Pesquisar este portal

domingo, dezembro 05, 2021

Finalmente, a Índia começou a definir os fuzis e calibres para seu exército


*LRCA Defense Consulting - 05/12/2021

Como poderá ser lido na matéria abaixo, produzida pelo portal especializado indiano Defence Star, a Índia finalmente decidiu produzir os mais de 500.000 fuzis de assalto russos Kalashnikov AK-203 no calibre 7,62 x 39mm (padrão da antiga URSS) para substituir seus problemáticos e obsoletos INSAS. A produção poderá ser estendida a até 750.000 dessas armas. Essa licitação já estava acertada há dois anos, mas faltavam alguns detalhes, que ora foram resolvidos.

Com isso, finalmente ficou definida a questão desse tipo de arma e calibre, mas o país ainda precisará definir a produção de fuzis de assalto no calibre 7,62 x 51mm (padrão OTAN) e a de carabinas CQB no calibre 5,56 x 45mm.

Apesar do problema logístico, a Índia indica que manterá os três calibres. Assim, necessitará de uma futura opção Made in India para substituir os fuzis de assalto SiG 716 G2 Patrol 7,62 × 51 mm fabricados nos EUA e comprados em caráter emergencial em 2019 e 2020.

Da mesma forma, mas em caráter mais urgente, precisará de outra opção nacional para produzir as cerca de 500.000 carabinas CQB (Close Quarters Battle - combate aproximado) no calibre 5,56 x 45mm para substituir os obsoletos fuzis INSAS (indianos), AK-47 e AKM existentes (estes dois últimos de várias procedências), utilizados pelas tropas que guarnecem as fronteiras com a China e com o Paquistão.

Em síntese, isso significa que a multinacional brasileira Taurus Armas, por meio da joint venture com o poderoso grupo indiano Jindal (nominada como Jindal Taurus), que começará a operar no início de 2022, tem excelentes chances na disputa pela fabricação, tanto das carabinas CQB (com o fuzil Taurus T4, que é o seu grande objetivo), quanto (possivelmente) do fuzil de assalto no calibre 7,62 x 51, neste caso com o novíssimo e ainda não lançado fuzil Taurus T-10.

Sobre as possibilidades da Taurus nesses gigantescos negócios, leia também esta reportagem: "Fuzis Taurus T4 são entregues ao Exército das Filipinas em cerimônia militar"

---xxx---



Índia fecha acordo para fabricação de fuzis AK-203

*Defence Star - 04/12/2021

Dois dias antes da visita do presidente russo Vladimir Putin à Índia, o governo do primeiro-ministro Narendra Modi fechou no sábado o acordo para a fabricação de mais de 5.00.000 rifles AK-203 Kalashnikov na Índia por meio de uma joint venture, Indo-Russia Rifles Private Limited (IRRPL), localizada na cidade de Korwa, no distrito de Amethi, no estado de Uttar Pradesh, no norte da Índia, onde o governo está desenvolvendo um centro de fabricação de defesa.

O presidente Putin virá à Índia em 6 de dezembro para participar da cúpula anual Índia-Rússia com o primeiro-ministro Narendra Modi em Nova Delhi.

"Em um esforço para fornecer um grande impulso à autossuficiência na fabricação de defesa na Índia, o governo aprovou o plano para a produção de mais de cinco lakh (mais de meio milhão) de fuzis AK-203 em Korwa, Amethi UP", disse uma fonte oficial.

A fonte disse que isso reflete a mudança cada vez maior de paradigma, passando da aquisição global de produtos de defesa para a produção Make in India.

“Essa empreitada será feita em parceria com a Rússia e reflete o aprofundamento da parceria entre os dois países no setor de defesa”, afirmou a fonte.

Embora o primeiro-ministro Narendra Modi tenha inaugurado a fábrica de rifles da Indo-Rússia há mais de dois anos, em março de 2019, tanto a Índia quanto a Rússia não assinaram um contrato firme devido às diferenças sobre o pagamento de royalties ao Grupo Kalashnikov da Rússia, o fabricante do equipamento original (OEM).

O Exército indiano , que enfrenta um cenário de guerra em duas frentes, com o vizinho do leste (China) e o vizinho do norte (Paquistão), ordenou que mais de 72.000 fuzis de assalto SiG 716 G2 7,62 × 51 mm fabricados nos EUA em 2019 como uma medida provisória sob seus poderes de aquisição de emergência para equipar a frente tropas de linha.


Make in India em Defesa
No ano passado, o governo do primeiro-ministro Narendra Modi lançou seu ambicioso programa para tornar a Índia autossuficiente (Atma Nirbhar Bharat) em setores críticos, incluindo defesa.

O governo também divulgou duas listas negativas para importação de itens de defesa em suas licitações, a fim de incentivar a produção nacional de equipamentos de defesa no país.

Segundo os dirigentes, o projeto proporcionará oportunidades de negócios a diversas MPMEs e demais indústrias de defesa para fornecimento de matéria-prima e componentes, o que levará à geração de novas oportunidades de emprego.

“O projeto marca um passo significativo no sentido de tornar o estado de Uttar Pradesh um contribuidor-chave na ascensão da fabricação de produtos de defesa da Índia”, disseram eles.

Os fuzis AK-203 de calibre 7,62 X 39 mm substituirão os rifles INSAS em serviço lançados há mais de três décadas. Com alcance efetivo de 300 metros, são leves, robustos e fáceis de usar. Os fuzis de assalto modernos possuem tecnologia comprovada que aumentará o potencial de combate dos soldados para enfrentar adequadamente os desafios operacionais atuais e previstos.

Eles aumentarão a eficácia operacional do Exército Indiano nas operações de Contra-Insurgência e Contraterrorismo.

Indo-Russia Rifles Private Limited (IRRPL)
O projeto será implementado por uma joint venture de propósito especial chamada Indo-Russian Rifles Private Ltd (IRRPL), que foi estabelecida entre o antigo OFB (agora Advanced Weapons and Equipment India Limited - AWEIL e Munitions India Limited - MIL), da Índia, e a Rosoboronexport (RoE) em parceria com o grupo Kalashnikov, da Rússia.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque