivos e com ferramentas avançadas que facilitam as atualizações”, afirma Salesio Nuhs, CEO Global da Taurus. 

Para conhecer os novos portais da Taurus acesse: 

Institucional https://taurusarmas.com.br

Relações com Investidoreshttps://ri.taurusarmas.com.br

Portal de vendas  – https://loja.taurusarmas.com.br (para produtos controlados; acesso restrito e exclusivo a consumidores: militares, policiais, caçadores, atiradores esportivos e outras categorias autorizadas pela legislação)

11 julho, 2024

Embraer e TAI assinam MoU para centro de manutenção na Tailândia, incluindo C-390 e ERJ 135/ERJ 145 no futuro


*Defense Studies - 11/07/2024

A Thai Aviation Industries Co. Ltd (TAI), representada pelo seu Diretor Executivo, Marechal-do-Ar Phibun Worawanpreecha, assinou um Memorando de Entendimento (MoU) para o desenvolvimento de cooperação empresarial com a Embraer Defesa & Segurança, em 02 de abril de 2024, no Brasil, para aumentar as capacidades e desenvolver habilidades para se tornar um centro de Manutenção, Reparo e Revisão (MRO) para aeronaves fabricadas pela Embraer Defesa & Segurança, incluindo aeronaves de transporte C-390 Millennium e ERJ 135/ERJ 145 no futuro.

A Embraer Defesa & Segurança também visitou as instalações da TAI na Ala 4 da Base Aérea Real Tailandesa de Takhli, na Província de Nakhon Sawan, Tailândia, em 27 de maio de 2024.

Já existem agências governamentais tailandesas que são usuárias de aeronaves fabricadas pela Embraer, incluindo a aeronave de aviação geral ERJ 135 LR do Exército Real Tailandês e a aeronave de transporte ERJ 135 LR do Esquadrão 201, Ala 2, Marinha Real Tailandesa. O estabelecimento de um centro de Manutenção, Reparo e Revisão (MRO) na Tailândia beneficiará muito a indústria de aviação tailandesa.

A assinatura do Memorando de Entendimento (MOU) e a visita ao Centro de Manutenção de Aeronaves Takhli, Ala 4, mostram que a Embraer Brasil vê oportunidades para sua aeronave de transporte C-390 Millennium com a Força Aérea Real Tailandesa.

No entanto, o mais recente White Paper 2024 da Royal Thai Air Force não fornece detalhes sobre o projeto para adquirir uma nova aeronave de transporte para substituir o C-130H. Há também um projeto para melhorar as capacidades do C-130H Fase 3. Isso faz parecer que ainda não há nenhum sinal indicando que haverá um projeto para adquirir uma nova aeronave de transporte em breve.

Na Câmara, armas e munições ficam fora do Imposto Seletivo da reforma tributária


*LRCA Defense Consulting - 11/07/2024

A Câmara dos Deputados concluiu, no último dia 10, a votação do projeto que regulamenta a reforma tributária (Projeto de Lei Complementar 68/24), com várias mudanças em relação ao projeto original, de autoria do Poder Executivo. A proposta será enviada ao Senado. 

O projeto regulamenta diversos aspectos da cobrança do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), da Contribuição Social sobre Bens e Serviços (CBS) e do Imposto Seletivo (IS), que substituirão o PIS, a Cofins, o ICMS, o ISS e parcialmente o IPI.

São definidos os percentuais de redução para vários setores e produtos, além de benefícios tributários, como crédito presumido, reduções de base de cálculo, imunidades, isenções e outros incentivos. A proposta também prevê a devolução de tributos para consumidores de baixa renda (cashback).

Armas e munições
Outra emenda que provocou debates, de autoria da deputada Erika Hilton (Psol-SP), pretendia incluir armas e munições no Imposto Seletivo e foi rejeitada pelo Plenário por 316 votos a 155.

Na votação da emenda constitucional da reforma tributária, 293 deputados votaram a favor de incluir as armas nesse imposto e 178 foram contra, mas o quórum necessário era de 308.

Com a extinção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) prevista para 2027, certos produtos com alíquotas maiores deverão ter a perda de arrecadação compensada pela alíquota do IBS e da CBS. Armas e munições terão tributação total de consumo menor que a atual: 55% a menos com o fim do IPI.

Desde outubro de 2023, o governo federal restabeleceu a alíquota do IPI de armas para 55%. Segundo estimativas do Executivo, a medida tem potencial de arrecadação da ordem de R$ 1,1 bilhão de 2024 a 2026.

Como as armas e munições não serão considerados produtos prejudiciais à saúde humana, será possível inclusive que beneficiários da devolução de tributos (cashback) obtenham a devolução de 20% das alíquotas de CBS/IBS incidentes. 

Outros produtos com IPI mais alto, como automóveis, cigarros e bebidas terão o IPI parcialmente compensado pelo Imposto Seletivo por serem considerados bens prejudiciais ao meio ambiente.

No entanto, além de armas e munições, também serão beneficiados com redução de carga os perfumes (42% de IPI) e os aparelhos de ar-condicionado (13% a 35%). 

*Com informações da Agência Câmara

...

Azorra fecha financiamento de US$ 450 milhões do banco brasileiro BNDES


*Aviation Business News - 11/07/2024

A Azorra fechou uma linha de financiamento de US$ 450 milhões com o Banco Brasileiro de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Após garantir uma linha de financiamento inicial de US$ 150 milhões obtida em dezembro de 2023, o arrendador fechou hoje a linha de financiamento restante de US$ 300 milhões.

A facilidade forneceu financiamento de dívida para a carteira de pedidos do Embraer E2 da Azorra e está disponível para financiar até 15 aeronaves. A Azorra já financiou novas entregas de aeronaves para a Royal Jordanian, Azul e Scoot.

Claudia Ziemer, SVP of Finance da Azorra, diz: “O apoio financeiro do BNDES tem sido fundamental para darmos suporte às companhias aéreas globalmente com seus esforços de modernização de frota. Nossa segunda parcela de US$ 300 milhões em financiamento nos ajudará a continuar esse momento e expandir nossa pegada.”

WEG fornece a primeira subestação móvel digital no mercado brasileiro


*LRCA Defense Consulting - 11/07/2024

As subestações móveis WEG são soluções utilizadas tanto em situações preventivas, quanto emergenciais, e/ou para manutenção, pois essa solução permite, por exemplo, o restabelecimento de energia com maior agilidade ao consumidor final, no caso de falha de transformadores de potência, energização de obras prioritárias, atendimento de cargas sazonais em eventos entre outros projetos.

Neste fornecimento, a WEG ofereceu o que há de mais inovador e tecnológico no mercado, implantou o conceito de subestações digitais através de duas unidades conversoras (Merging Units), o que garante segurança na disponibilização dos dados digitalizados e compartilhamento com outros equipamentos do sistema de proteção e controle. Este é um ecossistema que conecta e integra equipamentos e sensores, capaz de coletar e armazenar dados, transformando-os em informações que possibilitam a proteção, o controle, o monitoramento e a automatização de operações, por meio de análises em tempo real.

A subestação móvel fornecida, é composta por um transformador com capacidade de 25 MVA, configurado para tensões primárias de 138 kV ou 69 kV, e secundárias de 34,5 kV ou 13,8 kV. Essa versatilidade permite o transformador desempenhar funções em diversas configurações atendendo várias subestações da rede de energia elétrica da Energisa, assegurando o atendimento seguro e rápido de acordo com suas necessidades particulares.

Quando o assunto são Soluções Móveis, a WEG possui uma equipe de engenheiros e técnicos altamente especializados em todos os processos, desde concepção, construção e assessoramento técnico. Desse modo, a WEG garante o melhor atendimento, tanto na fase de desenvolvimento do produto quanto no acompanhamento e pós-venda.



 

OGMA, do Grupo Embraer, recebe visita da Embaixadora da Suécia em Portugal


*LRCA Defense Consulting - 11/07/2024

A OGMA, empresa portuguesa do Grupo Embraer, recebeu hoje (11) a visita da Embaixadora da Suécia em Portugal, Elisabeth Eklund, acompanhada por Rickard Strandberg, Encarregado de Assuntos Políticos da Embaixada da Suécia.

Os visitantes foram recebidos pelo CEO da OGMA, Paulo Monginho, e após uma apresentação institucional, foi feita uma visita às instalações da empresa, nomeadamente às áreas de manutenção de aeronaves e motores e aeroestruturas.

A visita chama a atenção pelo fato de a Embraer possuir estreita relação com a gigante sueca Saab, estando ambas empenhadas em oferecer a aeronave de transporte tático multimissão C-390 Millennium à Força Aérea Sueca, a fim de substituir seus antigos Hercules C-130H. Lembrando que partes importantes desta aeronave são fabricadas nas instalações da OGMA. 

A Embraer e a Saab trabalham como parceiras desde 2014, quando o governo brasileiro assinou o contrato para fornecer à Força Aérea Brasileira 36 aeronaves Gripen, que incluíam não apenas a aeronave, mas também apoio logístico, sistemas de apoio, simuladores, treinamento e desenvolvimento.

Por meio de um memorando de entendimento assinado em 2023, ambas as empresas reafirmaram sua colaboração, incluindo então a promoção do C-390 Millennium como a solução preferida para atender aos requisitos de transporte aéreo tático da Força Aérea Sueca. 

Saiba mais:
- Suécia se aproxima da decisão do sucessor da frota veterana do Hércules. Embraer C-390 é forte candidato

Embraer Defesa e Segurança transformará viaturas Agrale Marruá para uso em Projeto de Sensoriamento do EB


*LRCA Defense Consulting - 11/07/2024

O Programa Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON, integrante do PAC do Governo Federal, adquiriu 109 Viaturas de Transporte Não Especializadas Marruá da empresa gaúcha Agrale S.A., que estão armazenadas na Companhia de Suprimento do Batalhão de Suprimento e no Arsenal de Guerra de São Paulo. Estas viaturas serão entregues à Embraer Defesa & Segurança para transformação, atendendo cronograma contratual firmado entre o Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército e a empresa.

Na semana de 01 a 04 de julho de 2024, a 2ª Região Militar e o Arsenal de Guerra de São Paulo apoiaram a entrega de 18 viaturas, cumprindo três etapas do cronograma.

Essas viaturas serão transformadas em Viaturas Especializadas de Comunicações pelas empresas Iturri Brasil e RF COM Sistemas Ltda., subcontratadas da Embraer Defesa & Segurança, sendo então destinadas ao Projeto de Sensoriamento e Apoio à Decisão 2 do Sistema de Comando e Controle do Comando Militar do Oeste. 

*Com informações do CPEx.

10 julho, 2024

WEG e Nova SMAR assinam MoU para acelerar o desenvolvimento de tecnologias abertas para sistemas de automação de processos industriais


*LRCA Defense Consulting - 10/07/2024

A WEG, líder global em equipamentos eletroeletrônicos, e a Nova SMAR, referência em sistemas de automação industrial, assinaram um Memorando de Entendimento para acelerar o desenvolvimento e a adoção de tecnologias abertas na automação das indústrias.

A parceria entre WEG e SMAR S.A busca desenvolver componentes aptos ao O-PAS (Open Process Automation Standard), que é o conjunto de padrões desenvolvido pela OPAF (Open Process Automation Forum) que visa promover a interoperabilidade, flexibilidade, portabilidade, hardware intercambiável, redução de custos e inovação nos sistemas de controle de processos industriais.

A iniciativa utilizará a capacidade de desenvolvimento de hardwares eletrônicos da WEG e a plataforma aberta WEGnology para nuvem e borda, que é uma referência em tecnologia aberta e low-code de desenvolvimento, juntamente com a arquitetura do sistema de automação híbrida SYSTEM302 da Nova SMAR.

"Estamos muito motivados para introduzir no Brasil os conceitos de interoperabilidade da O-PAS para a indústria de processos integrados a nossa plataforma WEGnology. Possuímos uma linha completa de hardwares e softwares para este segmento e, com esta tecnologia ainda em seu início, podemos ajudar a guiar a indústria para uma eficiência ainda maior, explorando a liberdade dos sistemas abertos", afirma Carlos Grillo, Diretor Superintendente da WEG Digital e Sistemas.

“A Nova Smar reafirma seu pioneirismo na introdução de novas tecnologias abertas no setor de automação industrial por meio de suas contribuições na definição, validação e disseminação das especificações do Open Process Automation Forum. Estamos entusiasmados em unir força com a WEG para fornecermos tecnologia genuinamente brasileira para promover a transformação digital do setor industrial mundial”, garante Libanio Carlos de Souza, Diretor Presidente da Nova Smar S.A.

Sobre a Nova SMAR
A Nova SMAR é uma empresa brasileira reconhecida mundialmente por suas soluções inovadoras em sistemas de automação industrial. A empresa desenvolve, fabrica e comercializa Instrumentos, Controladores, hardware and software para medição, controle, operação e gestão da manutenção de ativos. Fornece serviços que ajudam a otimizar a eficiência e produtividade das indústrias tais como: Projeto, Teste de Aceitação de Fábrica, Teste de Aceitação em Campo, Teste de Integração em Campo, Comissionamento, Partida, Certificação de Rede e Assistência Técnica. 

Embraer chegará com forte presença no Farnborough Airshow


*LRCA Defense Consulting - 10/07/2024

A Embraer chegará com uma forte presença no Farnborough International Airshow, o evento de aviação e aeroespacial mais significativo do ano, programado para acontecer de 22 a 26 de julho. No evento, a Embraer estreará o novíssimo E-Freighter, o E190F, marcando sua primeira aparição pública. A empresa está atualmente vivenciando um momento muito positivo em todos os negócios, ao começar a comemorar seu 55º aniversário.

A programação da Embraer na feira destaca seu portfólio líder de aeronaves para aviação comercial e defesa, que inclui o E195-E2, o narrowbody mais eficiente e silencioso do mundo; o E190F, uma conversão de E-Jet de carga que está fazendo sua estreia na feira; o transporte tático militar multimissão C-390 Millennium; e a aeronave multifuncional A-29 Super Tucano, o padrão ouro para uma ampla gama de missões, como ataque leve, vigilância e interceptação aérea e contrainsurgência.

O C-390 Millennium e o E195-E2 também participarão da exibição de voo.

O E190F, que realizou seu voo inaugural no início deste ano, é um jato de passageiros convertido em um cargueiro (E-Freighter). Os cargueiros E-Jets (E190F e E195F) foram lançados em 2022 para atender às demandas em mudança do comércio eletrônico e do comércio moderno, que exigem entregas rápidas e operações descentralizadas.

“Tenho certeza de que este será outro grande show aéreo para a Embraer. Farnborough é o palco principal da indústria da aviação, e estamos ansiosos para nos encontrar com nossos clientes, parceiros e muitos outros stakeholders ao darmos início às comemorações do nosso 55º aniversário”, disse Francisco Gomes Neto, Presidente e CEO da Embraer. “A Embraer está vivenciando um momento muito positivo, crescendo de forma lucrativa por meio da execução de nossa estratégia de negócios.”

Dentro do chalé da Embraer (#C-105), os visitantes terão a chance de conhecer mais de perto diversas atividades relacionadas à inovação, novas tecnologias e o roteiro da empresa para a aviação sustentável, como a aeronave conceito Energia Family. Além disso, a Eve Air Mobility apresentará atualizações sobre o desenvolvimento de seu veículo elétrico de decolagem e pouso vertical (eVTOL) e o software de gerenciamento de tráfego aéreo urbano Vector, incluindo um modelo de cabine eVTOL em tamanho real e uma experiência de voo de realidade virtual (VR) exclusiva.

As atividades de mídia da Embraer na FIA2024 incluem:


• Coletiva de imprensa: Eve Air Mobility – 10h do domingo, 21 de julho, no chalé da Embraer

• Coletiva de imprensa: Embraer Defesa & Segurança – 14h de segunda-feira no chalé da Embraer

• Coletiva de imprensa: Principal Coletiva de Imprensa da Embraer – 13h da terça-feira, 23 de julho, no chalé da Embraer. Apresentada pelo CEO, Francisco Gomes Neto

• Visitas guiadas à aeronave para a imprensa estão disponíveis às segundas e terças-feiras às 15h e às quartas e quintas-feiras às 10h e 15h – Ponto de encontro: chalé da Embraer

09 julho, 2024

Embraer KC-390 Millennium: eficácia, agilidade e precisão no combate aos incêndios no Pantanal


*Agência Força Aérea - 09/07/2024

Atuando desde o dia 28/06 no combate aos incêndios no Pantanal, a Força Aérea Brasileira (FAB), por meio do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) – Esquadrão Zeus – está realizando missões do Comando Conjunto da Operação Pantanal com a aeronave KC-390 Millennium, equipada com o Sistema Modular Aerotransportável de Combate a Incêndios (MAFFS, do inglês Modular Airborne Fire Fighting System), para minimizar os impactos neste importante bioma brasileiro.

O MAFFS, instalado no compartimento de carga do KC-390 Millennium, permite que a aeronave projete até 12.000 litros de água ou retarde em áreas de incêndios, oferecendo maior precisão e eficácia. Este sistema pode ser instalado rapidamente e requer apenas energia elétrica da aeronave, permitindo operações a baixa altitude e velocidade, sem comprometer o desempenho do avião. A FAB coordena suas ações com o Corpo de Bombeiros e outras agências para otimizar o combate aos incêndios no Pantanal.


 

08 julho, 2024

Real Força Aérea da Holanda poderá ser a nova operadora do Embraer A-29N Super Tucano


*LRCA Defense Consulting - 07/07/2024

Após Portugal ter confirmado que irá adquirir o Embraer A-29N Super Tucano para equipar sua Força Aérea, comenta-se nos meios especializados que a Real Força Aérea da Holanda seria o próximo cliente interessado na versão OTAN da aeronave. O objetivo seria o de substituir seus 13 treinadores Pilatus PC-7, todos com mais de 36 anos de uso. Recorde-se que, em maio do ano passado, Bosco da Costa Junior, CEO da Embraer Defesa & Segurança havia colocado Portugal e Holanda como possíveis clientes.

Essa aquisição poderia fechar um "pacote C-390 e A-29N", onde a Real Força Aérea Holandesa teria aeronaves de transporte tático e de treinamento (além de ataque leve, reconhecimento/vigilância e antidrone)  de um mesmo fabricante, facilitando enormemente a questão logística.

A se confirmarem as aquisições de Portugal e da Holanda, o A-29N teria portas abertas para os demais membros da OTAN, especialmente aqueles que já adquiriram o C-390.

Corroborando essa possibilidade, em 30/11/2023, a Embraer e a Netherlands Industries for Defense & Security (NIDV) assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) que passou a ser um "elemento-chave no relacionamento estratégico desenvolvido entre a Embraer e a Holanda e incluiu iniciativas já em curso, associadas ao C-390 Millennium e ao A-29 Super Tucano".

O Memorando de Entendimento com a NIDV somou-se às parcerias e aos relacionamentos estratégicos da Embraer no país. Além disso, o acordo estabeleceu uma estrutura conjunta destinada a explorar oportunidades futuras, alinhadas com as prioridades da Estratégia da Indústria de Defesa da Holanda.

Essas oportunidades poderiam incluir serviços e desenvolvimento de novas capacidades dentro dos projetos já existentes da Embraer, contribuindo ainda mais para a aplicação de conhecimento em defesa, tecnologias e capacidades industriais no país. Um dos principais objetivos foi reforçar a participação da indústria holandesa na cadeia de suprimentos do C-390.

“A colaboração com a Embraer é importante para a NIDV e seus membros. A Embraer é uma fabricante voltada para o futuro, com um forte foco em inovação e novas ideias para contribuir com a prontidão operacional de suas plataformas. Estou convencido de que a Embraer agrega valor à Base Industrial e Técnica de Defesa da Holanda”, afirmou Hans Huigen, Diretor do NIDV.

“Estamos satisfeitos em aprofundar a nossa parceria com a NIDV.  Estamos confiantes de que as estratégias de colaboração deste MoU trarão mais valor ao ecossistema holandês de defesa e segurança, incluindo institutos de pesquisa e a comunidade empresarial em diferentes setores”, declarou Bosco da Costa Junior.

As contribuições da NIDV aprofundaram a colaboração da Embraer com a base técnica e industrial de defesa da Holanda, que por sua vez estão alinhadas com as diretrizes do Ministério da Economia e Política Climática do país. A parceria foca no desenvolvimento de soluções inovadoras em defesa e no apoio à plataforma multimissão C-390 Millennium. Este acordo está alinhado com vários outros Memorandos de Entendimento em vigor, envolvendo parceiros tecnológicos e industriais como Fokker Services Group e MultiSIM, e institutos de pesquisa como o Royal Dutch Aerospace Centre (Royal NLR) e a Netherlands Organization for Applied Scientific Research (TNO).

Desde 2005, a Embraer está inserida em diversos projetos de pesquisa e desenvolvimento na Europa, reunindo universidades e indústrias para desenvolver soluções tecnológicas e contribuir para acelerar a inovação na indústria aeroespacial. Para promover ainda mais essa missão, a Embraer-X, subsidiária de inovação disruptiva da Embraer, fortaleceu essa jornada colaborativa ao abrir um escritório no Aerospace Innovation Hub@TUD, no TU Delft Campus.

07 julho, 2024

Em nova entrevista, CEO da Taurus divulga mais informações relevantes; Shot Fair já se mostra um divisor de águas


*LRCA Defense Consulting - 07/07/2024

O estrondoso sucesso da edição 2024 da Shot Fair Brasil, realizada pela primeira vez, acertadamente, no Distrito Anhembi em São Paulo (SP), de 03 a 06 de julho, e a maciça adesão dos lojistas ao novo calibre .38 TPC já estão se configurando como o grande divisor de águas para o mercado brasileiro de armas leves e munições nos últimos anos.

Em mais uma das várias entrevistas que concedeu no evento, além da palestra que realizou, o CEO Global da Taurus Armas S.A., Salesio Nuhs, desta feita no canal de Samuel Cout, trouxe a público outras novidades relevantes além das já divulgadas na matéria publicada ontem (06) sob o título "Em entrevista, CEO da Taurus faz importantes revelações sobre as estratégias da empresa".

Exportações
Com relação às exportações de armas e munição nesse novo calibre, para além dos Estados Unidos, Salesio afirmou que Itália, Argentina, México e Guatemala já fizeram pedidos, pois também têm restrições legais e a novidade seria totalmente adequada para os respectivos mercados. Porém, tais pedidos só serão despachados quando o mercado brasileiro estiver já abastecido, o que não ocorrerá agora, dada à grande quantidade de pedidos feitos por lojistas brasileiros na Shot Fair.

GX4 e G3c já homologadas
Tratando sobre outras armas no novo calibre, o CEO declarou que mais duas do portfólio da Taurus, a pistola microcompacta GX4 e a compacta G3c, já se encontram homologadas e que, em breve, estarão disponíveis aos consumidores brasileiros e internacionais.

Menor custo, permanente e motivo de orgulho para o Brasil
Salesio deixou claro que é um compromisso pessoal o fato de as armas e a munição no calibre .38 TPC terem um custo menor que as no calibre 9mm. 

Afirmou ainda que este novo calibre, intermediário entre o .380 e o 9mm, veio para ficar e se tornará um motivo de orgulho para o Brasil, que passará a ter um calibre desenvolvido aqui mas de uso também no mercado mundial, como foram S&W, Makarov, Magnun, Winchester, Remington, FN, SIG, Luger e tantos outros no mundo. Além disso, segundo ele, foi feito um grande investimento para desenvolver e concretizar a iniciativa, não sendo lógico e nem justo para com os 119 mil acionistas da empresa tirá-lo de linha posteriormente.

 



06 julho, 2024

Embraer e governo estariam em campanha para vender caças Gripen à Colômbia, em negócio de US$ 3 bilhões


*LRCA Defense Consulting - 06/07/2024

Segundo o boletim Relatório Reservado informou hoje (06), a direção da Embraer e o próprio governo brasileiro estão irmanados em uma tour de force junto ao presidente da Colômbia, Gustavo Petro.

Na área de Defesa, há informações de que a companhia, com o auxílio do Itamaraty, teria aberto conversações com autoridades colombianas para a venda dos caças que vão substituir 16 aeronaves Kfir da Força Aérea local. Em jogo, um negócio que pode chegar a US$ 3 bilhões.

A Embraer fala por si e pela sueca Saab, sua parceira. A operação envolveria o fornecimento dos aviões Gripen montados pela dupla em Gavião Peixoto (SP).

Ainda segundo o Relatório Reservado, a influência do governo Lula junto a Gustavo Petro, um de seus principais aliados na América Latina, é um trunfo importante da dobradinha Embraer/Saab. Trata-se de uma disputa comercial, mas, antes de tudo, uma concorrência de ordem geopolítica. Israel era um forte candidato ao negócio – o Kfir (“leãozinho” em hebraico) foi fabricado pela Israel Aircraft Industries. No entanto, a não ser que aconteça uma reviravolta, o país é carta fora do baralho. 

Embora o Gripen brasileiro possua aviônicos fabricados por empresas brasileiras com capital israelense e as relações entre Colômbia e Israel estejam rompidas desde maio passado, esta Consultoria (LRCA) acredita que isso não seja motivo para que nenhuma das duas partes coloque obstáculos no negócio.

Israel, além de ser um país pragmático em suas vendas de Defesa, tem interesse em manter as profundas relações com o Brasil nessa área. Apenas como exemplos, o nosso País está em processo de aquisição de 36 obuseiros autopropulsados sobre rodas ATMOS 155mm da israelense Elbit Systems, vencedora da licitação internacional realizada. A Elbit Systems também intermedeia a venda de blindados brasileiros Guarani para o exterior, colocando torres e uma série de subsistemas da empresa; recentemente, a empresa israelense Rafael Advanced Defense Systems forneceu ao Brasil um lote de 100 mísseis anticarro Spike.

A Colômbia, apesar dos problemas com Israel, teria todo o interesse nos modernos e avançados caças Gripen da Saab/Embraer, haja vista que seriam produzidos em um país vizinho e com governo ideologicamente alinhado, com todas as facilidades logísticas que essa proximidade física significa. Caso contrário, só lhe restaria apelar para as distantes e complicadas China e Rússia (e, talvez, Coreia do Sul), já que, por uma questão ideológica, dificilmente se inclinaria por aeronaves americanas, como o badalado F-16, ou europeias, como o Rafale e o Eurofighter Typhoon.

Em entrevista, CEO da Taurus faz importantes revelações sobre as estratégias da empresa


*LRCA Defense Consulting - 06/07/2024

Em entrevista ao Portal do Atirador, realizada ontem (05) durante a Shot Fair Brasil 2024, o CEO Global da Taurus Armas S.A., Salesio Nuhs, revelou grandes novidades sobre o assunto do momento para a empresa: o novo calibre .38 TPC.

Apesar de este ter sido desenvolvido em virtude das restrições políticas do atual governo brasileiro ao calibre 9mm, a Taurus e a CBC fizeram "do limão, a limonada" e criaram um novo e promissor negócio para as duas empresas, em mais uma demonstração da característica de antifragilidade que as permeia.

Salesio explicou que o calibre .38 TPC não foi criado para substituir o 9mm, já que em algum momento do futuro ele retornará; a empresa conta com isso e continua lutando por seu retorno no cenário nacional. 

Explicou que se trata de um novo calibre que veio para ficar e que é quase tão potente quanto o 9mm, mas com muito menos recuo, o que o torna cobiçado por quem gosta de uma arma mais "mansa", mas sem perda de eficiência para defesa ou tiro esportivo, como é o caso de uma grande parte do segmento feminino e de pessoas de mais idade nos Estados Unidos.

O CEO Global da Taurus revelou que o calibre .38 TPC possui dimensões únicas, o que possibilitou à Taurus iniciar o processo de registro no SAAMI (Sporting Arms and Ammunition Manufacturer’s Institute), associação que engloba as principais empresas de armas dos Estados Unidos e fornece padrões técnicos de segurança e confiabilidade para a indústria bélica local, para que o novo calibre passe a compor os padrões técnicos do instituto. Com esse registro, qualquer empresa americana poderá produzir armas compartimentadas nesse calibre, que também poderá ser fabricado pelas indústrias de munição locais.

Salesio Nuhs revelou ainda que a Taurus e a CBC já têm contratos de exportação de armas e munição para países que também possuem restrições legais relativas ao calibre 9mm, mas que só serão atendidos após o mercado nacional ter sido devidamente abastecido.

Por fim, o CEO afirmou que em breve, tão logo aconteça o registro do novo calibre no SAAMI e o mercado brasileiro esteja abastecido, o portfólio .38 TPC será lançado nos Estados Unidos e em outros países onde exista demanda, tanto por aspectos relacionados a características técnicas, como também por questões regulatórias.


Saiba mais:
- Armas, calibre .38 TPC e novos negócios são algumas das novidades da Taurus & CBC na Shot Fair Brasil

Produção de Defesa da Índia tem o maior crescimento de todos os tempos


*LRCA Defense Consulting - 06/07/2024

O Ministério da Defesa da Índia relatou o maior crescimento de todos os tempos na produção de defesa local durante o ano financeiro (FY) 2023-24. Essa conquista significativa, atribuída à implementação bem-sucedida de políticas e iniciativas governamentais sob a liderança do primeiro-ministro Shri Narendra Modi, enfatiza o objetivo de Aatmanirbharta (autossuficiência).

De acordo com dados das Empresas do Setor Público de Defesa (DPSUs), outras unidades do setor público (PSUs) envolvidas na fabricação de defesa e empresas privadas, o valor da produção de defesa atingiu um recorde de Rs 1.26.887 crore, marcando um aumento de 16,7% em relação aos Rs 1.08.684 crore do ano anterior.

Raksha Mantri Shri Rajnath Singh, em um post no X, destacou que o programa Make in India continua a alcançar novos marcos sob a liderança do primeiro-ministro Modi. Ele reiterou o forte compromisso do governo em estabelecer a Índia como um importante centro global de fabricação de defesa.

No ano fiscal de 2023-24, as DPSUs e outras PSUs contribuíram com aproximadamente 79,2% do valor total da produção (VoP), enquanto o setor privado representou 20,8%. Os dados indicam um crescimento consistente na produção de defesa tanto pelas DPSUs/PSUs quanto pelo setor privado. Shri Rajnath Singh estendeu seus parabéns à indústria, incluindo DPSUs, outras PSUs e o setor privado, por alcançar um recorde histórico na produção de defesa.

Esse marco foi alcançado devido a reformas políticas, iniciativas e melhorias na facilidade de fazer negócios introduzidas pelo governo na última década, com foco na autossuficiência. Os esforços persistentes de produção local desempenharam um papel crucial na obtenção do maior VoP de todos os tempos. Além disso, o notável aumento nas exportações de defesa contribuiu significativamente para o crescimento geral da produção de defesa local. As exportações de defesa atingiram um recorde de Rs 21.083 crore no ano fiscal de 2023-24, um aumento de 32,5% em relação aos Rs 15.920 crore do ano fiscal anterior.

Nos últimos cinco anos (desde 2019-20), o valor da produção de defesa mostrou um aumento constante, crescendo mais de 60%. Os detalhes anuais são os seguintes:


*Com informações de Shreyansh Mishra via LinkedIn.



05 julho, 2024

Paynet adota HSM da Kryptus para criptografia de transações financeiras eletrônicas


*LRCA Defense Consulting - 05/07/2024

A Paynet, líder global em captura e processamento de transações eletrônicas, reforça seu compromisso com a inovação ao anunciar uma parceria estratégica com a Kryptus, multinacional brasileira de criptografia e segurança cibernética classificada como Empresa Estratégica de Defesa. A união visa elevar os padrões de segurança e eficiência operacional de seus clientes – sub-adquirentes, adquirentes, bancos, bandeiras, fundos de investimentos e até mesmo fabricantes de equipamentos – e ampliar a presença da empresa no crescente mercado de meios eletrônicos de pagamento.

Com uma média de 10 milhões de transações processadas por mês e mais de 190 serviços voltados ao ecossistema de adquirência – incluindo plataforma e serviços white label para todo o processo, desde a captura até a liquidação da transação, em resumo uma oferta de adquirência Ponta a Ponta –, a Paynet precisa contar com HSMs em sua infraestrutura para efetuar operações que haja necessidade de trocas de chaves ou verticalização de processamento. Porém, um dos desafios da empresa era encontrar um fornecedor de hardware que estivesse alinhado aos princípios de excelência na entrega de seus serviços.

"Hoje existe uma abertura muito grande de mercado e o HSM tem um papel imprescindível no tratamento de toda a criptografia adequada e necessária para esse segmento", afirma Vanderlei Rosa da Silva , CEO da Paynet.

Diante da pouca flexibilidade e falta de suporte de boa parte dos fornecedores, a Paynet encontrou na Kryptus a parceira ideal para o melhor aprimoramento dos negócios.

"Por cerca de um ano trabalhamos em conjunto para desenvolver as aplicações, de modo que tudo funcione adequadamente. Agora estamos migrando toda a operação do antigo fornecedor para o kNET HSM da Kryptus, e temos alguns clientes cujas transações já estão sendo processadas neste novo equipamento", explica Vanderlei, que ressalta que todos os clientes da empresa só operam com parceiros homologados.

Com a maior taxa de transferência de dados do mercado, o kNET HSM possibilita uma maior capacidade de processamento das transações financeiras, dando maior robustez às soluções da Paynet.

“Além disso, o equipamento permite uma abordagem do tipo "canivete suíço", ou seja, a empresa pode explorar os recursos do nosso HSM das mais diversas formas", explica Armando Ferraz Santos, gerente de vendas da Kryptus.

Além da migração para o kNET HSM, a Paynet visa ampliar ainda mais sua oferta, e já conta com planos de oferecer a modalidade HSM as a service. A despeito da concorrência com gigantes do segmento de cloud, Vanderlei vê mais uma oportunidade para expandir os negócios.

"Assim como acontece com a maioria dos fabricantes de hardware, o serviço das grandes companhias de nuvem é caro e deficiente para o negócio de meios de pagamento. E o cliente quer tirar dúvidas, saber se há suporte, como funciona a expansão, enfim, ele quer estar mais próximo. E com essa parceria, o cliente vai ter a expertise da Kryptus, que é o fabricante de hardware, e vai ter do nosso lado esse atendimento pessoal, que faz parte do nosso DNA."

“A Paynet é uma empresa única em seu segmento, pois, além de contemplar todo o ecossistema de meios eletrônicos de pagamento, ela entrega toda a infraestrutura necessária pronta para o cliente, nenhum outro player no mundo faz isso. E sabemos o quão importante é para a operação contar com parceiros de confiança em todas as etapas, principalmente na parte de segurança. Por isso, estamos muito felizes com essa parceria, fornecendo nossa tecnologia para levar ainda mais segurança e agilidade a esse mercado tão promissor”, pontua Armando.

Apostando em tecnologias exclusivas, atendimento personalizado e com a criptografia de ponta da Kryptus cada vez mais integrada à operação de seus clientes, a Paynet projeta um crescimento de, pelo menos, 200% neste ano. Para Vanderlei, a segurança, desempenho e flexibilidade dos kNET HSMs da Kryptus são fatores diferenciais para a estratégia da empresa e trazem ainda mais notoriedade ao negócio.

"Podemos dizer para o mercado que a Paynet usa a Kryptus em sua retaguarda, o que é uma chancela da nossa qualidade", finaliza.

WEG é pioneira na fabricação local de Soft Starters de média tensão na África do Sul


*LRCA Defense Consulting - 05/07/2024

As soft starters SSW7000 são produzidas na unidade fabril da WEG na África do Sul, com altos padrões de eficiência. A linha SSW7000 é bem reconhecida pelo mercado, e amplamente utilizada em aplicações de bombas e ventiladores no segmento de mineração.

Com o crescimento da demanda por soft starters de média tensão da WEG nos últimos anos, agora os clientes podem se beneficiar com a fabricação local desses produtos. Um dos benefícios imediatos é o prazo de entrega reduzido.

A utilização de soft starters tornou-se evidente à medida que os usuários buscam maneiras de reduzir o custo da eletricidade, proteger seus motores elétricos e aumentar seu ciclo operacional. As soft starters permitem uma aceleração suave dos motores elétricos, reduzindo a corrente de pico durante a partida. Motores com uma partida direta convencional podem atingir até 700% da sua corrente nominal, enquanto um soft starter pode reduzir a corrente de partida para apenas 300%.

A fabricação local aumenta a capacidade de customização das soft starters de média tensão, onde as unidades são projetadas para atender aos requisitos específicos nas aplicações dos clientes, como foi o caso de um pedido recente para um cliente de mineração em Angola.

O pedido de 11 unidades foi entregue em módulos que puderam ser facilmente transportados e instalados no local para um rápido comissionamento.

Além da redução da corrente de partida, a linha de soft starter SSW7000, inclui recursos de monitoramento capazes de proteger o motor elétrico contra superaquecendo ou consumo de corrente excessiva.

Exército e Iveco firmam contrato para fornecimento de 420 viaturas blindadas Guaicurus


*LRCA Defense Consulting - 05/07/2024

A Diretoria de Fabricação (DF), na figura do seu Diretor, Gen Div Tales Villela, e o Presidente da Iveco Defense Vehicles - IDV LATAM, Sr Humberto Spinetti, assinaram o contrato de obtenção por nacionalização de 420 (quatrocentas e vinte) Viaturas Blindadas Multitarefa – Leve Sobre Rodas (VBMT-LSR) 4x4 Guaicurus, no escopo do Programa Estratégico do Exército Forças Blindadas (Prg EE F Bld), a serem entregues à Força Terrestre nos próximos 10 (dez) anos.

O referido contrato engloba, além das plataformas veiculares, os serviços de integração dos sistemas de armas automatizado e de comando e controle, bem como a obtenção de ferramentais especiais para a manutenção da aludida plataforma veicular.

A presente contratação visa atingir níveis de nacionalização de, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) do veículo ao final da obtenção, por meio de 3 (três) pilares principais: construção de infraestrutura local no Brasil para montagem das viaturas; fabricação de componentes em território nacional, fomentando a Base Industrial de Defesa (BID); e capacitação de mão de obra qualificada, gerando notável quantidade de novos empregos, diretos e indiretos.

Ademais, o contrato em questão permitirá que o Exército Brasileiro, por meio de sua comissão de engenheiros militares que trabalha nas instalações da referida empresa, em Sete Lagoas/MG, possa acompanhar os processos de fabricação e de nacionalização, proporcionando a absorção de conhecimentos quanto às tecnologias empregadas no processo de produção industrial da referida viatura.  

Esta nova encomenda de veículos LMV-BR 2 (Veículo Multifunção Leve) será produzida em duas variantes diferentes, seja com um Sistema de Armas Manual ou seja com um Sistema de Armas RCWS (estação de armas controlada remotamente) REMAX, produzido pela ARES, empresa do Rio de Janeiro.

Todos os veículos serão equipados com um C2 - Sistema de Comando e Controle. As 420 unidades do "Guaicurus" serão produzidas localmente na fábrica da IDV em Sete Lagoas (MG).

Desde seu lançamento, o Light Multirole Vehicle (LMV) tem sido continuamente desenvolvido, beneficiando-se da extensa quantidade de experiência acumulada por seus usuários. Graças a esse foco contínuo, ao longo dos últimos 20 anos, a IDV ganhou ampla experiência no desenvolvimento de veículos militares para atender aos requisitos operacionais mais exigentes de seus clientes, envolvidos em operações especiais e missões de manutenção da paz, especialmente em contexto urbano compartimentado.

A assinatura deste contrato de 10 anos para veículos LMV-BR 2 marca outro marco importante na parceria entre o Exército Brasileiro e a IDV, pois contribui consideravelmente para o crescimento da indústria de defesa nacional e fortalece o desenvolvimento estratégico das Forças Terrestres Brasileiras. A sólida colaboração entre o Exército Brasileiro e a IDV remonta a uma longa história, que inclui até agora o fornecimento de 700 unidades do veículo blindado anfíbio 6×6 Guarani, bem como 32 unidades do LMV-BR.







Armas, calibre .38 TPC e novos negócios são algumas das novidades da Taurus & CBC na Shot Fair Brasil


*LRCA Defense Consulting - 05/07/2024

A Taurus, Empresa Estratégica de Defesa brasileira e líder mundial em vendas de armas leves, está presente como patrocinadora e é uma das principais expositoras da Shot Fair Brasil 2024, maior feira de tiro esportivo, mundo tático, outdoor e caça da América Latina, que acontece entre os dias 3 e 6 de julho no Distrito Anhembi, em São Paulo. 

Na ocasião, apresenta aos visitantes, pela primeira vez em um evento do setor, o novo calibre .38 TPC (Taurus Pistol Caliber), disponível inicialmente nos modernos e consagrados modelos de pistola G2c T.O.R.O, a arma compacta mais vendida do mundo, e GX4 Carry Graphene T.O.R.O, a arma mais premiada nos Estados Unidos, e nas diferentes configurações do portfólio de munições CBC, com versões treinamento e operacional, nos projéteis Polymatch, Ogival ETOG, expansivos Bonded e Gold Hex. O novo calibre conta com características únicas, tanto nas armas quanto nas munições. 

O 38 TPC tem um espaço exclusivo de exposição na Shot Fair Brasil 2024, integrado ao estande da TAURUS/CBC, com destaque ao portfólio de armas e munições no novo calibre. 

A mais recente novidade no mercado brasileiro de armas e munições foi desenvolvida pelo Centro Integrado de Tecnologia e Engenharia Brasil Estados Unidos da Taurus (CITE), em conjunto com o Centro de Inovação da Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), considerando o atual cenário e as necessidades do segmento, elevando ainda mais a experiência de tiro dos consumidores com um novo calibre, com o melhor custo-benefício do mercado. 

O calibre .38 TPC apresenta velocidade superior e energia até 40% maior, em comparação com o calibre .380 AUTO, atingindo a média de 400 joules de potência, valor dentro dos limites estabelecidos pela atual legislação para armas de uso permitido desta categoria. 

O .38 TPC também oferece recuo reduzido (até 28% menor) em comparação com o calibre 9mm, proporcionando maior controle durante o tiro e possibilitando um segundo disparo com rápida recuperação da mira e aumento da precisão. Essas características são fundamentais em competições esportivas que demandam precisão do atirador, como o IPSC (International Practical Shooting Confederation). 

Além disso, a munição .38 TPC atende a requisitos do rigoroso Protocolo do FBI que, entre outros aspectos, mede a capacidade de penetração do projétil. Em teste realizado em gelatina balística com a munição .38 TPC Bonded, esta apresentou 13,8” de penetração, dentro do intervalo de 12” a 18” que é o especificado como ideal pelo Protocolo do FBI, considerando a efetividade necessária em situações de defesa, com mínima possibilidade de transfixação. 

Novo calibre está sendo registrado na SAAMI (EUA)

O .38 TPC possui dimensões únicas, o que possibilitou à Taurus iniciar o processo de registro na SAAMI (Sporting Arms and Ammunition Manufacturer’s Institute), associação que engloba as principais empresas de armas dos Estados Unidos e fornece padrões técnicos de segurança e confiabilidade para a indústria bélica local, para que o novo calibre passe a compor os padrões técnicos do instituto.


38 TPC em breve será lançado nos Estados Unidos e em outros países
O portfólio 38 TPC em breve será lançado nos Estados Unidos, antes, porém, será priorizado o atendimento dos pedidos no Brasil, que é o mercado prioritário para o novo calibre. Será inclusive lançado em outros países onde exista demanda, tanto por aspectos relacionados a características técnicas, como também por questões regulatórias.

A Taurus, que investe constantemente em tecnologia e inovação, apresenta também na Shot Fair Brasil 2024 com destaque três outros produtos: a carabina T9 MLOK 8” em plataforma AR, ideal para uso tático em situações de curta distância em meios urbanos e rurais; a pistola TS9 T.O.R.O. e a versão compacta TS9c T.O.R.O., contemplando pioneiros materiais em sua composição. 

O sistema Taurus Optic Ready Option (T.O.R.O.) é uma plataforma desenvolvida pela Taurus que permite aos usuários montarem facilmente miras ópticas em suas pistolas. Este sistema foi projetado para oferecer uma flexibilidade maior para os atiradores que desejam usar miras red dot ou outras miras ópticas em suas armas sem a necessidade de modificações permanentes ou especializadas. 

No estande, a Taurus expõe seu amplo portfólio de produtos, com mais de 200 armas, entre pistolas, revólveres e armas táticas, com destaque ao T10, fuzil que oferece conforto e precisão nos disparos, no calibre 7,62 x51mm/.308WIN. 

Novos negócios: supressores, facas, empunhaduras e MIM
Exibe ainda produtos de seus novos centros de negócios: a linha de supressores de alto desempenho e multicalibre Taurus, primeiros do mundo a serem produzidos com core único, em Titanium, com cobertura exclusiva em Cerakote® Graphene, possuem inovador sistemas de anéis e reduzem em até 25dB o ruído dos disparos; a linha de empunhaduras em madeira nobre com inovador acabamento 3D Touch MBT; a coleção de facas artesanais, que inclui a primeira faca no mundo com acabamento da lâmina em Cerakote® Graphene; assim como a tecnologia M.I.M (Metal Injection Molding), cujas peças são produzidas por um composto específico como matéria-prima, desenvolvido pela Taurus. O processo M.I.M é capaz de produzir grandes quantidades de peças de altíssima complexidade geométrica, garantindo toda a precisão necessária, por um custo competitivo. 

O estande da TAURUS/CBC conta, ainda, com uma sala de podcast. Um ambiente especial de interação dedicado à gravação de conteúdos diversos relacionados ao segmento. Os entrevistados terão a oportunidade de compartilhar histórias, realizar debates e entrevistas.


CBC traz diversas novidades ao mercado esportivo

A Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), Empresa Estratégica de Defesa, líder mundial em munições e tradicional fabricante de armas longas, está presente como patrocinadora e expositora da Shot Fair Brasil 2024. 

Forte apoiadora e incentivadora do esporte do tiro, a empresa apresenta na ocasião aos visitantes, além da sua linha completa de produtos consagrados voltados ao segmento, diversas novidades. 

Em destaque, as munições CBC Polymatch 9mm, com fator para Tiro Prático. Exclusivas para treinamento, seus projéteis são revestidos por camadas de polímero especial, sendo carregadas com peso de projétil adequado para proporcionar recuo e precisão similares às munições operacionais. 

A CBC desenvolveu com exclusividade este produto para atender a modalidade de Tiro Prático, homologado pela Confederação Brasileira de Tiro Prático (CBTP). Com carga de pólvora fixada, headstamp personalizado e padrões de produção e de controle diferenciados para atender fator de potência mínimo adequado à modalidade, as munições CBC Polymatch 9mm estão disponíveis a todos os atletas, em especial aos que participam do Pro Training, maior programa de incentivo ao esporte do tiro já feito no Brasil. 

A CBC também apresenta o mais recente desenvolvimento da sua linha de produtos: a .22 Fast. Projetada para ser a primeira escolha em pistolas .22 LR semiautomáticas de uso permitido, esta novidade combina tecnologia de ponta, segurança e desempenho excepcionais. Sua construção robusta e materiais de alta qualidade asseguram durabilidade e resistência e a tornam uma arma ideal para iniciação da prática esportiva, treinamento e lazer. 

O design ergonômico da .22 Fast oferece uma empunhadura com grip confortável e segura, adaptando-se perfeitamente à mão do usuário. Possui cano de 6” com rosca e 2 carregadores (com capacidade de 25 e 10 tiros), assim como trilho Picatinny no receptáculo e na coronha, permitindo a instalação de acessórios.

Já no segmento de armas longas, a Companhia expõe três novidades: o Rifle .22 LR Bolt Action Benchrest, a linha de rifles CBC .22 Magnum e o Rifle .308 WIN Bolt Action Ranger.

 O Rifle .22 LR Bolt Action Benchrest, resultado de parceria estratégica da CBC com a Visão Custom, foi projetado especificamente para atender as exigências dos atiradores da modalidade de tiro Benchrest. Este rifle combina tecnologia de ponta com uma performance excepcional, garantindo máxima precisão e estabilidade nos disparos.

Possui cano/coroa de 11°, que auxilia na melhoria da dispersão dos gases, aumentando a estabilidade do projétil e a precisão, e novo cabo do ferrolho, projetado com extensor recartilhado que facilita o uso de lunetas e aumenta a aderência durante o manuseio. Sua tecla reta uniformiza o acionamento do gatilho, adequando-se ao posicionamento de acordo com a empunhadura, tornando a puxada mais uniforme e confortável. Conta com coronha MBT com regulagem especial, em madeira de imbuia, proporcionando regulagem de altura para uso com as miras abertas, além de possibilitar o uso de lunetas e red dots. Sua alça e massa de mira é em Aço 4140 com regulagem de altura e lateral em sistema click, sem a necessidade de ferramentas.

Rifle .22 LR Bolt Action Benchrest
Destaque também para a linha CBC .22 Magnum, composta pelos rifles CBC Pump Action, CBC Delta, CBC Rio Bravo e CBC Bolt Action. O calibre .22 Magnum é amplamente reconhecido pela sua eficiência e versatilidade. Em termos comparativos, apresenta mais que o dobro de energia que o calibre .22 LR. 

Em homenagem aos 25 anos da unidade fabril em Montenegro, no Rio Grande do Sul, a CBC apresenta na Shot Fair Brasil 2024 a série comemorativa limitada do Rifle CBC .22 Magnum Bolt Action. O modelo possui coronha em madeira, gravação do selo comemorativo e mapa retratando o município onde se encontra a fábrica, além de receptáculo/cano com pintura especial em Cerakote®. Acompanha luneta, case em Suede e miniatura do rifle em forma de troféu. 

De uso permitido, as versões Pump Action, Rio Bravo e Bolt Action estão disponíveis para o mercado desde junho de 2024.

Rifle CBC .22 Magnum Bolt Action
Outra novidade em exposição é o Rifle .308 WIN Bolt Action Ranger que foi cuidadosamente projetado levando em consideração as demandas de diferentes tipos de aplicação, considerando cenários para uso policial, competições de tiro ou em atividades de caça. Seu design ergonômico, ferrolho com trancamento de 3 slugs e acionamento de 60°, oferece conforto e manuseio otimizado. 

Possui cano em aço com pintura Cerakote®, tipo bull forjado à frio, garantindo maior durabilidade, estabilidade e precisão em cada disparo. Seu gatilho com ajuste de força e de curso, conta com tecnologia de ponta para garantir que cada disparo seja controlado, alcançando precisão Sub-MOA, padrão exigido pelos atiradores de elite de grupos de operações especiais. Seu receptáculo também é construído em aço com acabamento em pintura Cerakote®. 

O Rifle .308 WIN Bolt Action Ranger conta com duas versões: a PRO com coronha em alumínio e almofada com regulagem de altura; e a com coronha em polímero de alta resistência e design ergonômico, proporcionando manuseio otimizado e conforto, característica essencial para atividades que demandem maior tempo de operação.

Outras atrações
Além das novidades em produtos, o evento conta com outras atrações que promovem o compartilhamento de conhecimento no espaço Arena Shot Fair, com palestras, mesas de debate, clínicas e painéis de especialistas renomados sobre diversos temas, entre eles tiro esportivo, defesa pessoal, caça e legislação brasileira de porte e posse de armas. 

Entre os nomes confirmados está o do CEO Global da Taurus, Salesio Nuhs, que fará palestra sobre o 38 TPC – Taurus Pistol Caliber, no dia 5 de julho às 15h40. 

A programação também inclui, às 14h, palestra do diretor Comercial & Marketing da CBC, Paulo Ricardo Gomes, sobre o varejo brasileiro de armas e munições, e, às 15h, palestra do atirador esportivo norte-americano Matthew Little sobre a importância da Taurus no esporte do tiro nos Estados Unidos e sua experiência como embaixador da marca Taurus no segmento.

Já às 17h, o Diretor da Sociedade Brasileira para Conservação da Fauna, Alvaro Mouawad, participará como mediador da Mesa Redonda sobre “a caça e o manejo no Brasil: atualidade e perspectivas”, com a participação de Cris Almeida, Daniel Terra, Delano Algayer, Fernando Chiavenato, deputado federal Ismael Alexandrino, Matheus Sant’anna e Vívian Bernal Gliosi. 

Para assistir às palestras, clínicas e painéis é necessária a aquisição do ingresso de acesso à feira. 

Sobre a Shot Fair Brasil
A Shot Fair Brasil é voltada a atiradores esportivos, colecionadores, caçadores, lojistas e admiradores do segmento de armas e munições. Contando com estandes de grandes marcas nacionais e internacionais do setor, a 4ª edição do evento tem mais de 100 empresas expositoras. A estimativa para este ano é de um público de 30 mil visitantes. 

A Shot Fair Brasil 2024 conta com patrocínio da Taurus e da Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), principais fabricantes de armas e munições do mundo, e parceria institucional da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (ANIAM). 

A Taurus, a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) e a ANIAM contam juntas com a maior área em estande do evento, ao todo mais de 450 m², situados em um local de destaque, na entrada da feira. 

SERVIÇO:

Datas e horários:

Dia 03/07/2024 – das 13h às 20h (exclusivo para lojistas).

Dias 04 e 05/07/2024 – das 13h às 20h.

Dia 06/07/2024 – das 12h às 19h.

Local: Distrito Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1209 - Santana, São Paulo – SP).

Localização dos estandes:

TAURUS e CBC – P02.

38 TPC – N11.

ANIAM e SBCF – E04.

03 julho, 2024

Exército avança testes para dispor de um Radar Contrabateria Multifunção

Radar de contrabateria Saab ARTHUR operando na Ucrânia


*LRCA Defense Consulting - 03/07/2024

Entre os dias 12 a 20 de junho de 2024 aconteceram os primeiros ensaios de engenharia, realizados em ambiente relevante, do Demonstrador de Tecnologia do Radar Contrabateria (DTCBia) com coleta de dados de alvos reais. Os ensaios foram realizados nas instalações do Centro de Avaliações do Exército (CAEx), sendo conduzidos pela equipe do Centro Tecnológico do Exército (CTEx) e por colaboradores da empresa Embraer, com o apoio das equipes do CAEx e do Arsenal de Guerra do Rio de Janeiro.

O objeto das coletas de dados foi, principalmente, engenhos disparados pelo Morteiro 120 mm e pelos Morteiros 81 mm. Ainda foi possível detectar e coletar dados de drones que faziam a cobertura de imagens dos ensaios e do tráfego aéreo comercial da região, além de reflexões proporcionadas pelo movimentos das águas costeiras (clutter marítimo).

O Demonstrador de Tecnologia do Radar Contrabateria é o objeto da primeira etapa do projeto Radar Contrabateria Multifunção, desenvolvido pelo CTEx, junto à Base Industrial de Defesa (BID).

Radar de Contrabateria na Artilharia de Campanha X Radar Contrabateria Multifunção
O Radar de Contrabateria na Artilharia de Campanha localiza as peças de artilharia e os arrebentamentos de granadas pela determinação de origem ou término da trajetória de um engenho detectado, fazendo uso de modelos físicos e cálculos baseados em suas trajetórias. Dentre suas missões, destacam-se: localização das peças de artilharia inimiga, regulação e ajuste do tiro de artilharia amiga, e alerta de fogo iminente.

Já um Radar Contrabateria Multifunção, além das funcionalidades típicas previstas para um radar deste tipo, agrega a capacidade de detecção de alvos aéreos, em especial aeronaves remotamente pilotadas, que são uma grande fonte de preocupação no cenário bélico atual. Isto é possível graças à tecnologia AESA, que permite a implementação de diversas formas de apontamentos e conformação de feixe eletromagnético, aliadas a variadas estratégias de varredura.

O Sistema de Busca de Alvos da Artilharia de Campanha atualmente não dispõe de um Radar Contrabateria. A busca pela obtenção por P&D deste Sistema e Material de Emprego Militar (SMEM) posicionará o Brasil no seleto grupo de países que dominam tal tecnologia e fortalecerá a soberania nacional. 

*Com informações do Exército Brasileiro

Veículo blindado de fabricação chinesa falha durante tentativa de golpe na Bolívia


*Defence Blog, por Dylan Malyasov - 27/06/2024

Uma recente tentativa de golpe na Bolívia destacou o uso de equipamento militar fabricado na China, especificamente o veículo blindado PRC Tiger 4×4.

O incidente chamou a atenção para as vulnerabilidades do veículo quando o tirante da direção quebrou após bater no meio-fio, deixando os soldados lutando para consertá-lo chutando a roda danificada.

O Tiger 4×4, produzido pela Baoji Special Vehicles Manufacturing na província de Shaanxi, China, foi projetado para transportar infantaria com proteção blindada aprimorada. Ele pode ser adaptado para várias funções, incluindo posto de comando, aplicação da lei, controle de distúrbios e ambulância.

O veículo tem uma tripulação de duas pessoas e pode transportar nove soldados de infantaria totalmente equipados.

A Bolívia recebeu estes veículos pela primeira vez em 2016. Apesar de ter sido submetido a extensos testes off-road que demonstraram a sua mobilidade em vários terrenos e condições meteorológicas, o recente mau funcionamento levanta questões sobre a fiabilidade destes veículos blindados de transporte de pessoal em cenários reais de combate.

Blindada das águas: lancha resistente a fuzil e de visão termal reforça segurança no mar


*LRCA Defense Consulting - 03/07/2024

A Patrulha Costeira da Polícia Militar do Paraná (PMPR) recebeu um reforço de peso no início de junho. Fruto de um investimento de mais de R$ 2,2 milhões, o Litoral agora conta com o barco Aruanã 29-CM-P, uma embarcação militar blindada de última geração projetada especificamente para o combate à criminalidade. Entre as principais novidades da embarcação estão o casco blindado, que é resistente a tiros de fuzil, e o sistema de visão termal, que usa o calor ambiente para identificar pessoas e outros barcos.

“É uma embarcação muito diferente em relação às outras que nós já temos pela estrutura dela. É um barco maior, mais potente, com o casco todo blindado, com vários sistemas diferentes de imagem e localização que ajudam no trabalho policial”, afirmou o comandante da Patrulha Costeira do 9º Batalhão da PMPR, o tenente Vinícius Szlanda.

O barco passa a integrar a estrutura do pelotão policial que é responsável pela segurança das 39 comunidades ilhadas e ribeirinhas do Litoral do Paraná, onde moram mais de 10 mil pessoas. Além disso, ele vai ajudar nas ações de combate ao tráfico internacional de drogas na região.

Tecnologia
Por atuar em comunidades cujo acesso só é possível pela água, uma embarcação moderna como a Aruanã 29-CM-P ajuda as equipes a se deslocarem com mais agilidade e a atenderem melhor à população.   As tecnologias do barco também permitem um trabalho mais eficiente no combate à criminalidade, especialmente nas rondas ostensivas da patrulha.

A blindagem do casco é uma das mais eficientes que existem, resistindo a tiros de munição supersônica, que são tiros de fuzil e de calibre 7,62 milímetros, por exemplo.  

A embarcação também opera com um sistema de navegação que, além de contar com GPS e sonar, também tem um radar, que permite o deslocamento do barco por instrumentos, e um transponder. “Isso permite que a gente consiga identificar com facilidade as embarcações que estão no nosso entorno”, explicou o comandante da patrulha.

O sistema conta ainda com várias câmeras integradas, que mostram no painel de controle imagens de alta definição e imagens termais. Com as câmeras termográficas, a imagem mostra os objetos a partir das diferenças de calor entre eles e o ambiente, sem depender das condições de luminosidade do local. Assim, ela consegue identificar uma pessoa ou uma outra embarcação mesmo com baixa visibilidade, como em uma perseguição noturna, ou em meio à fumaça ou névoa.  

Robustez
A nova embarcação tem 29 pés de comprimento, o que equivale a quase 9 metros, e pesa aproximadamente 4,9 toneladas. Com este tamanho, pode transportar oito tripulantes, com uma autonomia de cerca de sete horas.

Outra novidade é a potência do barco, que é movido por dois motores de popa de 300 HP. “São quase 600 cavalos de potência. Ela é bem mais potente do que as nossas outras embarcações, que têm dois motores de 150 cavalos”, explica o comandante.

Por ter dois propulsores, a embarcação tem mais segurança nas operações e pode ir mais longe da costa, em um resgate ou em uma perseguição, por exemplo. O motor de popa também dá mais mobilidade ao barco, facilitando o acesso às praias e comunidades ilhadas.

Costa paranaense
O Paraná tem mais de 100 quilômetros de extensão de orla marítima entre as divisas com São Paulo e Santa Catarina. São, ao todo, 125 praias e balneários, além de 57 ilhas.

A Patrulha Costeira da Polícia Militar do Paraná foi criada em 2019 para atender esta região. O pelotão tem um treinamento especial para ações em água e em áreas fechadas de mata.  

Além das ações ostensivas na costa do Paraná, o grupo também atua em trabalhos preventivos nas comunidades e repressivos às ações criminosas. A Patrulha Costeira ainda trabalha em apoio à Polícia Federal e à Marinha do Brasil, principalmente, em ações de combate ao tráfico de drogas no Porto de Paranaguá. 

Sobre a Gespi
Há cerca de meio século atuando nas indústrias de Defesa e Segurança Pública, a Gespi é uma empresa 100% brasileira fundada em 1974 e certificada pelo Ministério da Defesa do Brasil como uma Empresa Estratégica de Defesa. Seus principais produtos são: foguetes de 70 mm (2,75"), bombas aéreas MK 81, 82, 83, 84, bombas aéreas de exercícios BDU-33 e BDU-50, Lança Rojão Hunter, Barcos de Patrulha Blindados e militarização de aeronaves.

No início da década de 90, a empresa foi adquirida pelos atuais sócio administradores, o CEO João Batista M. Scarparo e o CFO Carlos Augusto Picolini, ambos ex-Avibras, que iniciaram o desenvolvimento de produtos defesa como a Arma Leve Anti Carro (ALAC).

Em 2012, a Rafael Advanced Defense Systems, segunda maior empresa de defesa de Israel, adquiriu 40% das ações da Gespi, prevendo o desenvolvimento de novas tecnologias na área de sistemas de defesa e mísseis no Brasil. Em 2014, foi fechado um outro acordo com a alemã Dynamite Nobel Defence (DND), controlada pela Rafael. Essa parceria viabilizou a evolução tecnológica do projeto e contemplou a cooperação industrial e a transferência de tecnologia para a Gespi e a Imbel, também parceira no desenvolvimento da arma, juntamente coma EMGEPRON. Com os acordos, foi possível tecnologia para a incorporação de uma munição termobárica, garantindo alta performance e poder de fogo para o armamento.

Ao completar 45 anos no mercado em 2019, os sócios administradores decidiram readquirir as ações da empresa. Com isso a GESPI voltou a ser uma empresa 100% brasileira.

Atualmente, a GESPI tem duas unidades em São José dos Campos, atua com manutenção de equipamentos aeronáuticos e com fabricação e desenvolvimento de Produtos de Defesa.

Portfólio da Gespi Defense Systems


Parceiros
- Arnold Defense é o principal designer e fabricante mundial de sistemas lançadores de foguetes de 2,75 polegadas (70 mm). Ela atende uma variedade de mercados além do militar, incluindo fabricantes de equipamentos médicos, de transporte e originais.

- Indústria de Material Bélico do Brasil – IMBEL, que tem como missão fabricar e comercializar produtos de defesa e segurança para clientes institucionais, especialmente Forças Armadas, Forças Policiais e clientes privados. Seus principais produtos são fuzis, pistolas e carabinas; munição; equipamentos de comunicação e eletrônicos, entre muitos outros.

- Empresa Gerencial de Projetos Navais – EMGEPRON, que proporciona a comercialização de produtos e serviços disponibilizados pelo setor naval da indústria de defesa nacional. Estes incluem navios de guerra e embarcações militares (projeto, construção e modernização), reparos navais, sistemas de combate embarcados, munições de artilharia, serviços oceanográficos, apoio logístico e treinamento de pessoal, entre outros itens.

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública do Paraná

 

Postagem em destaque