Pesquisar este portal

agosto 26, 2020

Presidente da Taurus revela lançamento de sete novas armas e outras importantes novidades

 


*LRCA Defense Consulting - 26/08/2020

Em live realizada na noite de hoje (26) pelo canal do Youtube do portal Defesa Aérea e Naval (DAN TV), o Presidente e CEO Global da Taurus Armas S.A. trouxe a público importantes novidades sobre a empresa, surpreendendo os internautas.

Além de discorrer sobre o ímpar momento que a companhia vive, com recordes de vendas, de produção, de receita, de lucro bruto e de Ebtida, bem como sobre os fatores que levaram a esse excelente desempenho, o executivo comentou sobre: os novos lançamentos que a empresa fará, licitações e joint ventures em curso, aumento de produção, possibilidade de sair do Brasil, compromissos da companhia (com a excelência, com os consumidores e com os funcionários), problemas do passado, objetivo para o futuro, turnos de trabalho, atraso na entrega de alguns produtos, expansão para outros países, últimos lançamentos, etc.

Sete novos lançamentos
Salesio divulgou que a Taurus prepara o lançamento de sete novas armas:

- Pistola GX4: será a evolução da Família G, atualmente composta pela G2, G2c, G3 e G3c. Será fabricada nos EUA e exportada para o Brasil, com lançamento previsto para 2021.

Nova Pistola GX4
 
- Submetralhadora compacta: será a mais compacta e leve submetralhadora do mercado

Nova Submetralhadora
 

Revólver calibre .223: será o primeiro revólver do mundo com esse poderoso calibre. A fabricação será feita no Brasil e o lançamento está previsto para o segundo semestre de 2021.

Revólver no calibre .223


 - Rifle de Ferrolho  - será produzido e vendido com o grande diferencial de ter três canos intercambiáveis, sendo que cada cano terá um calibre: .308, .243 e 6,5.

Novo Rifle de Ferrolho

 

- Fuzil AR-10: nos calibres 7.62 x 51 (OTAN) e 7.62 x 39 (antigo Pacto de Varsóvia). 

Sobre o Fuzil Ar-10 e o Rifle de Ferrolho, leia mais nesta matéria: "Taurus desenvolve três novos fuzis mirando os mercados nacional e internacional"

Além dessas armas, a Taurus planeja também lançar:
- Revólver calibre 350 (para caça de cervos);
- Revólver calibre 460.

Joint venture com empresa do setor automotivo
O executivo divulgou que a joint venture com uma importante empresa brasileira do setor automotivo será anunciada em meados de setembro. Segundo Salesio, será um negócio muito estratégico para a empresa.

Anteriormente, a empresa havia afirmado que o negócio "surpreenderá positivamente o mercado. O parceiro tem grande capacidade tecnológica e está agregando muito à engenharia da Taurus".

Saiba mais sobre este assunto em: "Taurus Armas assina memorando de entendimentos com empresa do ramo automotivo para uma joint venture".

Expansão para outros países e licitação internacional
Ao explicar sobre a joint venture com o Jindal Group na Índia, Salesio comentou que este modelo de negócio pode ser estendido para um outro país, mas não declinou qual e nem o estágio das negociações, já que a companhia é aberta e esse tipo de informação tem que ser dado via fato relevante.

Ao comentar sobre o Fuzil T4, disse que esta arma é a mais desejada no Brasil e que está participando de uma grande licitação militar internacional, sobre a qual não pode dar maiores informações pelos mesmos motivos do item anterior.

Três turnos no Brasil
Em virtude da forte demanda, o executivo informou que a fábrica brasileira, sediada em São Leopoldo (RS), está trabalhando em três turnos e que tem a previsão de estar fabricando 5.600 armas por dia até o final deste ano, devido a um aumento de produtividade.

Com isso, o atraso na entrega dos Fuzis T4 e da Submetralhadora (Carabina) SMT, está sendo resolvido, passando de 90 para 20 dias, devendo o prazo se normalizar até o início de setembro.

No entanto, afirmou que a empresa não fará outros investimentos em aumento da produção no Brasil, priorizando a unidade americana, já que os entraves regulatórios e tributários fazem com que seja mais barato produzir nos EUA e exportar para o nosso país. Mesmo assim, a empresa não tem planos de abandonar o país, já que tem compromisso inarredável com seus funcionários, fornecedores e clientes, além de muito orgulho de ser uma companhia leopoldense, gaúcha e brasileira há 80 anos.

Compromisso com a excelência
O CEO da Taurus explicou que, desde que a atual administração assumiu a empresa em 2017, foi criado o slogan "Compromisso com a excelência", que passou a balizar todas os seus planejamentos, ações e produtos.

Com isso, uma das primeiras medidas tomadas foi informar aos proprietários de armas fabricadas antes desse período que, caso constatassem qualquer problema (defeito de fabricação) com sua arma, poderiam solicitar uma revisão gratuita por meio do representante local. Esse procedimento é adotado até hoje, pois a empresa faz questão de ter um pós-venda forte e atuante no apoio ao consumidor.

Lançamentos recentes e previstos
Ao discorrer sobre os recentes lançamentos, Salesio disse que:

- Os novos produtos da Taurus Armas são baseados nos desejos dos consumidores, que são permanentemente ouvidos sobre o assunto.

- As 1.000 unidades disponibilizadas para novo Revólver Tracker 992 foram esgotadas em três horas.

-  Nos EUA, o lançamento da G3c em maio foi comparado ao de um novo modelo de iPhone, tendo se esgotado em poucas horas e apresentando filas nas calçadas.

- A Pistola G2c continua como campeã de vendas no mundo em sua categoria (subcompacta), já tendo sido comercializadas cerca de 2,6 milhões de unidades.

- A Pistola G3 ainda não foi liberada pelo Exército, que tem que emitir o competente Relatório Técnico Experimental (RETEx) antes de a arma poder ser lançada no país. Vale ressaltar que, se fosse produzida no exterior, poderia ser vendida tranquilamente sem esse entrave regulatório.

Objetivo da empresa para o futuro
O CEO da Taurus afirmou que, com base nos excepcionais resultados que a empresa vem conquistando, apresentando recordes de produtividade e financeiros a cada semestre, já detendo 15% do mercado americano de armas pequenas, já sendo a segunda maior exportadora para esse país e com a entrada em produção de sua unidade na Índia em fevereiro de 2021, está convicto de que a Taurus Armas se tornará (em prazo não determinado) a maior fabricante de armas leves do mundo, sendo este o objetivo da companhia.


Íntegra da live

19 comentários:

  1. Acho muito boas as novas notícias.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom que temos mas novidade muito bom

    ResponderExcluir
  3. Tem e que entregar as que já foram vendidas que tem muita gente que fez pedido em junho e até agora nada.

    ResponderExcluir
  4. Sempre é bom ter coisa nova no mercado BRASILEIRO.

    ResponderExcluir
  5. A empresa é brasileira, precisa fabricar lá fora e exportar para cá? Taí porque o valor está tão alto do armamento.

    ResponderExcluir
  6. Porque não um revólver no 45 acp?

    ResponderExcluir
  7. Era tudo o que faltava no Brasil, uma fábrica de armas produzindo fuzil .308

    ResponderExcluir
  8. Eu torço para que a Taurus evolua, ótima empresa. Para quem não sabe, de um valor final da arma desconta-se 35.20% de imposto federal e 25 % de imposto Estadual. Ou seja, um material vendido com tamanha carga tributária direta, fora a indireta e a empresa ainda continua evoluindo e gerando emprego.... Parabéns Taurus!!! Preço médio da G2C 9mm, R$ 3350,00 valor de imposto R$2.250 reais. Praticamente mil reais para produzir e comercializar a arma.... Só no Brasil mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Taurus brasileira não nós faça vergonha... Gostaria de rifles de múltiplos calibres armas versáteis e preços ainda salgados para nós..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como reduzir o preço da arma se 60 % do valor vendido em lojas é imposto? Um absurdo a carga tributária....

      Excluir
  10. Eu, como lojista do ramo, nunca possuí arma que não fosse da taurus, e não me arrependo disso. O nosso problema é a nossa legislação arcaica e desarmamentista.

    ResponderExcluir
  11. Legislação brasileira ainda atrapalha e onera muito!
    Mas vivemos um.momento de avanço, torço para que o mercado nacional se aprimore.

    ResponderExcluir
  12. Faltou a Taurus lançar um fuzil semi-automático 9mm na plataforma do AR-15.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo 100% consigo.

      Falta uma linha voltada pra CCP completa

      Excluir
  13. Porque não fabricar carabinas nos calibres 32 38 nos mesmos modelos dos calibres .22

    ResponderExcluir
  14. É absurda a buRRocracia que temos para liberação de novos produtos do segmento em nosso país, sendo a pistola G3 o exemplo pronto e acabado disso. Triste saber que a GX4 não será feita aqui.

    ResponderExcluir
  15. A 840 parece um chocalho, adquirida depois de 2017..mas falaram que não tem solução. Vc anda com ela e parece que está com um chocalho na cintura...é pro ladrão perceber?

    ResponderExcluir
  16. A 840 parece um chocalho, adquirida depois de 2017..mas falaram que não tem solução. Vc anda com ela e parece que está com um chocalho na cintura...é pro ladrão perceber?

    ResponderExcluir

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque