Pesquisar este portal

domingo, agosto 21, 2022

Brasil busca obuseiro autopropulsado de 155mm; CAESAR da Nexter, Archer da BAE e ATMOS da Elbit se destacam

CAESAR self-propelled howitzer [SPH - obuseiro autopropulsado]

*BulgarianMilitary.com - 21/08/2022

Pouco mais de um ano após o anúncio da diretriz para iniciar o projeto Veículo Autopropulsado de Combate com Rodas 155 mm, em julho de 2021, o Comando Logístico do Exército Brasileiro deu mais um importante passo neste programa, anunciando publicamente o lançamento do RFI/RFQ em 15 de agosto.

Este documento e seus dois anexos destinam-se a permitir legalmente a aquisição, por licitação internacional, de 36 obuseiros autopropulsados ​​de 155 mm [SPH: self-propelled howitzer - obuseiro autopropulsado].

Essa quantidade seria suficiente para três grupos de Artilharia Divisionária [AD] ou brigadas mecanizadas atualmente em processo de rearmamento pelo Programa Estratégico Guarani, que permite a destruição de alvos a distâncias de até quarenta quilômetros por meio de armas convencionais e/ou munições inteligentes com capacidade de alcance estendido.

Como parte do EEP Guaraní, esta iniciativa conta ainda com o apoio do Subprograma Estratégico do Sistema de Artilharia de Campanha [SPrg EE SAC] do Programa Estratégico para Alcançar a Capacidade Operacional Plena [OCOP].

Archer self-propelled howitzer

Consulta pública
A consulta pública ou “pedido de licitação” está marcada para o período entre os dias 17 de agosto e 10 de novembro, para consultar o mercado nacional e internacional sobre a capacidade de entrega de sistemas de armas para o projeto Veículo de Combate Blindado Autopropulsado 155mm Sobre Rodas [VBCOAP 155mm SR].

O objetivo da consulta 01/2022 é refinar e esclarecer as descrições contidas nos requisitos operacionais [EB20-RO-04.021] e os requisitos técnicos, logísticos e industriais [EB20-RTLI-04.010] aprovados em abril deste ano, e realizar uma pesquisa abrangente de preços.

Esse processo resultará em dois contratos, um para a compra de duas unidades para teste e avaliação, e o segundo para definir a compra de mais 34 unidades em um prazo de entrega de até oito anos.

Cooperação industrial
Entre os requisitos a serem atendidos com esta compra está o de fabricar sua munição de 155mm no Brasil, com ToT [transferência de tecnologia] para munições guiadas inteligentes e sistemas correlatos, algo considerado essencial, bem como a integração da arma com a plataforma de rodas no Brasil, em um caminhão militar tipo 6×6 ou 8×8, até um limite máximo de 21 toneladas para o conjunto completo, ou seja, teoricamente transportável pelas aeronaves Hercules C-130 ou KC-390 Millennium.

ATMOS self-propelled howitzer

Os contratos também devem prever as ações necessárias para possibilitar o treinamento de pessoal de operação e manutenção, a adequação/construção de infraestrutura para esse tipo de material novo para os militares e a pesquisa e criação de doutrina com vistas ao uso destes obuseiros por pelo menos 25 anos.

Três se destacam
Nos últimos 10 anos, diversos fabricantes, percebendo o desejo brasileiro por este sistema, ofereceram seus produtos aos militares brasileiros.

Três deles se destacam: o francês CAESAR (CAmion Équipé d'un Système d'ARtillerie), do KNDS [Nexter Systems], apresentado no Brasil em parceria com a Avibras Aeroespacial e Defesa; o israelense ATMOS, da Elbit Systems, apresentado aos militares em conjunto com a Ares Aeroespacial e Defesa; e o britânico-sueco Archer, da BAE Systems.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque