Pesquisar este portal

agosto 03, 2020

Semestre tem recordes de vendas de armas nos EUA e no Brasil. Taurus poderá ser beneficiada

*LRCA Defense Consulting - 03/08/2020

Pelo terceiro mês neste ano, o FBI registrou checagens de vendas de armas em número recorde, indicação segura de que as preocupações com a eleição presidencial de 2020, com a pandemia e com os protestos raciais estão levando as compras de armas a um nível histórico nos Estados Unidos.

Logo após as 3.931.607 verificações de antecedentes em junho, a maior já registrada em 14 anos no Sistema Nacional de Verificação de Antecedentes Criminais Instantâneos (NICs), o FBI divulgou nesta segunda-feira (03) que as verificações de julho totalizavam 3.639.224. O número é o terceiro maior valor mensal de todos os tempos, atrás dos 3,9 milhões de checagens em junho e dos 3,7 milhões em março.

As verificações feitas pelo NICS são consideradas o melhor indicador para estimar o número de vendas de armas no país durante um determinado período de tempo, porque quase todas as vendas realizadas por revendedores licenciados, como lojas de armas, exigem a realização de uma verificação.

Mês a mês, os números de julho representam um aumento de 79% em relação a julho de 2019. No geral, o FBI realizou 22.819.271 verificações de antecedentes este ano, quase 44% superior ao primeiro semestre do ano passado, quando as verificações até julho totalizaram 15.890.359. O número do primeiro semestre corresponde a cerca de 80% de todo o ano de 2019.

As verificações de antecedentes do FBI indicam que 2020 já viu pelo menos 10 milhões de armas vendidas - muitas para compradores e minorias que as adquiriram pela primeira vez.

Embora uma única verificação de antecedentes possa representar a venda de várias armas, esses números não são um retrato perfeito das vendas, pois não incluem dados de 20 estados que processam algumas ou todas as suas verificações de antecedentes por conta própria, e não pelo FBI.


"Estou vendo coisas que nunca vimos antes"
O grupo da indústria Small Arms Analytics & Forecasting disse que as vendas atingiram 2 milhões em julho, um aumento de 134% em relação a julho de 2019. Julho é o quinto mês consecutivo a estabelecer um recorde de vendas de armas.

"Estou vendo coisas que nunca vimos antes", disse Larry Hyatt, proprietário do Hyatt Guns em Charlotte, Carolina do Norte. "É baseado no medo."

O número de verificações da NICS ajuda a explicar a falta de armas e munição nas lojas e o registro de pedidos em atraso de fabricantes de armas e fornecedores de munição.

No enorme site online de armas de fogo Brownells, por exemplo, as vendas de armas aumentaram 90%, lideradas por armas pequenas (revóveres e pistolas). As vendas de munição aumentaram 30% e o tráfego da Web no Brownells.com aumentou 60% -70%.

O porta-voz de Brownells, Ryan Repp, disse à Secrets: "A incerteza está definitivamente impulsionando as vendas de armas de fogo, munição e acessórios relacionados ao momento. Com as conversas sobre a retirada da polícia, uma pandemia nacional que está pressionando os serviços de emergência é a 'tempestade perfeita' da incerteza, e estamos vendo pessoas de todo o espectro político se voltando para a posse de armas de fogo pela primeira vez".

"Na Brownells, vimos um aumento de 90% nas vendas de armas de fogo, um aumento de 30% nas vendas de munições e o tráfego da Web continua superando o normal "em cerca de 60%. No momento, o mercado de armas de fogo é realmente limitado apenas pela oferta, à medida que os fabricantes da indústria trabalham para recuperar o atraso".

Uma visita da Secrets na semana passada a três lojas de armas na Virgínia encontrou duas com apenas um punhado de armas à venda e uma terceira em que munições foram varridas das prateleiras no minuto em que foram estocadas.

Chris Killoy, diretor executivo da Sturm, Ruger & Company, disse que o atual aumento nas vendas é diferente de tudo que ele já viu. A onda de compras não mostra sinais de desaceleração e a forte demanda "se sustentará" no outono, previu Killoy.

"Tendo estado neste setor há 30 anos, vi o aumento em 1994 antes da proibição de armas de assalto", disse Killoy a investidores na quinta-feira. "Esse é provavelmente o nível de demanda mais forte que eu já vi. Uma das diferenças mais significativas é como isso afetou todos os níveis do canal e o impacto no inventário em todos os níveis".

Mês Nacional dos Esportes de Tiro pode levar a novas vendas
Os milhões de proprietários de armas de fogo, principalmente os que as adquiriram pela primeira vez nos EUA, poderão participar do National Shooting Sports Month em agosto, uma tradição americana que comemora o direito constitucional de manter e portar armas, consagrado na Declaração de Direitos e de liberdades individuais pela Segunda Emenda à Constituição americana.

O evento é tão importante nos EUA que mereceu uma mensagem nacional do Presidente Trump.

Como é um ótimo momento para buscar treinamento e aprender sobre as dezenas de esportes de tiro ao alvo e caça, a previsão é de que o fato estimule novas compras de armas neste mês.

Resultados excepcionais da Sturm, Ruger & Company e da Smith & Wesson Brands Inc.
A Sturm, Ruger & Company anunciou em sua teleconferência trimestral  na quinta-feira (30 Jun) que as vendas líquidas passaram de US $ 210.367.000 nos primeiros seis meses de 2019 para US $ 253.903.000 durante o mesmo período em 2020. Isso equivale a um lucro por ação diluído de US $ 1,06 em 2020, comparado a US $ .36 em 2019 - um aumento de três vezes. 

A Smith & Wesson Brands Inc. registrou um aumento de lucro semelhante em junho. As vendas líquidas da empresa saltaram 32,9%, de US $ 175,7 milhões no quarto trimestre de 2019 para US $ 233,6 milhões em 2020.

Taurus poderá se beneficiar com os recordes de vendas de armas nos EUA e no Brasil
Em 2019, a Taurus produziu cerca de 1,2 milhão de armas de fogo, sendo 889 mil em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, e 310 mil na unidade americana, o que corresponde a mais de 5 mil unidades diariamente. Do 1,3 milhão de armas da empresa vendidas no ano passado, 1,1 milhão (quase 85%) foi para os Estados Unidos.

No primeiro trimestre, a companhia aproveitou o início do aquecimento do mercado de armas pessoais nos EUA e incrementou suas vendas em 11% em relação ao trimestre anterior, atingindo a marca de 310.100 unidades vendidas. Este incremento aconteceu apesar de a unidade fabril americana ainda estar se adaptando às novas instalações na Geórgia naquele período, problema que já foi equacionado no trimestre posterior.

Como o Brasil, por meio quase que exclusivamente da Taurus Armas, tornou-se o segundo maior exportador de armas pequenas (pistolas e revólveres) para os EUA, é bastante provável que essa empresa se beneficie da explosão de vendas que está sendo registrada nesse país e apresente números significativos no balanço do segundo trimestre, no que se refere às vendas para esse mercado.

No entanto, não só nos EUA as vendas de armas estão crescendo.  Nos três primeiros meses de 2020, as vendas em volume da Taurus no mercado brasileiro mais que dobraram (cresceram 111% sobre o mesmo trimestre do ano passado), enquanto a receita saltou 52%.

Somando-se os dados do SINARM com os do SIGMA, o total de registros de novas armas no primeiro semestre totalizou 132.485 unidades e representou um aumento final de 80% em relação ao havido em todo o ano de 2019. O aumento semestral de 200% superou todos os demais da série existente desde 2009, constituindo-se em um recorde histórico.

Em consequência, as vendas domésticas da empresa tendem, também, a apresentar um volume significativo no segundo trimestre, similares ou superiores aos números do primeiro.

Estimativa de resultados positivos
Como a pequena variação cambial do segundo trimestre não atuará de forma perversa sobre os resultados da empresa, como aconteceu no primeiro, o forte acréscimo esperado no volume de vendas para os EUA tenderá a fazer esta variação impactar de forma positiva, haja vista que cerca de 85% de suas vendas são direcionadas ao mercado americano, ou seja, faturadas em dólar. Com isso, salvo a ocorrência de um fator negativo inesperado, é razoável estimar que a empresa apresente resultados positivos no balanço desse trimestre.

Principais fontes:
- Presidential Message on National Shooting Sports Month 2020 | The White House https://bit.ly/31eul3E
- July Breaks Gun Sales Record as Gun Company's Earnings Triple https://bit.ly/33nKXbV
- Sales of guns used for self-defense up across the country, experts explain why https://bit.ly/31eHABp
- Gun Sales Are Surging, But Background Checks Aren’t Keeping Up | FiveThirtyEight https://53eig.ht/2XmH43a
- Gun sales exploding, July FBI checks jump 79% https://washex.am/2DufQQT
- Gun sales surge an estimated 135% in July amid coronavirus, rioting fears - Washington Times https://bit.ly/31d3ZyZ
- Millions of New Gun Owners Will Enjoy National Shooting Sports Month in August https://prn.to/3a0edqs
- LRCA Defense Consulting - arquivos

*Colaborou: Christian Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será submetido ao Administrador. Não serão publicados comentários ofensivos ou que visem desabonar a imagem das empresas (críticas destrutivas).

Postagem em destaque