Pesquisar este portal

novembro 14, 2020

Brasil apresenta aeronave militar de transporte com motor híbrido


*Hola News - 13/11/2020

O comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Tenente-Brigadeiro Antônio Carlos Moretti Bermudez, apresentou nesta sexta-feira os projetos do conceito de aeronave leve de transporte militar com motor híbrido que pretende desenvolver em associação com o fabricante aeronáutico Embraer.

As imagens do projeto, juntamente com um pequeno vídeo detalhando as características do futuro modelo, foram divulgadas durante o Seminário de Defesa Nacional que o Ministério da Defesa do Brasil organizou virtualmente esta semana.

Este é o primeiro fruto do entendimento que a FAB assinou com a Embraer em dezembro passado para iniciar os estudos de viabilidade para a construção de um novo cargueiro de médio porte que atenda especificamente às necessidades da defesa brasileira.

Ainda sem nome, a aeronave se chama Stout-Embraer, em referência à sigla para Short Take Off Utility Transport e à empresa que irá desenvolvê-la, fabricá-la e comercializá-la.

O conceito apresentado nesta sexta-feira é uma aeronave de médio porte equipada com motores híbridos, combinando dois turboélices com dois motores elétricos, capaz de transportar cargas (até 3 toneladas) e passageiros (até 30 soldados).

A intenção da FAB é acessar uma aeronave com a qual possa atender bases remotas ou na selva que tenham pistas curtas, estreitas e não pavimentadas, para poder substituir o C-95 Bandeirante e o C-97 Brasília, dois modelos também da Embraer que Tem em sua frota e que utiliza para este tipo de operação.

Dentre os requisitos da FAB, vale ressaltar que as aeronaves têm capacidade para transportar cargas ou passageiros, autonomia para cobrir os principais aeroportos da América do Sul do Brasil, equipamentos para lançamento de pára-quedas e transporte de pacientes, e rampa traseira para poder introduzir ou remova cargas maiores em paletes.

Outras características são a capacidade de decolar e pousar em pistas curtas (até 1.200 metros) e operar em ambiente amazônico e velocidade de até 2.425 quilômetros por hora.

O desenho exposto nesta sexta-feira é o de uma aeronave com asa alta, fuselagem retangular e rampa traseira, um dos maiores defeitos do Bandeirantes utilizado pela FAB.

O memorando de entendimento pelo qual a FAB e a Embraer firmaram parceria no novo projeto foi assinado dois meses depois que a fabricante brasileira de aeronaves entregou à Força Aérea o primeiro cargueiro militar KC-390 dos 28 que encomendou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque