Pesquisar este portal

fevereiro 15, 2022

"Todos os nossos armamentos daqui para frente deverão usar grafeno", diz CEO da Taurus

Taurus / Divulgação


*O Pioneiro, por Babiana Mugnol - 14/02/2022

A multinacional brasileira Taurus pretende inaugurar uma nova era na fabricação de suas armas. Desde o ano passado, prepara o lançamento da primeira pistola do mundo com componentes de grafeno. Mas além deste produto, que deve ser lançado até o final deste trimestre, a empresa gaúcha passará a incluir o material, considerado um dos mais leves e resistentes do mundo, em outros produtos fabricados, como revólveres.

O CEO global da Taurus, Salesio Nuhs, destacou que o lançamento da pistola GX4 com grafeno será o início de uma série de novidades fruto do trabalho conjunto do Centro Integrado de Tecnologias e Engenharia Brasil-Estados Unidos (Cite), em São Leopoldo, com a UCS Graphene, planta de produção industrial de grafeno da Universidade de Caxias do Sul (UCS).

—  Todos os nossos armamentos daqui para frente deverão usar grafeno pelo menos no tratamento superficial  —  disse o CEO da companhia.

Isso significa que os acabamentos proporcionarão maior resistência à corrosão, maior dissipação de calor, maior leveza, entre outras propriedades desta matéria-prima considerada uma das mais promissoras do mundo.

 —  Todas as peças em polímero serão injetadas também com incorporação de grafeno. Então ela vai ter grafeno no punho, backstrap, gatilho, trava de gatilho, tampa do ferrolho, retém do ferrolho e, inclusive, na maleta de transporte da arma.

Para isso, a Taurus conta com diversos fornecedores. Na Serra, além da UCS Graphene, pelo menos três empresas participam do projeto. O CEO da Taurus citou a NTC Moldes e Plásticose e a Matripolo Moldes e Injetados que estão injetando, não só as peças com grafeno, mas também a maleta. A Znano, também com sede em Caxias do Sul, fornece o composto aditivo do grafeno que viabiliza a injeção. A aposta no grafeno é tratada por Nuhs como um diferencial competitivo.

 —  Tem valor agregado e desenvolve novas tecnologias no país. E o Brasil está em vantagem por ter a maior reserva de grafeno do mundo. É uma vantagem competitiva não só para a Taurus  —  justifica o CEO.

Além dos investimentos em tecnologia, a Taurus está com planos de expansão física e atraindo os principais fornecedores para atuar no Rio Grande do Sul. No final do ano passado, adquiriu um terreno ao lado de sua fábrica de São Leopoldo com 100 mil metros quadrados a mais, justamente com a intenção de ampliar o parque fabril nos próximos anos. Em dezembro, já foram inaugurados 12 mil metros quadrados de ampliação que resultou na atração de seis fornecedores. A intenção para os próximos meses é transferir mais três sistemistas para a região.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque