Pesquisar este portal

setembro 10, 2021

WEG alcança a marca de 2 GW em painéis solares vendidos no Brasil

WEG alcança a marca de 2 GW em painéis solares vendidos no Brasil

*Portal Solar - 09/09/2021

A WEG foi a primeira empresa no Brasil a alcançar a marca de 2 GW de módulos fotovoltaicos vendidos. A empresa atua no segmento de fabricação de motores e equipamentos voltados ao setor elétrico.

Para Paulo Roberto Kruger, diretor de Vendas Internacionais de Sistemas da WEG, o crescimento deve se manter. “Estamos otimistas com o mercado brasileiro de energia solar, que ainda representa somente 2% da matriz elétrica do país. Acreditamos no crescimento nos próximos anos, alinhado com a tendência global do desenvolvimento de fontes de energia limpas.”

No ano de 2012, a WEG iniciou a venda de equipamentos para energia solar. Os produtos da empresa são fabricados no Brasil e na China. Os módulos comercializados têm classificação Tier 1, segundo a BloombergBNF. Esse Tier representa que há boa bancabilidade de seus produtores.

“Contamos com equipamentos importados e nacionais, com amplo portfólio de produtos. Os módulos fotovoltaicos que usamos são Tier 1 fabricados na China, mas os inversores, cabos, componentes de proteção e estrutura metálica são boa parte com fabricação nacional”, comenta Paulo.

O diretor ainda afirma que o preço dos painéis, que varia de acordo com a lei da oferta e procura do mercado internacional, é o grande desafio a ser superado pela empresa. “Os módulos fotovoltaicos por serem um commodity variam muito de preço e de disponibilidade, dependendo da oferta e demanda em escala global. Isso é um desafio para correta precificação e gestão da disponibilidade de estoque. Mas entendendo as dificuldades, conseguimos fazer uma boa gestão para garantir a satisfação dos clientes.”

Mesmo com esse grande desafio, a empresa espera ter um crescimento cada vez maior na América Latina. “Hoje o foco da WEG no segmento de energia solar está no Brasil, onde temos uma estrutura de representantes comerciais e assistência técnica muito bem consolidada. Estamos em uma fase inicial de operação em alguns países da América Latina”, conclui Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque