Pesquisar este portal

dezembro 04, 2021

Fuzis Taurus T4 são entregues ao Exército das Filipinas em cerimônia militar


*LRCA Defense Consulting - 04/12/2021

No dia 03 de dezembro, o Tenente-General Andres Centino, Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas das Filipinas (AFP) presidiu a cerimônia militar de entrega dos recém-adquiridos fuzis de assalto Taurus T4 5,56mm para os militares do 99º Batalhão de Infantaria do Exército das Filipinas (99IB - Batalhão Patriótico), sediado no Forte Magsaysay, em Nueva Ecija.

Os fuzis de assalto fazem parte das 12.412 unidades adquiridas pelo Exército Filipino junto à empresa Taurus Armas S.A..

O Exército emitiu o contrato para a fabricante brasileira de armas em janeiro deste ano para que seus antigos fuzis M16 fossem substituídos. Não foi divulgado o custo desse projeto de aquisição, embora Centino tenha dito que foi financiado por meio de dotações de 2019 do Exército.

Cerca de 6.000 unidades dos fuzis Taurus T4 serão distribuídos para a estratégica 11ª Divisão de Infantaria (11ID) com base em Jolo, Sulu - o reduto do grupo extremista islâmico Abu Sayyaf (ASG). O restante será entregue a outras unidades do Exército.

Filipinas e Índia credenciam a Taurus no imenso mercado asiático
O Fuzil T4 foi o escolhido para dotar o Exército das Filipinas após ter vencido duas históricas licitações internacionais onde concorreu com armas fabricadas pelas grandes empresas mundiais do setor. São históricas porque foi a primeira vez que o Exército Filipino adquiriu um fuzil fabricado fora dos Estados Unidos para o seu exército; também foi a primeira venda do Fuzil T4 para um exército.

O fornecimento de fuzis e pistolas para as forças armadas e policiais das Filipinas e a joint venture com a indiana Jindal Defense estabelecem um cenário promissor para a Taurus Armas, pois credenciam a empresa junto ao imenso mercado asiático, pressupondo novos e significativos negócios no maior e mais inexplorado mercado mundial para armamentos leves.

Como exemplo, recentemente a Índia solicitou 10 unidades do Fuzil T4 para submetê-los a testes, haja vista que está em curso uma licitação inicial de cerca de 94.000 fuzis, além de uma outra que poderá variar entre 350.000 e 500.000 fuzis CQB (Close Quarters Battle - arma mais curta que o fuzil de assalto, destinada ao combate aproximado) para suas unidades de Infantaria, especialmente as que atuam nas regiões da fronteira com o Paquistão.

O pioneirismo da Taurus e da CBC, sendo parceiros de primeira hora do Primeiro-Ministro indiano Narendra Modi em seu Programa Make in India (concretizado por meio das joint ventures já firmadas com a Jindal Defence e com a SSS Defence, respectivamente), poderá pesar favoravelmente na balança das negociações para a escolha do novo fuzil CQB indiano.

Além desse fator, poderão também pesar também no negócio a afinidade ideológica e os interesses comerciais mútuos entre o PM Modi e o Presidente Jair Bolsonaro, bem como a ambição geopolítica da Índia nas Américas, tendo o Brasil como epicentro. Correndo por fora, há ainda o fato (noticiado pela imprensa indiana) de o governo desse país asiático ter grande interesse em firmar uma parceria com a Embraer.

*Com informações e imagens das Forças Armadas das Filipinas (AFP)

WEG fornece Powertrain para ônibus elétrico da Marcopolo

WEG fornece Powertrain para ônibus elétrico da Marcopolo


*LRCA Defense Consulting - 04/12/2021

A WEG anunciou que é um dos parceiros da Marcopolo para o desenvolvimento do Attivi, primeiro ônibus elétrico com chassis próprio da fabricante de carrocerias de ônibus.

A versão que circula no ABC Paulista desde outubro em caráter experimental, por exemplo, tem 13,25 metros de comprimento, capacidade total para 89 passageiros (sentados e em pé) e autonomia de cerca de 250 quilômetros, o Marcopolo Attivi possui Powertrain WEG, formado por um motor central trifásico de 395 kW de potência e 2.800 Nm de torque e um inversor de frequência. A proposta é que o veículo seja adaptado às necessidades do transporte urbano e intermunicipal.

Desenvolvido no Brasil, com tecnologia nacional e importada, o Attivi é um marco para a mobilidade elétrica global, segundo Manfred Peter Johann, Diretor Superintendente da WEG Automação. “Estamos protagonizando o mercado da mobilidade elétrica nacional com tecnologia predominantemente brasileira, testada, aprovada e em constante inovação. Em conjunto com a Marcopolo, e outros importantes fornecedores da cadeia de eletrificação, temos condições de construir um nicho estratégico, de forte tecnologia industrial, capaz de atender a demanda nacional e vender para o mundo todo”, explica o executivo.

O Attivi, além de reunir toda a experiência que WEG e Marcopolo detêm na produção de soluções para mobilidade, garante a emissão zero de gases de efeito estufa, atendendo às normas globais de segurança.

“Há um ambiente propício no mercado brasileiro para o desenvolvimento do transporte com propulsão elétrica, com provedores de energia dispostos a investir no sistema. Além do benefício ambiental, a mobilidade elétrica tem custo operacional inferior se comparado ao diesel e a adoção tende a ser decisiva para um futuro sustentável”, comenta James Bellini, CEO da Marcopolo.

O novo modelo já está sendo testado e será exposto durante a 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que acontecerá em Brasília de 3 a 10 de dezembro.

dezembro 03, 2021

FAB realizará o primeiro teste de voo do motor aeronáutico hipersônico 14-X

Concepção artística do 14-X em órbita

*LRCA Defense Consulting - 03/12/2021

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), situado em São José dos Campos (SP), iniciou os preparativos da Operação Cruzeiro com o envio de materiais do primeiro teste de voo do motor aeronáutico hipersônico 14-X, desenvolvido pelo Instituto de Estudos Avançados (IEAv), para o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

Os equipamentos foram enviados de duas formas: via terrestre e aérea, partindo de São José dos Campos (SP). No dia 17 de novembro, foi enviado o primeiro carregamento, via terrestre, saindo do Centro de Transporte Logístico da Aeronáutica (CTLA), contendo os cilindros de gases que serão utilizados na carga útil do 14-X. A segunda etapa, também via terrestre, deslocou-se do Grupamento de Apoio de São José dos Campos (GAP-SJ), no dia 23 de novembro, levando o apoio para a campanha como carrinho elétrico e outras peças.

No dia 28 de novembro, a aeronave C-130 Hércules, operada pelo Esquadrão Gordo (1º/1º GT), realizou o carregamento dos motores foguetes, componentes pirotécnicos, módulos, empenas, bancos de controle e a carga útil do motor.

Já no dia 29 de novembro, a aeronave KC-390 Millennium, operado pelo Esquadrão Zeus (1º GTT), realizou o transporte das equipes do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) e do Instituto de Estudos Avançados (IEAv).

A aeronave transportou também doações, arrecadadas durante o Concerto Sinfônico da Banda de Música do DCTA, e testes de COVID-19, doados pela Associação Desportista Classista da EMBRAER (ADC EMBRAER), para as Agrovilas da cidade de Alcântara (MA).

Projeto Prohiper
Discretamente, a Força Aérea Brasileira (FAB) desenvolve uma tecnologia hoje só testada por poucos países. Trata-se da propulsão scramjet, um tipo de motor capaz de tornar possível aeronaves hipersônicas e que voam em grandes altitudes.

O Projeto Prohiper, como foi chamado internamente, está sob responsabilidade do IEAV (Instituto de Estudos Avançados), localizado em São José dos Campos (SP), e é restrito hoje ao laboratório onde é avaliado no maior túnel de vento da América Latina. “Queremos hoje sair do nível laboratorial e dar o grande salto que é para o nível de qualificação em voo dessas tecnologias”, disse Israel Rêgo, gerente do Laboratório de Aerotermodinâmica e Hipersônica do IEAV.

Batizado de 14-X, o protótipo que demonstrará a tecnologia existe por enquanto apenas num modelo em escada com formato em asa delta de enflechamento bastante agudo. O motor scramjet é instalado na parte inferior da asa em delta e utiliza um princípio curioso: em vez de necessitar do combustível e do oxidante (oxigênio) como nos motores-foguete tradicionais, ele aproveita o próprio ar para queimar o combustível.

Graças a essa capacidade, ele pode em tese levar um avião a velocidades de cerca de 12 mil km por hora (algo como atravessar toda a Avenida Paulista em apenas um segundo). Para efeito de comparação, o supersônico Concorde voava a pouco menos de 2,2 mil km/h.

Em alta velocidade, o ar dispensa fans e compressores para acelerá-lo e aquecê-lo como nos turbofans, o que simplifica sua estrutura, mas exige materiais nobres para suportar o calor extremo.

A grande vantagem, segundo explicou o engenheiro aeroespacial Ten. Norton Assis é a maior carga útil permitida. Graças à ausência dos tanques de oxigênio é possível transportar até 15% de carga útil em relação ao seu peso – nos foguetes convencionais esse valor é de apenas 5%. “Como não leva o oxidante no interior, o veículo torna-se mais seguro e essa redução de peso agrega mais eficiência”, acrescenta.



WEG é premiada como uma das mais inovadoras de TI do Brasil

WEG entre as mais inovadoras de TI do Brasil


*LRCA Defense Consulting - 03/12/2021

A WEG recebeu o Prêmio 100+ Inovadoras no Uso em TI 2021 na categoria Holdings e Grupos empresariais, promovido pela Empresa IT Mídia em parceria com a PwC.

O Case premiado foi chamado de “Smart Collaboration Program” que incluiu duas iniciativas inovadoras da Seção de Desenvolvimento de Tecnologias Digitais: o iWCL (Intelligent WEG Component Library), uma solução de IA que visa apoiar a seleção de componentes padrões para serem inclusos na biblioteca de componentes CAD 3D, visando facilitar e priorizar o reuso de desenhos, e o WEG Virtual Inspection, uma solução desenvolvida sobre a plataforma WEGnology,  que possibilita o acompanhamento remoto de ensaios de produtos WEG nos diversos laboratórios.

Além do primeiro lugar na categoria, a Companhia levou ainda o 2º lugar na classificação geral dentre as empresas mais Inovadoras em TI do país, a melhor colocação já alcançada pela WEG neste ranking.

“Este prêmio, além de ser um reconhecimento de um grande projeto de sucesso realizado pela equipe de TI, deve ser considerado como um prêmio para todo o time WEG que busca constantemente atingir níveis de excelência e os melhores resultados em todas as suas atividades e projetos”, enfatiza Paulo Sérgio dos Santos, Diretor de TI da WEG.

Neste ano o prêmio recebeu 255 inscrições. Os mais inovadores foram escolhidos por um comitê de especialistas de mercado e jornalistas da IT Mídia. Também foram considerados a cultura e os processos de inovação adotados em cada projeto.

dezembro 02, 2021

Louise Barsi comenta sobre a Taurus


*LRCA Defense Consulting - 02/12/2021

Na live de hoje (02/12) do canal Stock Pickers no YouTube, Renato Santiago entrevistou Louise Barsi, sócia-fundadora do Ações Garantem o Futuro, e Welliam Wang, gestor da AZ Quest.

Durante o programa, Louise comentou sobre a Taurus Armas, explicando os momentos anterior e atual da empresa, bem como os motivos de sua família ter uma grande posição nela. 

Mostrando-se entusiasmada com a companhia, afirmou que "votamos a olhar com muito carinho para a Taurus", que ela "está pronta pra decolar novamente", que "está muito otimista não só para para 2022", que vê "muitos upsides daqui pra frente" e que enxerga "todas as avenidas para ser uma empresa cobiçada potencialmente por fundos". 



Ares apresenta a nova versão do REMAX 4 ao público pela primeira vez


*LRCA Defense Consulting - 03/12/2021

Durante a 10ª edição da Conferência de Sistemas e Tecnologia Militar (CSTM), realizada entre os dias 24 e 28 de novembro, em Brasília (DF), a ARES Aeroespacial e Defesa apresentou pela primeira vez ao público a nova versão do REMAX 4. A estação de armas que possui alto nível tecnológico foi desenvolvida e fabricada em parceria com o Centro Tecnológico do Exército (CTEx).

O REMAX 4 passará a integrar a Viatura Blindada Multitarefa, Leve Sobre Rodas (VBMT-LSR) 4x4 e traz mudanças significativas, como a redução da altura em 20% e do peso em 12 kg.

Além do aumento da capacidade do cofre da munição, o projeto permite integração com outros armamentos, como lançadores automáticos de granadas e mísseis anticarro, além da integração de um sistema de alerta laser - ELAWS 2, da Elbit Systems.

Na apresentação, estiveram presentes, pelo Exército Brasileiro, o Diretor de Fabricação, General de Brigada Tales Villela, o Comandante Militar do Sul, General de Exército Valerio Stumpf Trindade, o atual 4º Subchefe do Estado-Maior do Exército, General de Brigada Julio Cesar Palú Baltieri, além de outras autoridades.

No dia 02, a empresa concluiu os testes de fábrica do lote que irá compor a soma de 68 sistemas Remax produzidos ao longo de 2021. Os sistemas seguirão para o 4° Depósito de Suprimento do Exército Brasileiro e posteriormente serão integrados nas viaturas produzidas pela Iveco Brasil.



Taurus recebe o alto escalão da Secretaria de Operações Integradas do MJSP


*LRCA Defense Consulting - 02/12/2021

No dia 30 de novembro, o CEO Global da Taurus, Salesio Nuhs, recebeu, no complexo industrial da empresa, em São Leopoldo (RS), a visita da comitiva da SEOPI - Secretaria de Operações Integradas.

A SEOPI é um órgão público superior de nível federal, vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), cujo foco de atuação é a integração das forças policiais brasileiras no combate ao crime organizado.

A comitiva em visita à Taurus estava assim composta:
- Secretário de Operações Integradas, Alfredo de Souza Lima Coelho Carrijo;
- Chefe de Gabinete/SEOPI, Mauro André Kaiser Cabral;
- Diretora de Inteligência, Marília Ferreira de Alencar;
- Assessora do Secretário, Nisseia Teixeira de Assunção;
- Delegada Federal Lauren Barga Salatino; 
- Policiais Federais Glauber Miranda Guedes e Marcel Talamoni Pellegrini.

Os visitantes conheceram o complexo industrial e o amplo portfólio de produtos que a Taurus Armas oferece.

A visita do alto escalão da SEOPI visou discutir modelos de armas e calibres para essa Secretaria, a fim de modernizar os armamentos destinados à segurança pública brasileira.

CEO Global da Taurus, Salesio Nuhs, com o Secretário de Operações Integradas, Alfredo de Souza Lima Coelho Carrijo


Seis novos veículos TATRA Force 8x8 são recebidos pelo Exército


*LRCA Defense Consulting - 02/12/2021

Na tarde do dia 1º de dezembro de 2021, o 5º Batalhão de Engenharia de Combate Blindado (5º BE Cmb Bld) recebeu seis novos veículos especializados de transporte de portada (VE-Eng TRNP PRTD), da família TATRA Force 8x8, importados da República Tcheca.

Estes veículos equipam a Portada Pesada Improved Ribbon Bridge (IRB) e são utilizados para o transporte da embarcação e dos módulos, materiais empregados nos trabalhos de engenharia e de defesa civil.

O veículo possui uma nova carroceria, podendo receber placas de blindagem adicional, além de um kit de proteção para defesa química, biológica, radiológica e nuclear (DQBRN). O motor diesel, de oito cilindros, refrigerado a ar, com potência de 300 cv, pode atingir a velocidade de até 100 km/h e tem autonomia de 700 km.

O recebimento foi realizado por militares do Batalhão, sob a coordenação do 4º Grupamento de Engenharia, no dia 29 de novembro de 2021. O transporte dos veículos, desde a retirada no Porto de Paranaguá-PR, teve apoio do 5º Batalhão Logístico, de Curitiba (PR).

Os veículos serão destinados ao 5º BE Cmb Bld, sediado em Porto União (SC), e ao 12º BE Cmb Bld, Alegrete (RS).

*Com informações do 5º BE Cmb Bld.


 

Exército recebe da Helibras a última das 34 aeronaves Fennec, totalmente modernizadas

 


*Centro de Comunicação Social do Exército - 01/12/2021

"Aviação! Brasil!" – esse foi o brado do Comandante do Exército, General de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, ao receber, simbolicamente, a última aeronave Fennec AvEx modernizada nesta fase do programa de modernização das aeronaves operadas pelo Comando de Aviação do Exército. Pilotos do Centro de Instrução de Aviação do Exército trouxeram de Taubaté (SP) a Brasília e pousaram o último Fennec. A aeronave ficou pousada entre o obelisco e a concha que ficam na frente do Quartel General do Exército, local da cerimônia de entrega da aeronave.

"A profícua parceria entre o Exército Brasileiro, por intermédio do Comando Logístico e a Helibras-Airbus, concluiu, com pleno êxito, o projeto de reconstrução e de modernização de 34 helicópteros Esquilo e Fennec, incluindo o treinamento de pessoal; a verificação da conformidade do primeiro helicóptero e o fornecimento de documentação técnica. Os benefícios dessa parceria para a Aviação do Exército, bem como para a base indústria de Defesa brasileira, são inegáveis...", considera o General Paulo Sérgio, Comandante do Exército.

O Comandante do Exército destacou os novos recursos dessas aeronaves. "A digitalização do painel de instrumentos, compatibilizado para o emprego de óculos de visão noturna e a instalação do piloto automático, inexistente na versão original da aeronave, entre outros pontos de modernização, permitiram agregar novas capacidades ao emprego dos helicópteros que são essenciais ao combate moderno, assim como trouxeram novas expertises à cadeia produtiva instalada no País," resumiu o General Paulo Sérgio.

Agora, serão mais 25 anos com 34 aeronaves adaptadas ao que existe de mais moderno na aviação de asa rotativa. Ainda em suas palavras, o Comandante do Exército parabenizou os militares da Aviação do Exército e lembrou de outras iniciativas nessa área, incluindo a futura aquisição de uma aeronave de ataque.

Os helicópteros Fennec AS550 A2 e Esquilo AS350 L1 foram modernizados em Itajubá (MG) pela Helibras, em parceria com outras empresas que trouxeram mais tecnologia à industria de Defesa brasileira. O programa de modernização teve início em janeiro de 2012 e o término está previsto para 2024 com a modernização dos Panteras e a aquisição de novas aeronaves.


O Diretor de Material de Aviação do Exército, General de Brigada Anysio Luís Crespo Alves Negrão, reconheceu a importância dos antigos chefes que participaram do processo decisório desde o início do programa de modernização. Ele lembrou de uma marca dos projetos do Exército. "É preciso terminar o que foi começado", disse o general, ao agradecer aos antigos chefes e comandantes que priorizaram o programa de modernização na medida certa e, dessa forma, garantiram as entregas de acordo com o cronograma. "Terminamos uma fase da nossa transformação, que se iniciou em 2011, com a celebração do contrato 162 com a Empresa de Helicópteros do Brasil (Helibras), cujo escopo era reconstrução e modernização dos Esquilos e Fennec da frota da Aviação do Exército", discursou o General Negrão.

A modernização foi necessária devido a questões econômicas e de emprego tático. "Volto àquele ano de 2011, quando nossa frota de Esquilo somava mais de 20 anos de sucesso, contudo já começava a apresentar um aumento crescente nos custos e na sua sustentabilidade logística, bem como havia uma previsão de obsolescência de diversos equipamentos. Após estudos realizados pela própria DMAVEx, foi decidido realizar o projeto de dois helicópteros e modernização de mais de 32 aeronaves Esquilo-Fennec e que permitisse avançar a Aviação do Exército para uma grande padronização de equipamentos; atualizar tecnologicamente nossas aeronaves; aumentar os nossos níveis de segurança de voo e, o principal, oferecer novas capacidades para a Força Terrestre", acrescentou o General Negrão.

O Presidente da Helibras, Jean-Luc Afonsi, agradeceu a parceria e entregou uma réplica do Fennec ao Comandante do Exército. “As novas aeronaves modernizadas do Exército operam hoje com sistemas ultramodernos. Para a Helibras, foi uma grande conquista poder contar com técnicos, pilotos e engenheiros militares nesse processo. Isso agregou novos conhecimentos e capacidades industriais", disse ele.

O evento contou com a presença do Chefe do Estado-Maior do Exército, General de Exército Marcos Antônio Amaro dos Santos, e do Comandante Logístico, General de Exército Estavam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, ambos oficiais do Alto Comando do Exército ligados à conclusão dessa fase de reformulação da Aviação do Exército. A solenidade contou, ainda, com a presença do Alto Comando do Exército, de oficiais generais do Quartel General e de antigos comandantes da Diretoria de Material e Aviação do Exército (DMAvEx).

O Major de Cavalaria Lucena de Oliveira e o Major de Artilharia Cesar Meira de Araújo pilotaram a aeronave de Taubaté a Brasília, juntamente com o mecânico de voo, Terceiro-Sargento Daniel Porto Silva Artiles Carneiro. 

NICS de novembro já torna 2021 o segundo maior ano de vendas de armas na história dos EUA

Total anual estimado poderá ser apenas 2,4% menor que o ano atípico de 2020

LRCA: Taurus Armas: como a vitória democrata nos EUA e sua pauta podem  beneficiar a empresa


*LRCA Defense Consulting - 02/12/2021

A verificação de antecedentes ajustada da NICS em novembro de 1,543 milhão, que inclui as fortes vendas da semana da Black Friday, já fez de 2021 o segundo maior ano de vendas de armas já registrado na história do Estados Unidos.

Mark Oliva, Diretor de Relações Públicas da National Shooting Sports Foundation (NSSF), declarou ao portal The Truth About Guns:

 - O relatório de números de novembro coloca 2021 como o segundo ano mais forte para vendas de armas de fogo já registrado, atrás apenas do ano atípico de 2021 de 21 milhões de verificações de antecedentes para uma venda de armas. O total de NICS ajustados pelo NSSF de novembro de 2021 de 1.543.378 traz o total acumulado no ano para 16.722.291 verificações de antecedentes para a venda de uma arma de fogo. Esse número notável foi reforçado pelo relatório do FBI de mais de 678.000 verificações de antecedentes não ajustadas realizadas durante a semana que antecedeu e incluindo a Black Friday.

- Este marco histórico de mais de 16,7 milhões de verificações de antecedentes para uma venda de armas mostra que ainda há um grande apetite pela posse legal de armas de fogo e os Estados Unidos, valorizando o direito dado por Deus de manter e portar armas. Mês após mês, e agora ano após ano, os americanos estão votando com suas carteiras quando se trata de direitos de armas em número recorde.

Total anual estimado poderá ser apenas 2,4% menor que 2020
O NICS - National Instant Criminal Background System Checks de novembro totalizou 2.717.458 verificações, constituindo-se no segundo melhor mês de novembro da história, atrás apenas do atípico ano de 2020, onde questões relativas à pandemia, aos distúrbios civis e às eleições, agiram de forma quase conjunta para levar os americanos à compra de armas em quantidades excepcionais.

Mesmo assim, novembro de 2021 mostra claramente que a demanda continua muito aquecida nos EUA, haja vista que o NICS desse mês superou em 5,5% o mesmo período do ano normal de 2019.

O total de NICS dos primeiros 11 meses do ano chegou a 35.778.134, situando-se também como o segundo melhor da história para o período ao superar o mesmo intervalo de 2019 em 40,6%. Nota-se ainda que esses primeiros 11 meses superam também o total anual de 2019 em mais de 26%.

Como é possível constatar na tabela abaixo, o mês de dezembro se caracteriza por ser o mais forte na venda de armas nos Estados Unidos. Portanto, é possível estimar que o NICS de Dez 21 cresça cerca de 9,5%, situando-se em 2.975.000, o que levaria o total do ano para 38.753.115, ou seja, apenas cerca de 2,4% menor que o ano atípico de 2020.





Guardas Municipais de Taubaté e São Roque recebem armamento Taurus


*LRCA Defense Consulting - 02/12/2021

A Prefeitura de Taubaté (SP) realizou na manhã do dia 25 de novembro uma cerimônia para entrega de novos armamentos para a Secretaria de Segurança e homenagens aos Guarda Municipais pela dedicação, desempenho e anos de atuação no trabalho de proteção e segurança da população e patrimonios públicos do municipio.

O evento aconteceu na base operacional da Vila Marly onde foram entregues 20 pistolas calibre .380 Modelo TH 380 fabricadas pela Taurus Armas S.A., que farão parte do armamento de segurança utilizado pela Guarda Municipal. Atualmente 103 GCM possuem o porte de arma autorizados pela Polícia Federal com a formação exigida. (https://bit.ly/3rtkMMH)

Foto sobre "Guarda Municipal de São Roque recebe novos armamentos"


A Prefeitura de São Roque (SP) informou que a Guarda Municipal recebeu nesta terça-feira, 30 de novembro, 20 novas pistolas TS9, armamento moderno da marca Taurus que chega para reforçar a atuação da corporação em sua missão de proteger a população. A vinda dos novos equipamentos são um investimento importante, já que muitos GCMs ainda utilizavam revólveres calibre 38, armamentos antiquados e que não traziam a segurança necessária para os agentes pudessem exercer seu trabalho.

Os armamentos foram distribuídos aos membros mais graduados da guarda e já estão sendo portados pelos agentes durante suas ações pela cidade. Os investimentos na corporação fazem parte do programa São Roque Mais Segura, que busca fortalecer a atuação das forças policiais, incluindo a guarda, que segue recebendo melhorias. Neste ano, a corporação já recebeu um novo fardamento, armas e munições, além de uma nova viatura e cinco recrutas que foram incorporados à GCM.
(https://bit.ly/3rqFa10 / https://bit.ly/3De91vW)


WEG fornece turbina e hidrogerador para CGH Sete Quedas

WEG fornece turbina e hidrogerador para CGH Sete Quedas


*LRCA Defense Consulting - 01/12/2021

A fonte de energia hídrica está entre as mais sustentáveis e seguras, sendo uma das formas mais tradicionais de geração de energia elétrica. E foi pensando em garantir energia limpa e com excelentes rendimentos em toda faixa de operação que a CGH Sete Quedas, localizada em Faxinal dos Guedes/SC, escolheu a WEG para fornecer equipamentos para seu novo projeto de geração hidrelétrica.  

O conjunto, turbina e gerador, estão entre os principais equipamentos que compõe uma usina e são os responsáveis por converter a energia potencial disponível na usina (queda e vazão) em energia elétrica.

Hoje, a WEG conta com uma linha composta por conjuntos turbina-gerador que atendem uma ampla gama de aplicações, destacando-se equipamentos de última geração, além do suporte técnico ao cliente com profissionais capacitados durante toda a instalação.  A turbina selecionada e dimensionada para a CGH Sete Quedas foi uma Pelton Horizontal de 3 jatos com 895 kW de potência, projetada para operar em altas quedas e baixas vazões, com elevados rendimentos em toda faixa operativa. Além disto, a WEG também forneceu um hidrogerador da linha GH20, 950 kVA, 16 polos, 690 V, dimensionado e projetado em conjunto com a turbina hidráulica através de uma engenharia unificada e testado internamente dentro dos laboratórios de ensaios da WEG, minimizando assim, os riscos durante a operação.

“Como empreendedores, estamos seguros em dizer que a aquisição dos equipamentos WEG foi de grande valia para o sucesso de nosso empreendimento. Os equipamentos nos oferecem eficiência e segurança de operação. Além disso, contamos com todo suporte e apoio da equipe WEG, que sempre nos atendeu com grande prontidão. Temos toda certeza que nossa casa de força é composta por maquinário de excelência a fim de garantirmos a maior geração de energia possível”, comentam Angelo João Alessio e Vanessa Alessio, proprietários da CGH Sete Quedas.  

Para o cliente este fornecimento garante maior segurança operacional e confiabilidade, bem como, a garantia de um retorno mais rápido do investimento. E para a WEG, a empresa reforça seu comprometimento com a sustentabilidade, fortalecendo e consolidando a marca no segmento de hidrogeração.

dezembro 01, 2021

Taurus reduziu seu capital social, mas o que isso significa?


*LRCA Defense Consulting - 01/12/2021

A Taurus Armas S.A. comunicou ao mercado nesta terça-feira (30), que aprovou, em assembleia geral extraordinária, a redução do capital social da companhia no valor total de R$ 370.964.873,08, sem que tenha havido cancelamento de ações.

Segundo a empresa, essa redução se destina à “absorção parcial do saldo de prejuízos acumulados registrados nas demonstrações financeiras de 31 de dezembro de 2020”.

Com isso, o capital social da companhia foi reduzido de R$ 673.092.079,61 para R$ 302.127.206,53, representado por 117.110.796 de ações, sendo 46.445.314 ações ordinárias (TASA3) e 70.665.482 ações preferenciais (TASA4).

Mas o que isso significa?
Concretizada a aprovação, a empresa agora poderá apreciar parte do resultado positivo dos três primeiros trimestres deste ano, somando-a à redução. Com isso, acontecerá uma "soma de resultado zero", ou seja, uma operação meramente contábil (em que não há desembolso financeiro) que resultará na eliminação do registro de prejuízos anteriores acumulados no balanço da companhia.

Superado esse obstáculo, a Taurus poderá concretizar aquilo que o CFO da empresa chamou de "cereja do bolo do turnaround", ou seja, a remuneração de seus acionistas por meio do pagamento de dividendos já a partir deste ano, já que esta é a firme intenção manifestada pelo CEO Global Salesio Nuhs e pelo CFO/DRI Sérgio Sgrillo em diversas lives e entrevistas havidas desde 2020. Evidentemente, por uma questão contábil, esse fato só deverá ser registrado nas próximas ITR (Informações Trimestrais), que serão relativas ao 4T21 e ao ano de 2021.

Ainda sobre a questão dos dividendos, recentemente, durante uma live relativa aos resultados do 3T21, o CEO da companhia afirmou que a intenção é pagar a seus acionistas dividendos tão agressivos quanto tem sido seus resultados. A propósito, é importante lembrar que a Taurus tem, em seus estatutos, a obrigação de pagar um dividendo mínimo de 35% sobre o lucro líquido anual a seus acionistas (10% acima do mínimo previsto em lei). 

Uma outra informação também veiculada via live foi a de que, após a zeragem dos prejuízos acumulados, ainda sobrará um saldo positivo de R$ 13 milhões, que será somado ao lucro ajustado do 4T21 para que, então, possa ser calculado o valor dos dividendos de 2021 a serem pagos aos acionistas. 

No programa BM&C News, em uma das edições deste ano, o estrategista e gestor de clube de investimentos Fábio Bacha, quando comentava sobre a Taurus Armas, mostrou-se bastante entusiasmado com a empresa e afirmou que ela poderá ser uma "máquina de distribuir dividendos em 2022".

Certamente, não é sem motivo que o megainvestidor Luiz Barsi Filho, conhecido por sua devoção aos dividendos como estratégia de investimento em ações, tem a maior posição nas ações preferenciais da empresa e a segunda maior nas ordinárias.

Mais consequências positivas
Agora, a Taurus - uma multinacional fundamentalmente exportadora, com uma unidade nos EUA e outra na Índia (2022) - está com seu endividamento equacionado e reduzido a níveis normais, tem Patrimônio Líquido Positivo, é uma das empresas que mais geram caixa no País, seu balanço está limpo de prejuízos anteriores e suas perspectivas de crescimento são simplesmente de dar inveja a qualquer outra. Portanto, além do pagamento de dividendos, a partir de agora todas as opções abaixo são factíveis, isoladas ou conjugadas:

  • possibilidade de investimento em suas ações por grandes fundos e gestoras de capital nacionais e internacionais, até então impedidos de fazê-lo;
  • acesso a financiamentos nacionais e internacionais em condições vantajosas (vide o realizado com o BTG recentemente);
  • eventuais aquisições (M&A) e/ou novas joint ventures estratégicas;
  • recompra estratégica de ações para mantê-las em tesouraria, valorizando-as;
  • listagem de seus títulos em uma bolsa de valores norte-americana, seja por meio de ADR, seja por IPO da unidade americana (Taurus USA), ou seja ainda pela migração de suas ações para uma bolsa de valores dos EUA. 
Por fim, é sempre relevante lembrar que o objetivo da Taurus, manifesto de forma constante por seus executivos, é o de se tornar a maior e mais rentável fabricante de armas leves do mundo, gerando valor para seus acionistas, além de orgulho e divisas para o Brasil.

Marinha avança na construção do submarino convencional com propulsão nuclear


*Centro de Comunicação Social da Marinha - 30/11/2021

Em cerimônia realizada no dia 25 de novembro, no auditório da Diretoria-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, a Autoridade Naval de Segurança Nuclear e Qualidade (ANSNQ), Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen, assinou a Portaria de Concessão da Primeira Licença Parcial de Construção (LPC1) do Submarino Convencional com Propulsão Nuclear Brasileiro (SCPN). O evento teve a participação de autoridades e representantes de instituições do setor nuclear, como a Agência Internacional de Energia Atômica, a Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares e a Comissão Nacional de Energia Nuclear.
 
A Coordenadoria-Geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear (COGESN), como requerente, submeteu à ANSNQ, por intermédio da Agência Naval de Segurança Nuclear e Qualidade (AgNSNQ), um conjunto de documentos relativos ao SN-BR, em atendimento aos requisitos de segurança necessários para o licenciamento nuclear naval. A AgNSNQ, que presta o apoio técnico à tomada de decisões da Autoridade, por meio de seu Comitê Técnico Assessor, avaliou a solicitação da COGESN e manifestou-se favoravelmente à Concessão da LPC1 pela ANSNQ. A emissão dessa 1ª licença atende a um dos pré-requisitos para a requerente contratar o estaleiro construtor e iniciar a construção do casco de pressão do submarino.
 

Representantes da área nuclear e demais autoridades

A LPC1 decorre de uma estratégia que visa proceder ao licenciamento em etapas bem definidas, a fim de permitir um nível adequado de detalhamento nas futuras análises. A estratégia reflete o compromisso da Marinha de atingir o mais alto nível de segurança necessário a um projeto dessa magnitude, inédito, complexo e desafiador.
 
É com base nesse propósito que a ANSNQ foi concebida, nos termos da Lei 14.222, de 15 de outubro de 2021, que atribui no Art. 7º privativamente ao Comando da Marinha poderes para regular, licenciar, fiscalizar e controlar os meios navais com plantas nucleares embarcadas. O SCPN se enquadra precipuamente nesse contexto.

Polícia Militar de Blumenau recebe pistolas e fuzis Taurus

 Polícia Militar de Blumenau recebe armamentos e munições

*SCC10 - 30/11/2021

Na tarde desta terça-feira, 30, o Comandante da 7ª Região de Polícia Militar (RPM), coronel Jefferson Schmidt, em nome do comandante-geral da PMSC, coronel Dionei Tonet, entregou armamentos e munições ao 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Blumenau. O evento contou com a presença do comandante da unidade, tenente-coronel Márcio Alberto Filippi.

Todos os equipamentos foram adquiridos com os recursos da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), por meio de indicações de emenda federal.

Ao todo, foram recebidas 40 pistolas calibre .40, cinco fuzis 5.56 Taurus T4 e 2.000 munições calibre .40.

“A união de esforços em prol da Polícia Militar potencializa a capacidade do nosso trabalho, resultando em melhores índices de segurança na região”, comentou o comandante regional, coronel Jefferson Schmidt.

Postagem em destaque