Pesquisar este portal

abril 09, 2023

Embraer busca ampliar presença na Índia e na China

A empresa brasileira estabeleceu uma meta ambiciosa de produzir e entregar quase 100 aviões anualmente com até 150 assentos até 2025, representando um aumento significativo de 75% em relação às entregas do ano anterior.


*Financial Express - 08/04/2023

A Embraer, maior fornecedora mundial de aeronaves não ocidentais e importante participante da indústria de aviação civil do Brasil, está tomando medidas ousadas para fortalecer sua posição no mercado de jatos de passageiros de fuselagem estreita em rápida expansão na China e na Índia.

A empresa brasileira estabeleceu uma meta ambiciosa de produzir e entregar quase 100 aviões anualmente com até 150 assentos até 2025, representando um aumento significativo de 75% em relação às entregas do ano anterior.

A estratégia de expansão da Embraer ocorre em um momento crucial, já que as tensões entre a China e os Estados Unidos resultaram em restrições às exportações de aeronaves americanas para Pequim. Espera-se que a recente dissociação entre os dois rivais econômicos tenha um impacto adicional no comércio de aviação, com a China sendo tradicionalmente o maior comprador de jatos da Boeing.

A Embraer aproveitou esta oportunidade garantindo as entregas de seu mais novo jato comercial da série E2, o E190-E2, para a China após obter a certificação de tipo das autoridades chinesas. A empresa também está ativamente envolvida em negociações com a Índia para fornecer jatos de passageiros para as companhias aéreas indianas até 2024, visando estrategicamente o mercado de aviação que mais cresce no mundo.

Além disso, a Embraer está explorando ativamente oportunidades de fornecer aviões de guerra para a Índia e, potencialmente, estabelecer uma fábrica em parceria com uma empresa local. A Índia expressou grande interesse em colaborar com fabricantes internacionais de aeronaves para produzir pequenos aviões no mercado interno, já que muitos aeroportos do Esquema Regional de Conectividade da aviação civil do país não estão equipados para lidar com aeronaves de fuselagem estreita de grandes players como Airbus e Boeing.

A pesquisa de mercado indica uma forte demanda por aeronaves de passageiros com 150 assentos ou menos na região da Ásia-Pacífico, incluindo China e Índia. A Embraer vê potencial de vendas significativo no mercado da Ásia-Pacífico e pretende capturar uma parte substancial das estimadas 8.500 unidades globalmente, com pelo menos 2.200 delas esperadas para a região.

Com foco estratégico na China e na Índia, a Embraer está se posicionando como um player importante no crescente mercado de aviação da Ásia. Aproveitando sua experiência e capacidade, a empresa está determinada a atender à crescente demanda por aeronaves comerciais na região e reduzir a dependência de fabricantes de aeronaves tradicionais. À medida que o cenário da aviação global evolui, os movimentos ousados ​​da Embraer na China e na Índia estão prestes a moldar a dinâmica do setor e estabelecer a empresa como uma concorrente formidável no competitivo mercado asiático.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque