Pesquisar este portal

terça-feira, maio 10, 2022

Lucro da Taurus quase triplica em relação ao do primeiro trimestre de 2021


*LRCA Defense Consulting - 10/05/2022

A Taurus Armas S.A. divulgou hoje, após o fechamento do mercado, os seus números referentes ao primeiro trimestre de 2022 e, mais uma vez, trouxe boas notícias para seus acionistas.

Lucro líquido quase três maior que o do 1T21
O primeiro grande destaque foi o lucro líquido perído. Com R$ 195,0 milhões no 1T22 e margem sobre a receita operacional líquida de 28,8%, o resultado da Taurus é quase três vezes maior (+ 186,4%) do que o lucro obtido no 1T21. Este é o nono trimestre consecutivo de lucro líquido, o que espelha a solidez da empresa.

O resultado bruto do 1T22, de R$ 334,5 milhões, superou em 31,7% o obtido no 1T21. A evolução é superior ao crescimento da receita no mesmo período de forma que, mesmo com a pressão exercida pela valorização do real em relação ao dólar norte-americano no período, a Taurus obteve aumento da rentabilidade bruta de 3,4 p.p., com a margem atingindo 49,4% no 1T22.

Ebitda superior a R$ 240 milhões pelo terceiro trimestre consecutivo
O Ebitda de R$ 242,2 milhões do 1T22 é outro grande destaque, já que mostra uma evolução de 37,8%, ante os R$ 175,7 obtidos no mesmo período de 2021. Da mesma forma, a rentabilidade operacional, medida pela margem Ebitda, manteve evolução positiva no período, atingindo 35,38%, com alta de 3,9 p.p. no mesmo período de comparação.

A receita operacional líquida consolidada apresentou aumento de 22,8% na comparação entre o 1T22 e igual trimestre do ano anterior, percentual bastante superior aos 3,8% de alta no volume de vendas verificado no mesmo período. Considerando isoladamente o segmento de armas & acessórios, a receita no 1T22 foi de R$ 651,9 milhões, 27,2% superior ao apurado no 1T21. 

No entanto, comparado ao 4T21, a receita líquida consolidada foi pressionada pela redução no volume de vendas de armas (férias coletivas e manutenção), pela desvalorização de 6,4% do dólar médio frente ao real no período e, ainda, pela contração da receita dos demais segmentos de atuação da empresa.

Produção supera em mais de 15% o 1T21
A produção total da Taurus no 1T22, considerando as operações industriais do Brasil e dos EUA, atingiu a média de 9 mil armas por dia, volume 15,4% superior ao registro no mesmo período do ano de 2021. O volume total produzido, de 574 mil unidades, superou em 16,8% o alcançado no 1T21.

Tradicionalmente, a produção no primeiro trimestre do ano é mais baixa do que nos demais e, portanto, foi inferior à realizada no ano de 2021, 9,3 mil unidades/dia. Isso ocorre em razão do processo de ramp up das fábricas após a parada de manutenção e férias coletivas realizada em dezembro, além do fato de não haver a retomada integral em janeiro, uma vez que, durante esse mês, o grupo de funcionários que ficou fazendo inventário em dezembro tem seu período de férias. 

A unidade norte-americana produziu 216 mil armas no 1T22, volume 23,5% superior ao apurado no 1T21, totalizando 909 mil unidades produzidas nos últimos 12 meses. A produção de armas da unidade brasileira no 1T22 foi de 358 mil unidades, o que representa aumento de 13,0% em relação ao registrado no mesmo período do ano anterior.

Vendas aumentam no Brasil e em outros países. Back order de 770 mil armas
Com relação às vendas, foram 517 mil unidades de armas vendidas pela Taurus no 1T22, volume 3,8% superior ao registrado no 1T21, resultado do aumento de 23,9% no volume de vendas no Brasil e de 22,2% no volume de vendas para outros países além dos EUA. Já no mercado norte-americano, as vendas se mantiveram praticamente estáveis no mesmo período de comparação. Ao final do trimestre, a Taurus registrava back order de 770 mil unidades de armas para entrega nos mercados norte-americano e brasileiro, volume equivalente a 4,5 meses de produção integrada nos dois países.

Relação dívida líquida/Ebitda de apenas 0,2 mostra a saúde financeira da empresa
Ao final de março, a dívida bruta da Companhia era de R$ 535,4 milhões, o que indica redução de 22,8% ou R$ 157,9 milhões em relação à posição registrada no encerramento do exercício de 2021. Houve redução de R$ 238,5 milhões na posição da dívida líquida (dívida bruta menos Caixa e aplicações financeiras) no decorrer dos três primeiros meses de 2022.

A contínua e consistente redução da dívida no decorrer dos últimos anos, acompanhada de aumento da geração de caixa permitiu a plena desalavancagem financeira da Taurus. Ao final de março, considerando o Ebitda gerado nos últimos 12 meses, a relação dívida líquida/Ebitda atingiu 0,2, indicando que 20% da geração de caixa anual medida por esse indicador seria suficiente para quitar a totalidade da dívida, isso sem contar ainda a fábrica de capacetes, o terreno em Porto Alegre e os bônus de subscrição a vencer, que poderão injetar mais R$ 249 milhões na empresa.  

Dividendos
O lucro líquido de R$ 195,0 milhões no primeiro trimestre superou a totalidade do lucro líquido distribuído na forma de dividendos referente ao resultado de 2021, que foi de 194,3 milhões, equivalente a R$ 1,62 por ação. Com a estrutura da empresa plenamente ajustada e a consolidação dos bons indicadores operacionais e financeiros, a Taurus evidenciou o objetivo de seguir remunerando os acionistas de forma diferenciada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque