Pesquisar este portal

segunda-feira, fevereiro 28, 2022

Soluções WEG geram melhoria na gestão de energia em empresa do ramo de avicultura

Soluções WEG geram melhoria na gestão de energia em empresa do ramo de avicultura


*LRCA Defense Consulting - 28/02/2022

O setor de congelados e frios, do ramo de avicultura, requer cuidados especiais desde a produção, armazenamento até o transporte, sendo um segmento em constante crescimento levando em conta que grande parte da população prefere comprar alimentos congelados para facilitar o preparo e consumo. Neste sentido, a busca contínua pela melhoria na gestão da energia elétrica, indispensável em todos processos, bem como a possibilidade do monitoramento da demanda contratada versus a demanda consumida, despertou o interesse do gerente da unidade da Granja Pinheiros, Sr Eduardo Hoffmann, pelas soluções digitais desenvolvidas pela WEG.

A Granja Pinheiros, localizada em Grão Pará (SC), é uma empresa familiar que tem contribuído para o desenvolvimento da economia local com sua participação expressiva no segmento de alimentos congelados e resfriados de aves. Diante deste cenário, a Eletrojo, de Braço do Norte (SC), empresa parceira no programa WEG Digital Solution Provider, com objetivo de identificar os desperdícios e promover a tomada de decisão, atuou como engenharia especializada e executou o projeto para o gerenciamento e supervisão do sistema de energia da granja.

Após mínima intervenção técnica nas instalações do cliente, multimedidores de grandezas elétricas MMW02-M e demais periféricos foram instalados. Para a gestão de energia e utilidades também foi instalada a solução WEG Energy Management, que é um software que transforma dados coletados em informações valiosas para o monitoramento e gestão dos recursos em tempo real e de forma amigável.

Segundo Eduardo Hoffmann, a solução WEG Energy Management proporciona acompanhamento do consumo de energia, promove a gestão das variáveis elétricas e picos de demanda gerando alarmes em tempo real. O cliente também destaca que obteve redução financeira na conta de energia elétrica, alcançando redução de 8% na demanda consumida, 18% de redução no consumo de energia elétrica na ponta e 14% de redução na faixa fora de ponta. Tudo isso sem afetar o processo e a capacidade produtiva da granja.

Além disso, está em curso mais uma etapa do projeto, ou seja, a expansão da quantidade de pontos monitorados possibilitando o rateio do consumo de energia por área produtiva e ainda a tomada de ações para aumento de eficiência energética. A solução de monitoramento online garante a perenização das ações para eficiência energética o que permite um ciclo virtuoso de melhoria contínua como prevê o programa de Eficiência Energética 4.0 da WEG Digital.

A parceria da WEG, Eletrojo e Granja Pinheiros, somadas ao uso do WEG Energy Management, promoveu uma solução eficiente no mercado, trazendo agilidade na tomada de decisões e valores expressivos de redução de consumo de energia elétrica. Este resultado garantiu o payback de um mês para o projeto.

Número de assassinatos no Brasil é o menor da série histórica em 14 anos, com tendência de queda maior ainda


*LRCA Defense Consulting - 28/02/2022

O número de assassinatos caiu 7% no Brasil em 2021 na comparação com o ano anterior, de acordo com o índice nacional de homicídios do G1, baseado em dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

Em todo o ano passado, foram 41,1 mil mortes violentas intencionais registradas no país, 3 mil a menos que em 2020. Este é o menor número de toda a série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, iniciada em 2007, e dos levantamentos realizados pelo Monitor da Violência desde 2018.

Com a redução, o número de mortes volta ao patamar de 2019, quando foram registradas 41,7 mil mortes. Naquele ano, houve a maior queda da série, de 19%.

Estão contabilizados no número os crimes de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de morte.

Alguns Fatos Comprovando Que Armas de Fogo Protegem – Pensa960


Tendência é de queda maior ainda
O último trimestre de 2021 aponta para uma tendência de queda ainda maior que nos meses anteriores. Entre outubro e dezembro de 2021, a redução dos assassinatos foi de 14,1%, em comparação com o mesmo período de 2020.

O aumento da comercialização de armas no país, após decretos e importantes mudanças na legislação promovidas pelo governo federal para reestabelecer o direito dos cidadãos a possuírem armas de fogo legalmente, coincide com a queda no índice de homicídios. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública publicado no ano passado, o Brasil dobrou o número de armas nas mãos de civis nos últimos três anos.

Cenário quebra, mais uma vez, o mito de que quanto “mais armas, mais violência”
O cenário quebra, mais uma vez, o mito de que quanto “mais armas, mais violência” e evidencia uma maior proteção dos cidadãos com suas armas, o que pode ter contribuído para inibir a ação dos criminosos, além de medidas na área da segurança pública tomadas para controlar a violência, como uma maior aquisição de armamentos pelas instituições, entre outras.

"As estatísticas fraudadas e as projeções de entidades antiarmas agora foram desmascaradas. Assim como afirmei nos últimos 20 anos, a posse legal de armas de fogo pelos cidadãos de bem, além de aumentar a sua proteção, diminui a audácia e a segurança de quem está querendo cometer um crime. Antes, os criminosos tinham a certeza de que a vítima estaria desarmada e que todas as pessoas ao redor dela também. Hoje, existe um componente de incerteza, deixando os cidadãos de bem em uma situação de vantagem", afirma o presidente da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (ANIAM), Salesio Nuhs.

Durante mais de duas décadas o Brasil assistiu a resultados contestáveis no que se refere aos efeitos do desarmamento para a segurança pública. O país chegou a apresentar um dos maiores índices de homicídios do mundo, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), e taxa superior à de conflitos armados em países como o Afeganistão, a Somália, ou o Sudão.

 No entanto, foram promovidas mudanças nos últimos anos e alterações de normas no Brasil para reestabelecer o direito dos cidadãos a possuírem arma de fogo legalmente, direito este conquistado nas urnas em 2005 no referendo sobre o comércio de arma de fogo no Brasil.

Desde então, houve um grande avanço no que se refere ao comércio legal de armas de fogo no país e os resultados positivos continuam a aparecer, sugerindo um caminho que respeite o direito dos cidadãos a legitima defesa, que estimule o registro de armas de fogo/legalidade, e contribua para a redução da criminalidade no Brasil.

domingo, fevereiro 27, 2022

Motores WEG são instalados em uma das principais obras hídricas do Brasil

Motores WEG são instalados em uma das principais obras hídricas do Brasil


*LRCA Defense Consulting - 27/02/2022

A água é um recurso indispensável para a vida e, embora seja uma fonte natural, para chegar às pessoas demanda infraestrutura e equipamentos eficientes. Foi pensando nisso que a Ruhrpumpen, uma das principais fabricantes de sistemas de bombas do mundo, escolheu a WEG para fazer parte do fornecimento ao projeto Ramal do Agreste que irá levar água para cerca de 70 municípios do estado de Pernambuco.

Essa infraestrutura hídrica é uma extensão do projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional. O principal objetivo é captar a água da barragem Barro Branco, em Sertânia/PE, e realizar seu desague no reservatório Ipojuca, em Arcoverde/PE.

Para acionar as bombas centrífugas que serão instaladas na estação, foram escolhidos três motores de indução de rotor bobinado carcaça 900, 8.000 kW, 13.800 V da linha Master, que se destacam pela flexibilidade do seu projeto elétrico e mecânico. São motores versáteis que permitem diferentes configurações adequando-se às diversas aplicações. Além disso, o uso de motores de anéis apresenta uma baixa corrente de partida dos motores, próximo à nominal, minimizando assim a queda de tensão, otimizando a subestação e, consequentemente, reduzindo os investimentos na instalação elétrica.

Ao escolher os motores WEG da linha Master, a Ruhrpumpen investe em confiabilidade ao projeto que irá beneficiar em torno de 2,2 milhões de pessoas, além de contribuir para o desenvolvimento da região. Participar deste projeto fortalece a WEG como importante player no segmento de águas, criando mais uma referência de fornecimento para este mercado.

Taurus e CBC: redução no IPI será repassada aos consumidores


*LRCA Defense Consulting - 27/02/2022

No dia 25 deste mês, o Presidente Jair Bolsonaro determinou a publicação, em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), de decreto que reduz as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A medida, amplamente reclamada pelo setor industrial há muitos anos, alivia a carga tributária de produtos industrializados. Para a maior parte dos produtos, a redução foi de 25%.

Segundo a Agência Brasil, para justificar a renúncia tributária, o governo destacou que a arrecadação federal em janeiro de 2022 somou R$ 235,3 bilhões, sendo volume recorde que representa 18,30% de aumento em relação ao mesmo mês do ano passado, já descontada a inflação do período.

"Há, portanto, espaço fiscal suficiente para viabilizar a redução ora efetuada, que busca incentivar a indústria nacional e o comércio, reaquecer a economia e gerar empregos. O decreto entrará em vigor imediatamente e não depende da aprovação do Legislativo", informou a Presidência da República, em nota.

Em comunicado, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) celebrou a redução do IPI ao enfatizar que indústria é o setor o mais tributado da economia no país.

De acordo com a entidade, a tendência é haver uma redução dos preços dos produtos industriais, com impactos na inflação, já que os preços do segmento representam 23,3% do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Base Industrial de Defesa
Assim como as demais empresas do setor industrial brasileiro (exceto as ligadas ao tabaco), as integrantes da Base Industrial de Defesa também serão fortemente beneficiadas com a iniciativa do governo, haja vista que poderão oferecer seus respectivos bens por preços mais baixos, além de aumentar a competitividade nacional e internacional destes produtos.

Salesio Nuhs, CEO Global da Taurus Armas e presidente da ANIAM - Associação Nacional das Indústrias de Armas e Munições, cujo setor tinha uma alíquota de 45% de IPI antes da redução, assim se posicionou:

"Eu já falei algumas vezes com relação a essa questão do IPI. Inclusive, quando foi reduzido o imposto de importação (que eu achei um absurdo por conta de prejudicar a indústria nacional, geração de emprego, etc.) eu falei que o que deveria ter sido reduzido era o IPI, porque beneficia a indústria nacional e os importados, pois esse imposto incide sobre as duas categorias. Então, nada mais justo do que reduzir o IPI de armas e munições agora para beneficiar todo o mercado. Obviamente, a Taurus e a CBC irão um repassar essa redução para o consumidor".

O peso dos impostos no custo de uma arma
Em agosto de 2021, o portal Armas de Fogo realizou uma simulação com o preço de uma arma da Taurus que, no Rio de Janeiro, custava ao consumidor a quantia de 4.176,17 reais. Esta arma estaria gravada com os seguintes impostos:

  • ICMS - 45%: R$ 1.670,46;
  • PIS/CONFINS - 9,25%:  R$ 231,77;
  • IPI - 45%:  R$ 1.023,26.


Pela simulação, a soma de impostos federais e estaduais é de R$ 2.925,49 na arma usada como exemplo.

Desta forma, sobra para a Taurus o valor aproximado de R$ 1.250,00, já somados os R$ 265,00 de frete, que também possui tributação própria.

Sendo assim, por uma arma que custa ao consumidor R$ 4.176,17, a Taurus recebe somente cerca de R$ 985,00.

Nessa conta não estão sendo considerados também os impostos indiretos que incidem sobre a empresa, como o IR, etc, pois este valor está incluso no valor final do produto. 

Observa-se, por fim, que esta simulação considerou uma venda direta da fábrica, permitida a caçadores, atiradores esportivos, colecionadores e outras categorias autorizadas a tal processo, haja vista que se arma for adquirida em uma loja, deve também ser incluído o lucro do lojista.

sábado, fevereiro 26, 2022

Fábrica da Taurus cria equidade e gera empregos em Bainbridge, nos EUA


*Walb News 10, por Nathalie Moreau - 23/02/2022

A Taurus, fabricante de armas de fogo, mudou-se do sul da Flórida para Bainbridge e trouxe uma série de empregos com eles. A empresa continuou a se expandir em poucos anos. Nathalie Moreau, do WALB News 10, esteve lá na quarta-feira para saber mais.

As armas de fogo Taurus estão preenchendo a lacuna de emprego, fornecendo empregos ao condado de Decatur e atingindo sua cota de emprego dois anos antes do planejado.

A meta era atingir 300 funcionários nos primeiros dois anos e já superamos isso e temos planos de crescimento adicionais”, disse Bret Vorhees, presidente e CEO da Taurus.

Bret Vorhees – Presidente e CEO da Taurus USA

O negócio deles também chamou a atenção para o município e as pessoas fazem essa pergunta.

“Por que a Taurus veio para Bainbridge? E o que Bainbridge tem a oferecer? E está realmente aberto, nos abrindo para muitos canais aos quais não estávamos abertos ao trazer outras empresas”, disse Rick McCaskill, Diretor Executivo da Autoridade de Desenvolvimento de Bainbridge e Decatur County.

Rick McCaskill - diretor executivo da Autoridade de Desenvolvimento
de Bainbridge e Decatur County (WALB)

McCaskill diz que o nível de crescimento do emprego ajudou o mercado imobiliário.

“Isso nos permitiu crescer. Criou algumas oportunidades reais para nós. Tínhamos um excesso de moradias quando a Taurus veio pela primeira vez. Não temos mais um excesso de habitação. Estamos trabalhando duro para trazer mais moradias”, disse McCaskill.

Agora, há uma necessidade de funcionários. Segundo McCaskill, "Estamos tentando trabalhar com todos os nossos empregadores para preencher vagas porque estamos tendo uma taxa de desemprego extremamente baixa no momento e, portanto, estamos lutando por esses empregos”.

A Taurus busca manter seus funcionários atuais, oferecendo um pacote de benefícios competitivo e, ao mesmo tempo, procurando preencher mais vagas devido à alta demanda.

“Temos muitos funcionários dedicados que ficam felizes em vir trabalhar todos os dias e contribuir, o que significa tudo para nós”, disse Vorhees.

Shirelle Cromartie, gerente de atendimento ao cliente, dirige uma hora por dia de Tallahassee para o trabalho porque ela diz que recebe uma quantidade enorme de ajuda da empresa.

“Eu definitivamente diria às pessoas com quem trabalho: eu gosto de vir trabalhar porque minha equipe e meus colegas vêm para o trabalho sabendo que tenho o suporte aqui, e tenho pessoas prontas para entrar no batente comigo, é incrível ”, disse Shirelle.

O condado de Decatur diz que planeja sediar futuras feiras de emprego para quem os procura. 

quinta-feira, fevereiro 24, 2022

Embraer e Air Peace assinam acordo de serviços para a frota de E-Jets-E2

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem


*LRCA Defense Consulting - 23/02/2022

A Embraer anunciou hoje, durante o evento MRO Middle East, em Dubai, a assinatura de um amplo acordo de serviços de longo prazo com a Air Peace, maior companhia aérea da Nigéria e da África Ocidental, para apoiar a frota de jatos E195-E2 e ERJ 145 da companhia aérea. O contrato inclui acesso ao Programa Pool, que inclui troca de componentes e serviços de reparo para centenas de itens das aeronaves da Embraer da Air Peace, e a instalação do Ahead-Pro (Aircraft Health Analysis and Diagnosis – PROgnosis, em inglês) na frota de E195-E2 da companhia.

“Este acordo de serviços com a Embraer é muito importante para o sucesso operacional da Air Peace, nos oferecendo acesso imediato a um estoque de peças eficientemente gerenciado, enquanto reduz a nossa necessidade de investimento para o fornecimento inicial de peças de reposição,”, disse Oluwatoyin Olajide, Chief Operating Officer da Air Peace. “Além disso, com o Ahead-Pro, seremos capazes de antecipar qualquer potencial problema de manutenção e otimizar o uso da aeronave, aumentando a confiabilidade na programação da nossa frota.”

A Air Peace é a primeira cliente na África do E2, a mais nova, eficiente e confortável aeronave do segmento. A companhia aérea também é a primeira cliente global do inovador design de assentos premium escalonados da Embraer. A companhia conta com 13 pedidos firmes para o E195-E2, com direito de compra para outras 17 aeronaves do mesmo modelo, operando ainda oito jatos ERJ 145. Cinco aviões dos 13 pedidos firmes foram entregues em 2021, com mais entregas previstas para este ano.   

“Ter os jatos E195-E2 e ERJ 145 cobertos pelo nosso Programa Pool mostra a confiança que a Air Peace tem nos produtos e serviços da Embraer. Como a primeira operadora do E2 na África, nosso principal objetivo é apoiar uma operação tranquila das aeronaves E2 enquanto mantemos a prontidão dos jatos ERJ,” afirmou Danielle Vardaro, Head de Suporte Global ao Cliente e Pós-Venda da Embraer Serviços & Suporte.

O Programa Pool oferecerá as soluções mais eficientes e confiáveis à frota da Air Peace. A companhia aérea se beneficiará da disponibilidade de peças de reposição, obtendo economias significativas nos custos de reparo e serviço, mantendo uma operação lucrativa. O Programa Pool é desenhado para permitir que as companhias aéreas minimizem seus investimentos iniciais em estoques e recursos de reparo de alto valor, bem como para aproveitar o conhecimento técnico da Embraer e de sua vasta rede de fornecedores de serviços de reparo de componentes. Atualmente, o Programa Pool apoia mais de 50 companhias aéreas em todo o mundo.

O Ahead-Pro é uma ferramenta de gerenciamento de diagnóstico de manutenção de última geração. O sistema conduz à otimização da gestão do planejamento de manutenção preventiva e corretiva e tem sido bem reconhecido por clientes em todo o mundo. O sistema é baseado em plataformas web que permitem às companhias aéreas monitorar continuamente a saúde da aeronave mesmo em voo. Isto é feito por meio da transmissão automática e em tempo real de mensagens de alerta e manutenção dos sistemas da aeronave que serão recebidas por uma base em solo e usadas para gerar relatórios de identificação de falhas. A solução de problemas e o planejamento dos recursos de manutenção ocorrem antes mesmo da chegada da aeronave ao seu destino, otimizando o tempo de retorno à operação entre os voos.

(Tardiamente) Parlamento da Ucrânia vota para permitir que cidadãos carreguem armas e ajam em legítima defesa em meio à invasão russa


*Blaze media - 23/02/2022

Enquanto a Rússia continua a ameaçar uma invasão militar em larga escala, o parlamento ucraniano aprovou na quarta-feira um projeto de lei que dá aos cidadãos permissão para portar armas de fogo e agir em legítima defesa – e em poucas horas, as lojas de armas estavam lotadas.

A Reuters informou que o projeto de medida foi aprovado em "primeira leitura".

Seus autores declararam em uma nota que “a adoção desta lei é totalmente do interesse do Estado e da sociedade”, acrescentando que a lei é necessária devido às “ameaças e perigos existentes para os cidadãos da Ucrânia”.

A medida ocorre apenas alguns dias depois que o presidente russo, Vladimir Putin, ordenou tropas de "manutenção da paz" para as regiões de língua russa de Donetsk e Luhansk, no sudeste da Ucrânia. Espectadores, incluindo o presidente Joe Biden, chamaram a manobra descarada do início de uma invasão.

A Rússia vem concentrando tropas em sua fronteira com a Ucrânia há semanas e recentemente começou a ameaçar guerra enquanto insiste continuamente que não há planos de invasão. Mas na quarta-feira, até 80% dos cerca de 150.000 soldados russos estacionados agora parecem estar em posição de prontidão, alertou um alto funcionário da defesa dos EUA, de acordo com Hill.

A ameaça iminente de um ataque em larga escala levou o governo da Ucrânia a emitir um estado de emergência de 30 dias , sob o qual o país do Leste Europeu começou a convocar reservistas militares e elaborou a medida para permitir que civis comuns carreguem armas de fogo.

Os ucranianos teriam respondido ao projeto de lei indo em massa às lojas de armas. O Guardian informou na quarta-feira que a ameaça de ataque a Kiev causou "uma corrida sem precedentes para comprar armas".

Lojas de armas já estão enfrentando longas filas enquanto os cidadãos ucranianos correm para comprar armas, munições e rifles de precisão. Algumas armas, como o AR-10 e o AR-15, já esgotaram nas lojas de armas.

"É claro que estou preocupado com a situação", disse um ucraniano à agência de notícias, falando do porão de uma loja de armas no centro de Kiev. "Estou esperando o melhor, mas me preparando para tudo."

Outro cidadão disse: "Comprei dois complexos de franco-atiradores com boa ótica. Também encomendei um drone na Amazon. Ainda não apareceu".

Armado, ele se sentia otimista com as chances de seu país contra uma força de ocupação russa.

"Podemos vencer a Rússia. Não estamos em 2014", disse. "Temos armas pesadas, graças aos EUA e ao Reino Unido. Se vierem, atiraremos neles de todas as janelas."

quarta-feira, fevereiro 23, 2022

WEG fornece soluções em motores elétricos para Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) na África do Sul

WEG fornece soluções em motores elétricos para Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) na África do Sul

*LRCA Defense Consulting - 23/02/2022

Crescimento populacional e o rápido desenvolvimento em torno do município de Joanesburgo são alguns dos desafios que o Departamento de Água e Saneamento da África do Sul enfrenta. Operando com sobrecarga hidráulica, a estação de tratamento de esgoto de Sebokeng, parte do Esquema Regional de Esgotos de Sedibeng, aumentou sua capacidade de 100Ml/d para 150Ml/d com a adição do Módulo Seis (6).

Este cenário identificou as diretrizes para melhorias e atualizações; e apresentou novas oportunidades para a WEG como fabricante de soluções elétricas.

A equipe de especialistas da Zest WEG em conjunto com a PCI África, uma das principais projetistas de sistemas de purificação e empreiteiras de soluções de saneamento para os mercados municipal e industrial da África, uniu competências e forneceu diversas soluções para toda a ETE. Os motores WEG foram instalados nos principais processos, desde o gradeamento, desarenadores, decantadores primários, reatores biológicos, decantadores secundários, clarificadores, espessadores de lodo até o desaguamento.

Após muitos anos de atrasos imprevistos, a parte do Módulo Seis (6) em Sebokeng – Emfuleni foi finalmente colocada em serviço.

Descrição do projeto
O projeto está localizado a aproximadamente 50 km ao sul de Joanesburgo, África do Sul, e envolveu a demolição dos tanques de água existentes, operações de terraplenagem, escavação para construção de terraços e obras de concreto para a reabilitação da estação de tratamento de esgoto de Sebokeng – Módulo 6, o que leva a uma capacidade total de 150 Ml/dia.

O escopo de fornecimento inclui várias soluções de motores elétricos W22 de baixa tensão com faixa de potência entre 3kW e 280kW, adequados para aplicações em todas as obras da ETE consistindo no seguinte:

Planta Mecânica

• 2 bombas tipo parafuso de 50Ml/dia equipadas com motores de 280kW.

• 4 peneiras de inclinação frontal e correias transportadoras.

• 2 compactadores.

• 2 pontes nos tanques de sedimentação primária de 30 m com 2 bombas de recirculação por tanque.

• Biorreator composto por 1 misturador e 21 aeradores variando de 30kW a 90kW.

• 10 bombas de recirculação.

• 3 pontes nos tanques de sedimentação secundária de 30 m cada com 2 bombas lodo ativado de retorno

• 2 bombas de lodo ativado residual.

• Sistema de dosagem de cloro a partir de tambores de 1 tonelada com bombas dosadoras.

Processo de tratamento de lodo

• 2 tanques de retenção de lodo com aeradores flutuantes.

• 6 prensas de drenagem.

• Todas as bombas necessárias e equipamentos associados.

 Este projeto reforça a capacidade da WEG em fornecer produtos inovadores e de qualidade para o Segmento de Água e Saneamento, e confirma que a empresa está alinhada com as necessidades dos clientes por meio da melhoria da eficiência energética, confiabilidade no desempenho da operação da planta e redução da pegada ambiental. Além disso, a participação da experiência da filial local da Zest WEG foi essencial para o bom relacionamento com a equipe integradora.

Phenom 300, da Embraer, se torna o jato da categoria leve mais vendido do mundo pelo 10º ano consecutivo


*LRCA Defense Consulting - 23/02/2022

A Embraer atingiu hoje um marco histórico com o anúncio de que os jatos da série Phenom 300 se tornaram os modelos da categoria mais vendidos do mundo pelo décimo ano consecutivo e o bimotor a jato mais entregue de 2021, segundo números divulgados pela General Aviation Manufacturers Association (GAMA), associação que reúne fabricantes do setor. A Embraer entregou 56 jatos da série Phenom 300 no ano passado, consolidando a excelência do produto por uma década e domínio de mercado.

A série Phenom 300 teve uma média anual de 50 aeronaves entregues por ano desde que entrou no mercado, em dezembro de 2009. Até o momento, a série acumulou mais de 640 entregas. Estas conquistas destacam o comprometimento da companhia em melhoria e inovação contínuas, além de oferecer as melhores características da categoria como alcance, velocidade, pressurização de cabine e tecnologia de ponta.

“É uma honra para a série Phenom 300 ser o jato da categoria leve mais vendido do mundo nos últimos 10 anos. Alcançar uma década de domínio é uma conquista extraordinária para a Embraer e solidifica nossa posição de liderança no mercado”, afirmou Michael Amalfitano, presidente e CEO da Embraer Aviação Executiva. “Esse marco garante a posição de liderança da aeronave no segmento de jatos leves, um reconhecimento da performance superior, tecnologia, conforto e suporte pós-venda. Desde o início, evoluímos a aeronave continuamente com base nos comentários dos clientes e continuaremos inovando e melhorando pelos próximos anos.”

A série Phenom 300 opera em 39 países e acumula cerca de um milhão e quinhentas mil horas de voo. A Embraer investe continuamente na atratividade da aeronave para clientes exigentes de todo o mundo, com melhorias em seu desempenho, tecnologia, conforto e eficiência operacional, resultando no maior valor residual do mercado.

Em janeiro de 2020, a Embraer anunciou o novo e aprimorado Phenom 300E. A aeronave recebeu em março daquele ano a tripla certificação das agências reguladoras do Brasil, Europa e Estados Unidos, ANAC, EASA e FAA, respectivamente. A primeira entrega dessa nova versão da aeronave ocorreu em junho de 2020.

O Phenom 300E estabelece o mais alto padrão de excelência na categoria de jatos leves. Em termos de desempenho, o Phenom 300E é ainda mais rápido, capaz de atingir Mach 0.80  (aproximadamente 850 km/h), tornando-se o jato certificado para operação com apenas um piloto mais rápido em produção, capaz de entregar 464 nós de velocidade de cruzeiro e alcançar 2.010 milhas náuticas (3.724 km) com cinco ocupantes e com reservas NBAA IFR.

Os novos recursos de conforto deste jato incluem uma cabine mais silenciosa, mais espaço para as pernas no cockpit e um novo interior premium – a edição Bossa Nova. que engloba um pacote com os mais recentes desenvolvimentos de interiores da Embraer, incluindo detalhes em fibra de carbono e o exclusivo estilo de acabamento Praia de Ipanema, da Embraer. É também o primeiro da série Phenom 300 a apresentar superfícies em black piano.

Dentre os aprimoramentos tecnológicos adicionais estão um upgrade de aviônicos, apresentando um sistema de alerta e prevenção de saídas de pista (ROAAS) - a primeira tecnologia desse tipo a ser desenvolvida e certificada na aviação executiva - bem como proteção preventiva contra o fenômeno tesoura de vento (windshear), Modo de Descida de Emergência, PERF, TOLD e FAA Datacom, entre outros. O Phenom 300E também conta com conectividade 4G via Gogo AVANCE L5 com cobertura para os EUA e conectividade via satélite para as demais regiões do mundo.

Índia: Taurus demonstra, com grande êxito, o fuzil T4 para as Forças Armadas


*LRCA Defense Consulting - 23/02/2022

A equipe da Taurus que se encontra na Índia e integrantes da Jindal Defence estiveram hoje na Escola de Infantaria Mhow, na cidade de Indore, estado de Madhya Pradesh, para realização de demonstração do fuzil T4, calibre 5,56x45 para as Forças Armadas Indianas, visando licitações imediatas e futuras que poderão chegar a cerca de 450 mil fuzis em cinco anos.

Para essa importante atividade, a Taurus levou 15 fuzis T4 automáticos em diferentes variações, como modelos de 14,5”, 11,5” e 7,5” de cano, guarda-mãos de alumínio quad-rail e M-Lok, diferentes miras e carregadores metálicos e de polímero.

O evento, que teve resultados muito positivos, contou com a participação de aproximadamente 30 militares do Exército Indiano, incluindo o Comandante da Escola de Infantaria, Brigadeiro Sanjeev Dhar.

A demonstração consistiu em apresentações sobre a precisão, efetividade e confiabilidade do T4, em todos seus modelos, com a variação de alvos, movimentação e mudança no modo e cadência de tiro, além de outros testes como queda e imersão em água.

Ao todo, foram realizados mais de 2.000 disparos, sendo que os integrantes do Exército Indiano também puderam testar individualmente todos os fuzis.

Ao final da demonstração, os militares indianos se mostraram bastante satisfeitos e ainda destacaram os atributos técnicos, intercambialidade, modularidade e adaptabilidade dos modelos T4 para os diferentes cenários e necessidades das forças indianas.

Segundo a Taurus, a demonstração do fuzil T4 para o Exército Indiano foi um grande êxito, fortalecendo a presença e a competitividade da empresa brasileira frente às demandas das Forças Armadas desse país.

Fuzil T4 com cano de 7,5 polegadas


Presença na DEFEXPO, a maior feira de Defesa da Índia
A empresa ainda planeja novas ações para reforçar seu posicionamento nos mercados indiano e asiático.

Entre os dias 10 e 14 de março, por exemplo, a Taurus estará expondo sua linha de fuzis e pistolas para as forças policiais e militares, além de sua linha de pistolas e revólveres para o mercado civil, na DEFEXPO, a maior feira de Defesa da Índia, a ser realizada na cidade de Gandhinagar, estado de Gujarat.

Leia mais:
- Taurus envia equipe à Índia para demonstrar o fuzil T4 para as Forças Armadas

- A Taurus e a longa busca da Índia por carabinas CQB

terça-feira, fevereiro 22, 2022

Taurus lança nos EUA a pistola G3XL


*LRCA Defense Consulting - 22/02/2022

A Taurus Armas S.A. lançou hoje nos Estados Unidos o seu modelo mais recente da crescente linha de pistolas de defesa pessoal da série G - uma elegante arma para transporte diário oculto (EDC) 9mm projetada para oferecer a precisão e a confiança de uma pistola de tamanho normal em uma configuração ideal para transporte velado confortável. 

A nova Taurus G3XL carrega o conjunto de ferrolho e cano de tamanho normal da G3. Este ferrolho todo em aço apresenta um acabamento durável preto fosco Tenifer para resistir ao desgaste e à corrosão do transporte diário e abriga um cano de aço inoxidável usinado com precisão. O cano de quatro polegadas, trabalhando com o longo raio de visão do ferrolho, fornece a precisão que os atiradores sérios exigem em uma arma defensiva e maximiza a velocidade da bala para aumentar o desempenho terminal. 

Movendo-se para o quadro, a G3XL distingue-se com um punho compacto que se esconde facilmente quando guardado no cós ou enquanto carrega como OWB (Fora da Faixa da Cintura) sob roupas casuais. Para garantir a tração e o reposicionamento suaves, os engenheiros da Taurus simplificaram o receptor de polímero da G3XL, reduzindo o comprimento do trilho de acessórios e eliminando a alavanca de segurança manual. 

A G3XL vem com carregador de 2 x 12 cartuchos para aumentar o tamanho e o perfil discretos da pistola. Se for desejada maior capacidade, a G3XL aceitará carregadores de 15 e 17 cartuchos disponíveis. 

De acordo com a reputação da série Taurus G em ter uma relação custo/desempenho líder da classe, a nova G3XL apresenta um preço sugerido de apenas $ 342,98 nos Estados Unidos - o equilíbrio final entre potência, desempenho e preço.


Veja abaixo a matéria da Shoot On a respeito do novo modelo:

Primeiro olhar: Taurus G3XL 9mm

*Shoot On, por Rob Reaser - 22/02/2022

Foi há apenas um mês que informamos sobre a última arma da linha Taurus G-series, a G3X. O colaborador Bob Campbell deu ao novo polímero 9mm um shakedown completo e ficou intrigado com o conceito.

Muitos atiradores com mãos maiores às vezes têm dificuldade com pistolas compactas e subcompactas, mas exigem armas curtas para suas necessidades de transporte oculto. O pessoal da Taurus decidiu que uma solução poderia ser encontrada combinando as dimensões de aderência de sua G3 9mm de tamanho normal com o ferrolho e quadro mais curtos da compacta G3c da empresa. Com a G3X, atiradores com luvas robustas podem desfrutar de controle aprimorado de armas de fogo em uma plataforma confortável e conveniente para transporte diário oculto (EDC).

Acontece que a Taurus tinha outra variante híbrida esperando nos bastidores – desta vez pegando o mesmo conceito híbrido, mas aplicando-o ao contrário.

Huh?

Digite: Taurus G3XL.

Em contraste com a multidão de mão pesada, a maioria dos atiradores se sente confortável em manusear uma pistola compacta, encontrando poucos problemas com o aperto encurtado. O cano diminuto e o raio de visão da guarnição, por outro lado, muitas vezes deixa os atiradores desejando aqueles grupos mais apertados que normalmente acompanham pistolas de tamanho normal.

A solução? Mesclar um quadro compacto com um conjunto de ferrolhos de comprimento total.

Devo admitir que, quando a Taurus nos alertou pela primeira vez que um modelo de teste avançado estava vindo em nossa direção e li as especificações, meu primeiro pensamento foi: “Isso está parecendo muitas variações de um tema”. Como se viu, a G3XL não é um caso de “um a mais”. Na verdade, uma vez que tive a chance de carregá-la e colocá-la no alcance, fez muito sentido.

Vamos começar com a armação de polímero.


A G3XL é construída em torno do mesmo quadro que a G3c compacta de segurança não manual. Isso significa que a G3XL é mais curta no comprimento total e na altura do punho do que a G3 de tamanho normal, embora a maioria dos atiradores possa envolver confortavelmente três dedos sob o guarda-mato. Como tal, a G3XL é uma 12-rounder de pilha dupla, assim como a G3c. A marca registrada (e mais excelente) Taurus pontilhada no punho, almofadas de memória, controles operacionais e ergonomia pontual são todos mantidos. Ao contrário da G3c, no entanto, a G3XL não é oferecida com segurança manual - essa função é relegada à segurança do gatilho e ao bloqueio do atacante.


A G3XL utiliza o mesmo carregador de 12 tiros que a G3c. O escalonamento entre o punho e a placa do piso está lá para ajudar a retirar um carregador hesitante, embora nunca tenhamos tido esse problema com nenhuma pistola Taurus da série G. Na verdade, os mags geralmente saltam assim que você pressiona o seu botão de liberação.

O gatilho quebra um pouco nitidamente. Overtravel e reset não são o que você chamaria de “curto” se você estiver familiarizado com os gatilhos do mercado de reposição, mas eles são bons para uma arma defensiva como essa.

Onde a G3XL se afasta da G3C é na configuração de ferrolhos. A G3XL emprega o mesmo cano e ferrolho de 4 polegadas que a G3 para um comprimento total comum de 7,28 polegadas, com uma exceção. Para acomodar o comprimento mais curto do receptor, a Taurus projetou uma cobertura estendida para cobrir a haste guia e o conjunto da mola e preencher a lacuna entre a extremidade do slide e a extremidade do receptor. Uma espécie de clássico de 1911, olha, nós pensamos.

Embora não tenhamos recebido nada além de elogios à precisão inerente da G3c e da GX4 ainda menor, o simples fato é que quanto maior o cano e quanto maior o raio de visão (distância entre as miras frontal e traseira), mais precisa é a arma, tudo o mais sendo igual. Medimos o raio de visão da G3XL em 5-15/16 polegadas, comparado aos 5-3/16 polegadas da G3c. Pode não parecer muito, mas como qualquer atirador experiente lhe dirá, um raio de visão adicional de 3/4 polegadas é muito importante para a precisão.


Atirando de uma posição de combate a 30 pés, alcançamos o melhor grupo de cinco tiros de 1,7 polegadas com a G3XL, cortesia do JHP de 124 grãos de Fiocchi . Os grupos de dez jardas e cinco tiros de outras munições testadas funcionaram…

  • Barnaul FMJ de 115 grãos: 2,495 polegadas
  • Black Hills Honey Badger subsônico 125 grãos: 2,563 polegadas
  • NovX Engagement Extreme 65 grãos: 2,659 polegadas

Qualquer um deles está na zona para uma arma de defesa pessoal, mas os números claramente favoreceram a munição de Fiocchi neste teste.


Para desmontar a G3XL, certifique-se de que o carregador foi removido e que não há munição na câmara. Puxe levemente o carregador para trás e puxe para baixo a alavanca de liberação deste. Enquanto continua a pressionar a alavanca de liberação, solte-o e puxe o gatilho. O carregador agora pode ser removido do receptor. Como você pode ver, a G3XL se divide em componentes familiares.

Uma coisa que queremos mencionar é que a G3XL vem com dois carregadores de 12 tiros. Se você estiver inclinado, pode comprar carregadores opcionais de 15 e 17 tiros para aumentar sua capacidade de carga. Isso pode ser ótimo para parte do dia, mas anula a intenção de portar a pistola de forma velada (CCW/EDC).

Com a G3XL, a Taurus conclui o experimento híbrido que começou com a G3X, e nós a saudamos. Esta arma é um caso forte para si mesma, uma vez que imprime, quando usada em IWB (por dentro da faixa da cintura / por dentro da calça), como uma pistola compacta, mas oferece o cano estendido e o raio de visão mais longo que contribui para um atirador preciso. Vencer e vencer.

Especificações da Taurus G3XL

Calibre: 9mm Luger
Capacidade: 12 rodadas
Carregadores: 2
Sistema de tiro: atacante (striker)
Tipo de ação: ação única com re-ataque
Visão frontal: aço fixo
Visão traseira: drift ajustável
Segurança: bloco do atacante, segurança do gatilho, indicador de câmara carregada
Tamanho do quadro: compacto
Material do punho: polímero
Material da corrediça: liga de aço
Acabamento deslizante: preto fosco Tenifer
Comprimento do cano: 4 pol.
Comprimento total: 7,28 pol.
Altura Geral: 5,1 pol.
Largura total: 1,2 pol.
Peso: 24,4 onças.



segunda-feira, fevereiro 21, 2022

Embraer tem pedidos de US$ 17,0 bilhões, valor mais alto desde o segundo trimestre de 2018

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem


*LRCA Defense Consulting - 21/02/2022

A Embraer informou hoje que entregou 55 jatos no quarto trimestre de 2021, sendo 16 comerciais e 39 executivos (26 leves e 13 médios). No total, a Companhia entregou 141 jatos em 2021, sendo 48 jatos comerciais e 93 executivos (62 leves e 31 médios). Em 31 de dezembro, a carteira de pedidos firmes totalizava US$ 17,0 bilhões, que é o valor mais alto desde o segundo trimestre de 2018. Veja os detalhes abaixo:

O valor atual da carteira de pedidos já reflete o resultado da negociação ​​com a Força Aérea Brasileira (FAB) para a redução de 28 para 22 o total de aeronaves KC-390 Millennium a serem entregues nos termos dos aditivos contratuais.

No segmento de aviação comercial, a Embraer anunciou, durante o Dubai Air Show, um pedido firme da Overland Airways, da Nigéria para três jatos E175, além de direitos de compra para três aeronaves do mesmo modelo. O avião de 88 lugares, com configuração de cabine classe premium, será entregue a partir de 2023. O valor do negócio é de US$ 299,4 milhões, a preço de lista, com todos os direitos de compra sendo exercidos. A Embraer também realizou a vendas de três aeronaves E175 configuradas para 76 assentos para a American Airlines num valor total de US$ 160,2 milhões. A aeronave deverá ser operada por sua subsidiária Envoy que deve chegar ao fim de 2022 com uma frota de E175 superior a 100 aviões.

Ainda no 4T21, a Embraer fechou contrato com a Azorra para 20 pedidos firmes e 30 direitos de compra de E190/195-E2 no valor total do negócio de US$3.9 bilhões. Com isso a família E2 acumulou um total de 50 ordens firmes em 2021 e não teve nenhum cancelamento, constituindo-se como a família líder de mercado no seu segmento.

Durante o 4T21, no segmento de jatos executivos, a Embraer e a NetJets, Inc. assinaram um acordo para até 100 jatos Phenom 300 adicionais, com valor de US$ 1,2 bilhão. Como parte do acordo, a NetJets receberá o Phenom 300E no segundo trimestre de 2023, tanto nos Estados Unidos quanto na Europa. A Embraer também entregou um novo Phenom 300E em Quito, no Equador, marcando a primeira entrega do tipo de aeronave no país, e o primeiro Praetor 500 no Canadá para a AirSprint Private Aviation, empresa de propriedade compartilhada de jatos.

No segmento de Serviços & Suporte, a Embraer assinou diversos contratos durante o quarto trimestre. No MRO Europe, evento líder em manutenção aeronáutica, a Embraer anunciou acordos para o programa Pool com a KLM Cityhopper, subsidiária regional da KLM Royal Dutch Airlines, a Air Montenegro, e ainda a renovação de contrato para o programa Pool com a TAP express, subsidiária da TAP Air Portugal. Atualmente, o programa Pool da Embraer apoia mais de 50 companhias aéreas em todo o mundo.

Ainda no 4T21, no segmento de Defesa e Segurança, a Embraer e o Exército Brasileiro (EB) apresentaram o radar SABER M200 VIGILANTE. Como resultado do desenvolvimento conjunto do radar para o governo brasileiro, o radar foi projetado para dar suporte às unidades de defesa antiaérea do país, bem como para aumentar o portfólio de produtos da Embraer para a exportação de sistemas integrados de defesa.

Irã quer retomar negociação para compra de aviões da Embraer

Embaixador do Irã no Brasil, Hossein Gharibi

*R7 Brasília, por Augusto Fernandes - 20/02/2022

O Irã tem interesse em continuar uma negociação aberta em 2017 com a Embraer para a compra de, pelo menos, 40 aviões comerciais produzidos pela empresa brasileira. De acordo com o embaixador do Irã no Brasil, Hossein Gharibi, a nação asiática vê a aquisição das aeronaves como uma forma de estreitar as relações comerciais com o Brasil e, por isso, trata a proposta da Embraer como prioridade.

“Nossa proposta de comprar aviões da Embraer ainda está na mesa. Nós tivemos boas discussões até 2017, quando as discussões pararam. Mas nós estamos prontos a retomar os diálogos para a compra dos aviões da Embraer”, disse Gharibi, em entrevista ao R7.

As conversas para a compra dos aviões esfriou devido a sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos ao Irã por causa de supostas infrações da nação asiática a um acordo nuclear internacional. Essas sanções impedem que empresas estrangeiras vendam ao Irã produtos com componentes americanos, que é o caso dos aviões fabricados pela Embraer. Caso haja alguma negociação, os EUA também aplicarão sanções a quem vender ao Irã.

Segundo Gharibi, existe uma expectativa de que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, retire as sanções contra o Irã neste ano. O embaixador comenta que o país asiático usa esse argumento para tentar avançar nas conversas com a Embraer, mas a empresa não quer fechar nenhum contrato antes de uma definição por parte dos EUA, de acordo com Gharibi.

O embaixador diz que continuar as negociações agora seria melhor para a Embraer, porque, com o fim das sanções, outras empresas aéreas devem procurar o Irã para vender aeronaves. Dessa forma, a proposta dos brasileiros poderia ser deixada de lado pelos iranianos.

“Já conversei com o ministro dos Transportes do Irã, e ele disse que dinheiro não é o problema no momento. Estamos dispostos a pagar o que a Embraer oferecer. Já até sugerimos que a empresa venda cinco aviões agora e o restante depois que as sanções acabarem. Assim que o CEO da Embraer quiser conversar, estaremos prontos para negociar”, afirmou Gharibi.

A reportagem questionou a Embraer sobre o andamento das negociações com o Irã, mas não recebeu retorno até a publicação desta matéria. O espaço segue aberto para manifestação da empresa.

Relações do Brasil com o Irã
A relação comercial entre Brasil e Irã é pautada principalmente pela exportação de produtos agrícolas. O país asiático é um dos principais importadores de milho, tendo comprado US$ 702 milhões do produto no ano passado, 17% do total negociado pelo Brasil com o exterior em 2021. Em contrapartida, o Irã é bastante procurado pelo Brasil para a compra de fertilizantes, sobretudo ureia. Em 2021, esse fertilizante foi responsável por quase 90% dos itens importados do Irã.

“O Irã está prestes a ser o importador número 1 dos produtos agrícolas do Brasil, na nossa visão. Neste ano, nós temos a intenção de comprar 10 milhões de toneladas de milho e 5 milhões de toneladas de soja. O Brasil é uma das fontes mais importantes das nossas aquisições e nós estamos trabalhando com companhias brasileiras e associações de negócios, e também com o governo, para garantir que nós tenhamos uma forma direta, estável e sustentável de fazer negócios”, ressaltou Gharibi.

Nesta semana, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, viajou ao Irã. Segundo Gharibi, o encontro é fundamental para ampliar as relações comerciais entre os dois países.

“Nosso volume de negócios anualmente é de bilhões de dólares. É enorme na comparação com as relações bilaterais que temos com outros parceiros e que o Brasil tem com outros parceiros. Mas essa área precisa ser aprimorada de forma a atender melhor às necessidades de ambos os lados.”

Outros mercados
Na visão do embaixador, Brasil e Irã têm outros potenciais além do setor agrícola. Segundo ele, ambos os países podem ser beneficiados caso aprimorem as negociações no campo de mineração, transportes, produtos petroquímicos e equipamentos médicos.

“O Brasil é bom em termos de agricultura, mas em muitas outras áreas o país teve um resultado excelente nos últimos anos. Nós estamos interessados em achar boas áreas de cooperação em termos de mineração. Ambos os países são ricos em mineração. Então, nós precisamos achar um bom jeito de cooperar um com o outro”, observou.

“Outra área é a indústria de transportes. O Irã é um país grande e precisa de transportes, por ar e por terra. Outra área é a de equipamentos médicos e de produção de remédios. Existem startups dos dois países que podem cooperar. O Irã também é rico em termos de petroquímicos e indústria de óleo. Existem produtos iranianos famosos no mercado mundial e que raramente encontramos no Brasil e nós precisamos garantir que os produtores iranianos tenham participação no mercado brasileiro”, acrescentou.

Postagem em destaque